Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 08 Agosto |
São Domingos de Gusmão
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Equipe liderada por neurocientistas brasileiras faz descoberta promissora contra Alzheimer

Neurocientistas brasileiras fazem descoberta relevante sobre Alzheimer

Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 09/02/22

A descoberta pode ajudar a desenvolver possíveis medicamentos para prolongar a saúde das células

Uma equipe liderada por neurocientistas brasileiras fez descobertas promissoras para o combate ao mal de Alzheimer: a pesquisa identificou uma proteína que funciona como um marcador do envelhecimento do cérebro, já que a sua quantidade vai sendo reduzida nas células nervosas à medida que envelhecemos. A descoberta ajuda a entender mudanças funcionais e, portanto, a desenvolver possíveis medicamentos para prolongar a saúde das células, evitando o Alzheimer.

Segundo o estudo, publicado na revista científica Aging Cell, a proteína em questão é a lamina-B1. A coordenadora da pesquisa, Flavia Alcântara Gomes, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ICB/UFRJ), comenta que a novidade do trabalho foi “encontrar um marcador que identifica as células envelhecidas no cérebro”.

A equipe coordenada pelas neurocientistas brasileiras analisou 16 amostras cerebrais de pessoas de meia idade e de 14 de idosos para investigar transformações nos astrócitos, células nervosas que dão sustentação e ajudam a controlar o funcionamento dos neurônios. A lamina-B1, por sua vez, ajuda a preservar o núcleo dos astrócitos, o que é necessário para que eles consigam cumprir a sua função. Por isso mesmo, a lamina-B1 “é um indicador de que os astrócitos estão envelhecidos”, explica Flávia.

Segundo a co-autora do estudo Isadora Matias, do mesmo laboratório, é preciso agora aprofundar os estudos sobre a possibilidade de interromper ou mesmo reverter o envelhecimento dos astrócitos, normalizando a concentração de lamina-B1. O processo de envelhecimento, no entanto, é complexo e envolve muitos outros fatores além da lamina-B1. “Mas já será muito importante usar o que aprendemos com essa proteína capaz de dar o sinal de alerta de envelhecimento precoce”, ressalta Isadora.

Várias pesquisas estão em andamento com a finalidade de retardar o envelhecimento – algumas alegam até mesmo buscar a “imortalidade humana“. Há sinais de alerta éticos a levar em conta:

Tags:
CiênciaSaúdeVida
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia