Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 16 Agosto |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

5 pensamentos que enfraquecem o casal

shutterstock_1893861547.jpg

Jorm S I Shutterstock

Mathilde de Robien - publicado em 23/02/22

Quando o casal se forma cada cônjuge chega com suas ilusões, que podem até ser inconscientes. Mas essas falsas crenças, se não forem questionadas, desestabilizam o relacionamento

Crenças oriundas dos contos de fadas e nossas aspirações mais profundas, mas que às vezes se chocam brutalmente com a realidade, podem enfraquecer o casal. No livro Les cinq croyances qui empêchent d’être heureux en couple (“As cinco crenças que impedem o casal de ser feliz”) Camille Rochet, psicóloga e terapeuta de casais há dez anos, decifra esses mecanismos que desequilibram o relacionamento romântico e dá boas dicas para para superar essas crenças e pensamentos.

1“Um dia meu príncipe virá”: o mito da pessoa boa

PRINCE.jpg

É uma herança dos contos de fadas da nossa infância: algumas pessoas ficam procurando a única pessoa que seria capaz de fazê-las felizes por toda a vida. Esperança vã, na medida em que a alma gêmea não existe. No entanto, muitos estão convencidos de que encontraram a pessoa certa!

“Nós nos damos tão bem! Parece que ele pode ler minha mente!”, dizem. Mas será que existe mesmo uma pessoa que combina perfeitamente conosco? Se tal cumplicidade é invejável, não basta construir uma vida juntos. Segundo Camille Rochet, nesta situação, “o nós é abandonado em favor do eu. Antes de amar essa outra pessoa, eu me amo através desse espelho narcisista. Minha reflexão assim valorizada corresponde necessariamente em todos os aspectos às minhas expectativas. Eu não amo o príncipe, mas a princesa que vejo nos olhos do meu príncipe. Eu gosto do fato de me tornar uma princesa porque um príncipe me transforma assim.”

Para construir uma vida juntos, o amor narcísico deve ser transformado em amor altruísta: “O eu deve dar lugar ao você ”, especifica a psicóloga. “Você vai permitir que outro seja a pessoa certa para você. E você mesmo trabalhará diariamente para ser a pessoa certa para seu cônjuge. Abordamos então a experiência do amor verdadeiro: não amo o outro apenas pela imagem que ele me envia, mas pelo que ele é.”

2“Os opostos se atraem”: o mito do amor e do desenvolvimento pessoal

AIMANTS.jpg

Alguns permanecem particularmente atraídos por pessoas que se opõem a eles. Ficam admirados e, inconscientemente, procuram adquirir para si traços, qualidades que encontram no outro. “Procuramos o cônjuge que nos impulsione a fazer esse trabalho em nós mesmos, tendo as qualidades que não ousamos liberar em casa ou que gostaríamos de possuir”, observa Camille Rochet. No entanto, buscar o próprio desenvolvimento pessoal através do outro não é garantia de amor duradouro. Ainda mais quando tendemos a idealizar o que não temos e que nos parece uma fonte de felicidade. “Por outro lado, há uma forma do desconhecido e, portanto, às vezes de idealização”, alerta a psicóloga.

“Os opostos se atraem” continua sendo uma crença falsa se for um fim em si mesmo. Por outro lado, pode ser muito rico se houver um vínculo suficientemente sólido graças ao que o casal tem em comum. “Se esse vínculo é forte o suficiente, nossas diferenças nos enriquecem sem nos dividir. Mas quando esse vínculo perde sua solidez, a diferença torna-se ameaçadora.”

3Paixão a todo custo: o mito de Romeu e Julieta

ROMEO.jpg

A literatura está repleta de histórias de amor, em que as leis do coração têm precedência sobre as leis da razão. Alguns aspiram a tal amor tão profundo, que jamais cessaria. Eles só dizem que amam quando sentem frio na barriga. Não é confuso, neste caso, o amor, que procura fazer parte da duração, e as emoções, que vêm e vão? “É bem possível amar sem sentir desejo pelo outro no dia a dia”, garante Camille Rochet.

“Se me sinto bem, devo estar certo; se não me sinto bem, também estou certo!”, observa a psicóloga. “Minhas emoções falam por mim e pelos outros. Se sinto paixão por uma nova pessoa, é porque certamente não devo mais amar meu cônjuge; se sou feliz em tal contexto, devo preservá-lo, sem pensar nas possíveis consequências para meus entes queridos”. Uma avassaladora de emoções que Camille Rochet lamenta e alerta: “Não podemos apenas ouvir nossas emoções, elas não podem ser os únicos governantes de nossas vidas.”

4“Comigo ele vai mudar”: o mito do super-herói

SUPERWOMAN.jpg

Quem não alimentou um dia a esperança secreta de ver seu cônjuge mudar? Pessoas que pensam assim têm a íntima convicção de que seu amor pode transformar o outro. “O super-herói salvará o mais fraco, aquele que não consegue superar uma dificuldade sozinho, que depende de outro para conseguir sair de uma situação desconfortável”, descreve Camille Rochet. Um jogo perigoso que pode levar a falhas e frustrações. “Assim, quando percebo que o outro não evolui, mantém sua fraqueza, luta contra ela sem superá-la, eu me sinto impotente e derrotado. Eu me ressinto por minha esposa me colocar nesse estado depreciativo e sem esperança. Eu a culpo pelo meu desconforto e sua incapacidade de se tornar quem eu gostaria que ela fosse. Me sinto traído e prefiro recuperar minha liberdade!”

Um sentimento de traição que está enraizado nesta falsa crença: “Não consegui mudá-la e estou convencido de que ele não me ama o suficiente para querer mudar. Esse mito do super-herói sugere, portanto, que nosso papel seja ajudar o outro a se tornar a pessoa que consideramos a melhor para ela, mas também que sua mudança seja a prova de seu amor por nós. “Um impasse com sérias consequências”, disse a psicóloga.

5“A vida é um mar calmo”: o mito do amor sem conflitos

FLEUVE.jpg

Todos almejam a paz no casal, mas ninguém a alcança. Amor sem conflito é uma ilusão. Como os cônjuges são dois seres diferentes e imperfeitos, as divergências são inevitáveis. Mas, felizmente, elas estão longe de ser fatais para o casal. Pelo contrário, o conflito pode até ser uma oportunidade de crescimento, pelo menos para nos conhecermos melhor.

Alguns temem tanto o conflito que preferem ficar quietos e esperar a tempestade passar. “O medo do conflito, em muitos de nós, vem do medo da dominação”, analisa Camille Rochet, “porque existe o risco de que o conflito de poder entre os cônjuges resulte em uma relação do tipo dominante/dominado”. Uma má estratégia, aliás, porque é fugindo dela que damos poder ao outro. O risco é, portanto, depois de alguns anos, explodir à força de tanta submissão não reconhecida. “O cônjuge que aprendeu a ficar calado finalmente decide se afirmar. Simplesmente, é a raiva que fala e não o desejo de viver um belo conflito. A opinião do outro torna-se insuportável, o ex-submisso vê como ataque qualquer desacordo com seu ponto de vista. O medo da dominação faz com que ele se torne dominante por sua vez. Ele explode a cada comentário e acredita que está passando por uma grave injustiça. Ele perdeu toda a confiança na capacidade de seu cônjuge de querer encontrar um resultado favorável para o casal. “Uma falsa crença que, portanto, não é trivial para a boa saúde do casal.”

5 pensamentos que enfraquecem o casal
Leia também:
Tags:
AmorCasamentomaridoMulherPaixão
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia