Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 08 Dezembro |
Imaculada Conceição de Nossa Senhora
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

O que dizer a uma pessoa que está morrendo?

ELDERLY

mrmohock | Shutterstock

Marzena Devoud - publicado em 17/11/21

Veja como ser verdadeiro e amoroso com um ente querido que está se aproximando da morte

Como podemos ajudar um ente querido no estágio final de sua vida? Como podemos acompanhá-lo durante seus últimos dias?

“Embora seja impossível se colocar no lugar da pessoa, sabemos que um dos maiores medos de quem está morrendo é estar sozinho no momento definitivo. Para alguém no final da vida, toda segurança se esvai. A pessoa não pode mais confiar em seus talentos, em sua experiência nem em sua conta bancária. Essa solidão real causa um último sentimento de angústia”, diz o padre Paul Denizot, reitor do Santuário Nossa Senhora de Montligeon (França), um centro de oração pelos falecidos, que traz conforto às pessoas de luto ou sofrendo.

O que podemos dizer a um ente querido que está vivendo os últimos dias de sua vida? Aqui estão 7 orientações sobre como ser verdadeiro e amoroso nesta circunstância difícil.

1. NÃO FINJA QUE NADA ESTÁ ACONTECENDO

É muito importante não fingir que está tudo bem, ou seja, ficar dizendo à pessoa coisas como: “vai dar tudo certo”, “tenho certeza que você vai melhorar” etc. Se a morte realmente está no horizonte, receber uma linguagem falsa pode ser muito difícil para a pessoa que está morrendo.

Na maioria das vezes, mesmo que possam ver que seus entes queridos estão evitando o assunto, eles não se sentem fortes o suficiente para quebrar o tabu. Se você acha que seu ente querido está pronto para falar sobre a morte, não tenha medo de iniciar essa conversa a sério, enquanto ainda há tempo para falar sobre as questões importantes.

2. COLOQUE SUA PRÓPRIA TRISTEZA EM SEGUNDO PLANO

Às vezes, os entes queridos podem ficar tão desesperados que chegam a gritar para a pessoa que está morrendo: “você não pode morrer” ou “preciso que você viva!” Esse tipo de situação é muito dramática para a pessoa no final da vida.

Quando o momento da morte se aproxima, os sentimentos do acompanhante e dos familiares devem ficar em segundo plano. Ajudar quem está enfrentando a proximidade da morte significa acompanhá-lo com amor e ternura, bem como com muita calma e o máximo de paz interior possível.

3. ESTEJA PRESENTE, COMO MARIA

HOSPITAL

A doença nos desestabiliza e às vezes não temos palavras de conforto. Neste caso, o reitor do santuário de Montligeon nos aconselha a simplesmente estar presente e a dar à pessoa doente a possibilidade de falar sobre suas angústias e esperanças:

Você tem que ouvir, simplesmente estar presente. Sua presença mais solidária não vem com conversas animadas ou argumentos teológicos, mas em silêncio. Às vezes, quando você está com muita dor, a presença de um amigo que apenas segura sua mão, sem dizer nada, pode ser muito reconfortante. Podemos comparar essa presença silenciosa com a de Maria aos pés da Cruz. Maria fica em silêncio antes da morte de seu Filho. Ela não o encoraja dizendo: “você vai conseguir!” ou “você se lembra do que prometeu?” Não, Maria chora e fica em silêncio. Ela permanece ao lado de quem tanto ama.

4. PERGUNTE GENTILMENTE: “COMO VOCÊ ESTÁ SE SENTINDO?”

Ao acompanhar uma pessoa no final da vida, é essencial ouvi-la com a máxima delicadeza. Para surpresa de seus entes queridos, alguns pacientes abrem seu coração. Então, de repente, encontramo-nos conversando com eles com uma sinceridade que pode nos surpreender.

Neste caso, a pergunta: “como você está se sentindo?” pode ser libertadora: permite que o paciente fale de coração a coração com aqueles ao seu redor.

Por outro lado, às vezes isso é impossível. Se este for o caso, você não deve pressionar seu ente querido, mesmo que você sinta a necessidade de falar sobre essas coisas.

5. FALE SOBRE A FAMÍLIA

Filha apoiando sua mãe terminal

Se a pessoa no leito de morte romper o silêncio e isso ocasionar uma conversa de coração a coração, não hesite em falar sobre a família dela, para quem a proximidade da morte muitas vezes será uma provação terrível. Quando a pessoa à beira da morte pensar sobre a tristeza de seu cônjuge e filhos, seu próprio medo da morte ficará em segundo plano. A pessoa doente se tornará mais uma vez um cônjuge ou um pai/mãe que pensa nos outros e não apenas em sua própria morte.

“Às vezes, grandes milagres acontecem no último momento da vida”, diz o padre Paul Denizot. Como sacerdote, ele tem o hábito de fazer uma pergunta a quem ele acompanha na etapa final da vida: “existem coisas com as quais você ainda não está em paz?”

Em particular, ele se lembra de um homem que lhe pediu para ajudá-lo a colocar sua vida em ordem. Este homem, que era divorciado e havia abandonado a Igreja havia 40 anos, expressou um forte desejo, antes de morrer, de pedir perdão à esposa e aos filhos.

6. LEIA OS SALMOS

Se a pessoa no final da vida não estiver demonstrando abertura ou não quiser conversar, você pode sugerir (sempre com grande sensibilidade) a leitura de um salmo ao lado dela.

“Os salmos têm grande força porque expressam emoções humanas e as confiam a Deus. Assim, eles acabam representando nossos sofrimentos diante da morte”, explica o reitor de Montligeon.

Quando meu pai estava vivendo seus últimos dias, ele queria que eu recitasse para ele salmos como “De profundis” (Das profundezas eu clamo a Ti, ó Senhor) ou “O Senhor é meu pastor”.

7. DIGA “EU TE AMO”

Para os católicos, há muitas orações (como o Terço ou ladainhas à Virgem Maria e aos santos) e sacramentos (confissão, comunhão, unção dos enfermos), bem como bênçãos que podem ajudar quem está no leito de morte. Se a pessoa no final da vida não é católica, podemos simplesmente dizer-lhe: “Eu te amo”.

Podemos até simplesmente dizer isso em nossos pensamentos, olhando para a pessoa, segurando sua mão ou acariciando seu rosto. Diante da morte, o que mais importa é que a pessoa se sinta amada.

Tags:
FamíliaMorteSofrimento
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia