Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 24 Fevereiro |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Venda de livros cresce no Brasil em 2021

Jeune femme en train de lire un livre

© Shutterstock - ipantic

Ricardo Sanches - publicado em 26/01/22

Pesquisa confirma que brasileiro reencontrou o hábito da leitura durante a pandemia; venda de livros religiosos também registra alta

O mercado editorial brasileiro registrou crescimento em 2021. Segundo pesquisa da Nielsen BookScan divulgada pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), a venda de livros aumentou 29,3% em unidades, na comparação com o ano de 2020.

Quanto ao faturamento, houve alta de 29,2% no mesmo período. O setor registrou R$2,28 bilhões em 2021, contra R$ 1,76 bilhões no ano anterior. Ao todo, foram comercializados 55 milhões de livros em 2021. Já em 2020, este número foi de 42 milhões de unidades comercializadas.

O levantamento inclui as vendas feitas tanto em livrarias físicas quanto nas virtuais.

Hábito de leitura na pandemia

De acordo com o presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros, Dante Cid, o distanciamento social imposto pela pandemia fez os brasileiros se reencontrarem com o hábito da leitura, o que impulsionou as vendas de livros. “Ficamos muito felizes com os resultados, por ter demonstrado que a retomada do hábito de leitura permaneceu forte, mesmo sob todas as complexidades do ano que passou. Para o ano que se inicia, a inflação em elevação traz um novo desafio, e precisaremos manter a resiliência demonstrada pelo setor até agora”, afirma Cid.

Livros religiosos

A pesquisa ainda não detalhou os gêneros mais vendidos. Porém, de acordo com o presidente do sindicato, os livros religiosos, de autoajuda e de ficção tiveram vendas acima da média dos demais segmentos.

Leitura católica

A tendência de crescimento do hábito de leitura de obras religiosas é uma realidade nos clubes de leitores católicos. Na “Minha Biblioteca Católica“, por exemplo, houve um aumento de 20% na base de assinantes em 2021, em comparação com o ano anterior. Em relação à receita, o aumento foi da ordem de 30%. “Atribuímos esse crescimento ao aumento do interesse do público em formação, leitura e conhecimento de maneira geral e também às nossas pesquisas junto ao público para lançarmos produtos e ofertas mais condizentes com suas expectativas”, explicou o co-fundador do clube, Matheus Bazzo.

Para ser membro do clube Minha Biblioteca Católica, é preciso pagar uma assinatura. O assinante recebe mensalmente em casa uma caixa com um livro, além de outros ítens temáticos (guias de leitura, ícones de santos ou marca-páginas).

Tags:
BrasilCulturaEconomiaPandemiaReligião
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia