Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 22 Fevereiro |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Como reacostumar cães e gatos a ficarem sozinhos

paul-cuoco-GO7QQxIk9NQ-unsplash.jpg

Paul Cuoco | Unsplash | CC0

Octavio Messias - publicado em 31/10/21

A volta à vida normal exige um período de adaptação para o bicho de estimação, que estava acostumado a ter os donos em casa o tempo todo

Há quase um ano e quatro meses, fomos confinados em casa com a chegada da pandemia e muitas pessoas precisaram rever o modo como vivem. Alguns acharam que caberia um pet (gato, cachorro, pássaro etc.) nas rotinas de suas casas, até por sentirem-se sozinhos com o isolamento e buscarem companhia, ou por quererem aproveitar o tempo extra para dedicar ao bicho. Assim, as adoções de animais tiveram um aumento de 50% durante os primeiros meses de quarentena. Os serviços de pet, considerados essenciais desde o início das medidas de isolamento, sentiram um reflexo disso com aumento de 13,5% em 2020. 

Mas agora que muitas pessoas vão deixando o home-office para retornar ao escritório, houve um aumento de 61% nos índices de abandono de animais neste ano.

Como fazer a adaptação

Felizmente, nem todos que adotaram ou compraram pets recentemente, ou entre aqueles que já tinham um pet antes da pandemia, devem seguir esse exemplo, de modo que a volta à vida normal exige um período de adaptação para o bicho de estimação, que a essa altura já está mais do que acostumado a ter o dono em casa o tempo todo. Por isso especialistas desenvolveram uma série de técnicas para tornar essa transição mais suave para o seu melhor amigo.  

Vamos a algumas delas: 

1- Normalize suas saídas

A ansiedade pode ser percebida pelo animal. Por isso é importante tratar cada saída como algo corriqueiro, que não afeta a rotina da casa, e que sempre haverá retorno. Por isso não se despeça nem faça grande alarde ao voltar.

2- Vá aos poucos

Para fazer a transição mais suave, comece a sair aos poucos. Primeiro, vá tomar um café e volte em meia-hora. Depois, faça um passeio de três horas e aumente aos poucos antes de retomar a rotina de passar o período de uma jornada de trabalho longe de casa. Assim, o animal entende que o dono sempre vai voltar. 

3- Crie um bom ambiente

É preciso se esforçar para deixar um ambiente agradável para o cachorro ou gato. Além de água e ração, deixe brinquedos para que ele possa se entreter, especialmente aqueles em que dá para esconder um petisco, assim mantendo o animal ativo e psicologicamente saudável. Dê preferência a locais com espaço e onde pegue sol. Deixe peças usadas como meias para que o bicho sinta o seu cheiro, assim diminuindo sua ansiedade. 

4- Mantenha o animal ativo

Existe um ditado que diz: “cachorro cansado é cachorro feliz”. Nada mais verdadeiro, portanto vale a pena acordar meia-hora mais cedo para passear com o cão antes de ir trabalhar. Assim ele já gasta energia e fica menos ansioso durante o dia. Se tiver um lugar seguro onde possa soltá-lo e deixá-lo brincar com outros cachorros, melhor ainda. Na volta, repita o procedimento. Se estiver sem tempo e tiver condições, serviços de passeador costumam estar disponíveis nos bairros. 

Tags:
AnimaisPandemiaTrabalho
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia