Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 08 Agosto |
São Domingos de Gusmão
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Relatório sobre abusos na arquidiocese de Munique tenta implicar Bento XVI

BENEDYKT XVI O KAPŁAŃSTWIE

CPP / Polaris/East News

I. Media - publicado em 20/01/22 - atualizado em 20/01/22

“Bento XVI refuta qualquer comportamento ilícito”, reconheceu até mesmo um dos autores do relatório

Um relatório independente sobre abusos cometidos na Arquidiocese de Munique-Freising entre 1945 e 2019, apresentado em uma coletiva de imprensa em 20 de janeiro de 2022, acusa Bento XVI de “má conduta” no tratamento de quatro casos de abusos sexuais cometidos por padres, quando Ratzinger foi arcebispo da diocese da Baviera (1977-1982). Seu sucessor, o cardeal Friedrich Wetter, estaria implicado em 21 casos, e o atual arcebispo, o cardeal Reinhard Marx, em dois casos.

“Bento XVI refuta qualquer comportamento ilícito”, explicou um dos autores do relatório, o advogado Martin Pusch, durante a apresentação. O Papa emérito, que colaborou com a investigação, apresentou à comissão uma declaração de 82 páginas que vem publicada, com seu consentimento, no relatório.

Um texto que dá, segundo Martin Pusch, uma “visão autêntica” sobre a atitude que um eminente representante da Igreja Católica pode ter diante dos abusos. O advogado citou um breve trecho do relatório em que o Papa emérito explica sua atitude em relação a um padre supostamente abusador. O Papa emérito explica que o padre revelou-se um exibicionista, mas não propriamente um abusador.

Advogados questionaram o testemunho do Papa emérito sobre um caso. Bento XVI afirma ter estado ausente durante um encontro no qual foi decidido pela Arquidiocese de Munique acolher um padre de outra diocese conhecido por ter cometido abusos. O padre teria recomeçado os abusos uma vez instalado na Baviera. Os advogados, baseando-se na ata da reunião, julgaram que o depoimento do Papa emérito seria “difícil de confirmar”.

Dois outros casos envolvem clérigos abusadores que foram autorizados a permanecer ativos no cuidado pastoral sem restrições em suas atividades.

Cardeal Marx

“O abuso sexual na Igreja Católica não é um fenômeno do passado”, disse Martin Pusch, questionando a maneira como o cardeal Marx lida com casos de abuso. O clérigo alemão apresentou sua renúncia em junho passado ao Papa Francisco – este último a recusou – ao reconhecer que havia falhado em seus deveres na gestão de casos de abusos sexuais.

O cardeal Marx ainda vai se pronunciar sobre relatório. Em uma carta publicada em julho passado, ele disse que não descarta apresentar sua renúncia pela segunda vez ao pontífice.

O relatório, encomendado pela Arquidiocese de Munique, tem 1.600 páginas. Foi produzido pelo escritório de advocacia Westphahl Spilker Wastl.

A empresa identificou 235 supostos abusadores, incluindo 173 padres, bem como 497 supostas vítimas. 60% dos abusos teriam sido cometidos em crianças entre 8 e 14 anos. A maioria dos crimes teria acontecido nas décadas de 1960 e 1970.

Reação da Santa Sé

O diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Matteo Bruni, disse aos jornalistas: “a Santa Sé considera que se deve dar a devida atenção ao documento, cujo conteúdo é atualmente desconhecido. Nos próximos dias, após sua publicação, ela tomará visão e poderá examinar oportunamente seus detalhes”.

“Ao reiterar o sentimento de vergonha e remorso pelo abuso de menores cometido por clérigos – lê-se a nota vaticana -, a Santa Sé assegura a proximidade a todas as vítimas e confirma o caminho tomado para proteger os mais pequeninos, garantindo-lhes ambientes seguros”.

Tags:
Abusos SexuaisBento XVIVaticano
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia