Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 19 Janeiro |
Santa Margarida da Hungria
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Previsões e profecias para 2022: temos que nos preocupar?

PRZEPOWIEDNIA

IgorZh | Shutterstock

Michał Lubowicki - publicado em 07/01/22

A internet está cheia de previsões e profecias sobre o nosso futuro. Mas que atitude um cristão deve ter em relação a elas?

Todo início de ano, a internet recebe uma avalanche de previsões sobre o nosso futuro. Existem até alguns sites que fazem “cálculos” e trazem expectativas de especialistas de todas as áreas possíveis.

Mas ainda mais populares são as “profecias” de supostos videntes de várias origens. Entre elas, encontramos interpretações de presságios e sinais do céu e da terra mais ou menos óbvias. Com base nisso, esses videntes vêm nos dizer o que esperar no novo ano.

As pessoas recorrem a Nostradamus, a uma infinidade de “profetas”, ao calendário maia, à astrologia e até mesmo ao sangue de São Januário.

Essas previsões são feitas em uma atmosfera de ansiedade e medo, mesmo quando se trata de um tipo de “humor apocalíptico”. Desastres e guerras, pestes e crises, catástrofes e conflitos, alguns mais terríveis e globais do que outros. Nosso futuro aparece neste tipo de mensagem, na maioria das vezes, em cores sombrias e tons dramáticos.

Curiosidade, o primeiro ingrediente…

Talvez fosse algo meramente anedótico, se não fosse pelo fato de que em nossa sociedade, que se orgulha de sua racionalidade, esse tipo de previsão parece gozar de popularidade surpreendente. Prova disso é o número de cliques nos artigos que se referem às previsões. Por que tanto interesse? E o que isso tem a ver com fé?

Atrevo-me a dizer que as principais razões para a popularidade dessas previsões são tédio e curiosidade. O final do ano, o período pós-Natal, a fase final de nossas celebrações nos fazem procurar entretenimento.

Não temos necessariamente vontade de lidar com questões sérias (haverá um ano inteiro para isso). Então nos “entretemos” com tais “curiosidades”.

Ansiedade, tão antiga quanto o homem

A segunda razão é provavelmente a ansiedade gerada por momentos decisivos, quase naturalmente. O velho termina (simbolicamente, é verdade) e o novo chega. O antigo não era fantástico, mas o novo é desconhecido.

E nós, mesmo em posse de avanços tecnológicos, continuamos a experimentar a ansiedade humana habitual sobre o futuro. E para os medos (especialmente medos inconscientes ou medos que não queremos admitir), qualquer “cura” pode parecer boa.

Embora realmente não acreditemos nelas e saibamos que todas essas profecias são construídas com base em previsões não confiável, o desejo de “olhar para as cartas de Deus” está profundamente enraizado em nós.

Notícias falsas

Soma-se a isso a enorme confusão de informações hoje em dia. Infelizmente, a maioria de nós não sabe como navegar na internet. A maioria dos usuários da internet não faz distinção entre uma coleção de contos de fadas antigos e um tratado medieval ou uma enciclopédia moderna.

Sucessivas gerações de usuários não foram ensinadas a pensar criticamente e classificar as fontes como confiáveis ou não confiáveis. Isso geralmente resulta na crença de que “uma vez que está escrito, deve ser verdade”.

Nossos problemas

Cada um de nós tem sua combinação de problemas e frustrações. Às vezes, no Instagram e no Facebook, tentamos fingir que tudo está sempre indo bem para nós, através de um largo sorriso. Mas na vida real, todos experimentamos dificuldades.

Profecias (por mais sombrias que sejam), bem como o “conhecimento para os iniciados” de vários tipos, ajudam-nos a enfrentar desconforto. Não só porque elas são uma distração. Mas também porque oferecem um tipo de “justificativa” e uma espécie de “libertação” para não ter que se preocupar com suas próprias ações e sua própria vida.

O que meus fracassos e erros significam, se o mundo está inexoravelmente direcionado para a destruição de qualquer maneira, e eles (qualquer “eles”) estão conspirando poderosamente contra pessoas de boa vontade como eu? Por que eu deveria me preocupar em trabalhar a mim mesmo e melhorar o que falhei nos últimos tempos? Afinal, alguma conspiração está sempre se aproximando!

Olhando para frente com os olhos da fé

Pode parecer que o próprio Salvador também fez parte do fluxo de previsões arrepiantes sobre o futuro. Afinal, três dos quatro evangelistas se referem ao seu discurso “apocalíptico” sobre o futuro da Cidade Santa e do resto do mundo (cf. Mt 24, Mc 13, Lc 21).

Mas tenha em mente que Cristo enfatiza que seus discípulos não devem se concentrar no que exatamente acontecerá nem quando. Em vez disso, ele nos convida a “levantar a cabeça” e ter a verdadeira esperança. Não esperar inundações, terremotos, pestes e guerras, que naturalmente aconteceram e podem continuar a acontecer. O objetivo da nossa espera e da nossa esperança é o Reino de Deus.

Acrescentou ainda esta comparação: Olhai para a figueira e para as demais árvores.Quando elas lançam os brotos, vós julgais que está perto o verão. Assim também, quando virdes que vão sucedendo estas coisas, sabereis que está perto o Reino de Deus. Em verdade vos declaro: não passará esta geração sem que tudo isto se cumpra.

Lc 21, 29-32

Durante essa espera ansiosa, o Senhor nos oferece sua Palavra. É capaz de iluminar a escuridão da nossa existência e nos explicar da perspectiva de Deus o que estamos vivendo. Ele nos dá os sacramentos, através dos quais está constantemente presente conosco em todas as nossas experiências. E isso nos dá inúmeras oportunidades de amar e ser discípulos de Jesus Cristo.

Tags:
DeusSeitasSuperstição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia