Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 24 Fevereiro |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Ela deu à luz em coma e acordou depois de ver João Paulo II

Ivana-Greco-Pope-John-Paul-II

Pope John Paul II | Shutterstock - Ivana Greco - Facebook

Silvia Lucchetti - publicado em 14/01/22

Com 32 semanas de gravidez, ela entrou em coma devido a uma hemorragia cerebral. Ela deu à luz e acordou - sem sofrer nenhum dano neurológico: João Paulo II "sorriu para mim e me tranquilizou"

Catânia (Itália), 16 de março de 2013: Rebecca Maria nasce na 32ª semana de gestação. Aparentemente como qualquer outro, um dos muitos partos prematuros que são bem sucedidos graças ao progresso da ciência e ao empenho dos médicos.

Em vez disso, a história deste parto, relatada na revista Miracoli, nos conta muito mais. A Sra. Ivana Greco, então com 33 anos, já mãe de Giuditta, segue tranquilamente sua segunda gravidez quando é atingida por uma hemorragia cerebral: no momento de dar entrada no Departamento de Reanimação do Hospital Garibaldi, ela já está em coma.

Um duplo problema surge com extrema urgência: salvar a mulher e dar à luz Rebeca Maria o mais rápido possível. Um parto em condições “extremas” que o médico chefe da enfermaria é obrigado a enfrentar, e que permite dar à luz uma menina de um 1,53 kg imediatamente transferida para a Neonatologia.

Papa Wojtyla aparece para Ivana

Voltemos a Ivana e à gravidade de sua situação clínica potencialmente fatal. Ela conta sobre sua incrível experiência assim:

O coma começou como um pesadelo. Não sei, talvez eu estivesse no quarto do hospital, mas para onde quer que eu me virasse, havia pessoas mortas vagando sem rumo. Então, de longe, vi o Papa Wojtyla. Ele estava sentado na minha cama e me chamando. Aproximei-me dele e implorei que não me deixasse morrer. Ele sorriu para mim e me tranquilizou.

Depoimento à revista Miracoli

Aquele sorriso que convidava o mundo inteiro a não ter medo: “Não tenha medo!”, e Ivana também não teme nada, amparada pelo amor de João Paulo II.

O “sonho” continua com o diálogo que se entrelaça entre eles, no qual o Santo Padre, que não estava vestido de branco, pergunta se ela o reconheceu. Ao receber a confirmação, sublinha que já não é o Papa, mas apenas Karol Wojtyla.

Como ver a história de Ivana: foi o sonho de uma pessoa em coma ou, como a ciência hoje propõe, uma “Experiência de quase morte” (EQM)?

O sopro de amor de Jesus

Ivana continua contando:

Ele estava sentado na minha cama e me disse: “Vem, sente-se ao meu lado”, então me abraçou, fez-me descansar a cabeça em seu ombro. A partir desse momento começamos a rezar. Rezamos durante dias, pedimos a intercessão de Nossa Senhora e senti a sua mão na minha testa. A certa altura, ela me disse: “Agora eu vou embora, mas você tem que ter calma!”. Eu não conseguia respirar, mas de repente senti um sopro de amor que, pelo meu nariz, encheu meus pulmões e então entendi que era o sopro de amor de Jesus!”.

Nesse momento Ivana sai do coma e percebe com horror que não tem mais nada em seu ventre.

Foi a pior experiência da minha vida!

Mas logo em seguida vê o médico-chefe, assiduamente presente ao lado dela, para tranquilizá-la e mostrar-lhe as fotos de Rebecca na incubadora. Diante dessas imagens, Ivana, com o coração cheio de gratidão, percebe que vivenciou algo sobrenatural.

Compreendi que havia recebido o sopro divino de Jesus, foi Ele quem me fez despertar. Então os médicos continuaram a obra de Deus.

A obra de Deus que não terminou com o nascimento de Rebeca sã e salva, mas continuou com a absoluta ausência de danos cerebrais para Ivana, que hoje cuida alegremente de suas duas filhas, confiadas espiritualmente à proteção de Karol Wojtyla.

Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia