Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 09 Agosto |
Santa Teresa Bendita da Cruz (Edith Stein)
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

São Benedito: 3 milagres desse santo tão amado pelo povo

SAINT BENEDICT THE MOOR

Eugenio Hansen OFS | CC BY SA 3.0

Prof. Felipe Aquino - publicado em 28/10/21

São Benedito viveu há mais de 400 anos, mas continua sendo um exemplo atual de virtude e santidade

São Benedito é um santo muito conhecido e amado em todo o Brasil, especialmente por sua simplicidade, generosidade e seus muitos milagres. A prova disso são as numerosas igreja e capelas dedicadas a ele.

Isto não aconteceu por acaso; foi uma vida toda dedicada a Deus e aos homens. Morreu para si mesmo para viver para Deus e para os irmãos. Ele morreu há mais de 400 anos, em 1589, mas continua sendo um exemplo atual de como viver a santidade, que nunca envelhece.

Testemunho

São Benedito está mais vivo do que nunca. Quanto mais a humanidade se afasta de Deus, mais urgente é conhecer a vida dos que viveram em comunhão com Ele. Uma vida de penitência, oração, mortificação e amor aos irmãos. Um homem que viveu perfeitamente o Evangelho.

Nos rigorosos processos de beatificação e canonização foi atestado com juramento, por inúmeras testemunhas, que Benedito era inculto, analfabeto e filho de escravos. Mas tinha o dom da ciência infusa.

Mesmo sendo analfabeto, ignorante das letras, e filho de escravos, aconselhou sabiamente doutores, políticos e autoridades de seu tempo. Poderosos iam até ele pedir suas orações, conselhos e poderosa intercessão diante de Deus. Repleto dos dons infusos do Espírito Santo (sabedoria, ciência, inteligência, conselho, fortaleza, piedade e temor de Deus), impressionava a todos. Conheça agora 3 de muitos dos milagres que São Benedito realizou.

O milagre dos peixes

Entre os muitos milagres de São Benedito, na cozinha, ficou famoso o milagre dos peixes. Os frades de todos os lugares tinham se reunido no convento de Santa Maria de Jesus para o Capítulo Provincial. Era um inverno rigoroso o que os impedia de pedir esmolas na região, e os alimentos que tinham era pouco para tanta gente. Segundo a tradição, São Benedito pediu aos irmãos que enchessem as vazias com água e as cobrissem com tábuas. Retirou-se para a sua cela e passou a noite em oração. De manhã mandou que tirassem as tábuas e pegassem os peixes grandes que ali estavam em grande quantidade.

A refeição preparada pelos anjos

Outro milagre aconteceu quando o Arcebispo de Palermo, Dom Diogo d’Abedo, que anualmente se dirigia ao Convento de Santa Maria para alguns dias de retiro, ali estava. Gostava daquele pedaço silencioso e ameno de sua Arquidiocese, e muito o encantava a virtude dos frades. Certa vez, resolveu passar o Natal no Convento. Conhecendo muito bem a pobreza dos frades, levou consigo uma boa provisão de alimentos.

Na Missa da manhã do dia de Natal, Frei Benedito se aproximou da comunhão com muito fervor. Após a comunhão, se põs a contemplar um quadro que ficava ao lado do altar-mor da capela do mosteiro. Era uma imagem do Menino Jesus. E contemplando aquela imagem, permaneceu ali por muito tempo, esquecendo-se dos deveres da cozinha… Estava para começar o almoço do meio-dia. O Superior dirigiu-se à cozinha. O fogo ainda estava apagado. E ninguém na cozinha!

Já era meio dia e todos procuravam Benedito. A Missa já estava terminando e o almoço para a comunidade e o arcebispo não estava pronto. Ficaram todos confusos, ao saber que o fogo nem estava aceso ainda. E ninguém encontrava o frei Benedito no convento. Até que, enfim, foram encontrá-lo no coro da igreja, ao lado do altar, a contemplar o quadro do Menino Jesus.

Um frade o chamou ansioso. O santo, como que acordando de um êxtase, diz calmo e sorridente: “Não se aflija, meu Irmão!”. E permaneceu calado até terminar a Missa. Estavam todos revoltados com o descaso do “frade negro”. Que vergonha iria passar o convento! Que desculpas dariam ao arcebispo?

O Santo cozinheiro, com paciência e doçura, ouviu as injúrias que lhe faziam. Calou-se. Acendeu o fogo e pôs-se de joelhos. E assim o encontrando novamente, disseram: Este Irmão cozinheiro ainda a rezar? Que absurdo! Hoje não se almoçará no convento! Que vergonha para a comunidade diante do arcebispo!

Ordenou frei Benedito: “Mandem tocar a sineta para o almoço!”.

Na hora exata da refeição a campainha foi tocada. Neste ínterim, alguém viu na cozinha dois moços belos, com aparência de uns dezoito anos, que acabavam de preparar os últimos pratos e os deixaram prontos, cheirosos e apetitosos, para serem servidos.

Em pouco tempo, Frei Benedito e os dois anjos prepararam miraculosamente o almoço. E o que todos viam, era inacreditável!

O sangue dos pobres

Quando São Benedito era cozinheiro do convento de Santa Maria, trabalhavam com ele alguns Irmãos leigos e clérigos, que desperdiçavam o pão. O Santo os advertia, dizendo-lhes que o pão que sobra é dos pobres! “É sangue dos pobres, ouviram?”. Mas não adiantava seus pedidos, continuavam a desperdiçar pão. Um dia, São Benedito tomou uma esponja com a qual se limpavam os pratos e que estava com migalhas de pão e, diante dos Irmãos, apertou na mão a esponja, e todos viram escorrer muito sangue das migalhas de pão. Os noviços se arrependeram e pediram perdão a Deus.

Depois da morte de São Benedito, o Inquisidor Apostólico mandou pintar um quadro para representar este fato. Nele está a imagem de São Benedito com a túnica feita de folhas de palmeiras que usava, espremendo a esponja da qual sai sangue. Este quadro foi para a Espanha. Uma cópia do mesmo se encontra em Portugal, na capela dos Nery. No processo sobre o culto, várias testemunhas, em 1715, atestaram ter visto várias cópias do célebre quadro em várias igrejas da América. (Brandão, 1983)

(Cléofas)

Tags:
História da IgrejaMilagreSantos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia