Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 08 Dezembro |
Imaculada Conceição de Nossa Senhora
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

A diferença entre as amizades que duram e as que acabam

Monkey Business Images I Shutterstock

Ana Lydia Sawaya - publicado em 14/11/21

O mundo atual precisa de pessoas que não renunciam a viver amizades verdadeiras

Aristóteles (384/383-322 a.C.), em “Ética a Nicômaco”,afirma que a amizade, embora seja necessária à vida e o ser humano não possa prescindir dela, pode se constituir sobre dois motivos acidentais que não permitem que seja duradoura: o prazer e a utilidade. “Os que amam por causa da utilidade, amam pelo que é bom para eles mesmos, e os que amam por causa do prazer, amam em virtude do que é agradável para eles, e não pela pessoa amada em si mesma por aquilo que é, mas enquanto lhe é útil e lhe proporciona prazer. Por isso, estas amizades são acidentais; de fato, aquele que é amado não o é por aquilo que é, mas enquanto oferece ora um bem, ora um prazer. Portanto, amizades assim facilmente acabam, pois as pessoas não permanecem iguais, e, quando não são mais prazerosas e úteis, termina a amizade. O que é útil não dura, mas muda de acordo com as circunstâncias. Esvanecendo o motivo pelo qual eram amigos, a amizade se desfaz, pois a amizade existia em função desta utilidade.”

Jovens

Essas características, segundo Aristóteles, são encontradas frequentemente na amizade entre os jovens, que por isso são muitas vezes volúveis e evanescentes: “A amizade dos jovens, por outro lado, parece buscar o prazer, pois eles são guiados pela emoção e buscam acima de tudo o que lhes é agradável e o que têm imediatamente diante dos olhos; mas, com o correr dos anos, os seus prazeres mudam. É por isso que fazem e desfazem amizades rapidamente: sua amizade muda com o objeto que lhes parece agradável, e tal prazer se altera bem depressa […]. É por isso que tão depressa se apaixonam como esquecem a sua paixão […]. Mas é certo que mesmo eles desejam passar juntos os seus dias e ter vida em comum, pois só assim alcançam o propósito da sua amizade”.

Buscam o bem

Para Aristóteles, apenas pessoas que buscam o bem podem viver amizades duradouras: “A amizade perfeita é a das pessoas que são boas e afins na virtude, pois essas desejam bem uma à outra igualmente […]. Ora, as que amam os seus amigos por eles mesmos são as mais verdadeiramente amigas, porque o fazem em razão da sua própria natureza e não acidentalmente. Sua amizade dura porque são boas – e a bondade é uma coisa muito estável. E cada um que é bom, o é em si mesmo e para com o seu amigo […]. Uma tal amizade é, como seria de esperar, estável, já que eles encontram um no outro todas as qualidades que são necessárias para os amigos […]. Numa amizade desta espécie, as outras qualidades também são semelhantes em ambos; e o que é irrestritamente bom também é agradável no sentido absoluto do termo, e essas são as qualidades mais apreciáveis que existem”.

Raras

Aristóteles reconhece, porém, que amizades assim são raras: “Mas é natural que tais amizades não sejam muito frequentes, pois que tais pessoas são raras. Acresce-se que uma amizade dessa espécie exige tempo e familiaridade. Como diz o provérbio, as pessoas não podem se conhecer mutuamente enquanto não tiverem ‘provado sal juntos’; e tão pouco podem aceitar uma à outra como amigas enquanto cada uma não parecer estimável à outra e esta não depositar confiança nela”. Mesmo que seja difícil, não devemos renunciar ao desejo de ser e ter um amigo assim. O mundo atual precisa de pessoas que não renunciam a viver amizades verdadeiras.

(Com O São Paulo)

Tags:
AmizadeRelacionamentoVirtudes
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia