Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 12 Agosto |
Santa Joana Francisca de Chantal
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Começa a guerra na Ucrânia: Igreja abrigará pessoas e cuidará de feridos

Guerra na Ucrânia

Aid to the Church in Need

Francisco Vêneto - publicado em 24/02/22 - atualizado em 24/02/22

Arcebispo católico de Lviv: "Organizamos cursos de primeiros socorros para sacerdotes, religiosos e leigos. Estamos preparados para receber pessoas nas igrejas e fornecer comida e água"

A temida guerra na Ucrânia entre as forças invasoras da Rússia e as tropas locais de defesa começou na manhã desta quinta-feira, 24 de fevereiro, pelo horário local – ainda era noite de quarta no Brasil.

O presidente Vladimir Putin declarou que o ataque russo visa proteger os separatistas das províncias ucranianas orientais de Luhansk e Donetsk, cuja proclamação de independência foi reconhecida por Moscou nesta semana. Entretanto, já foram registradas explosões e movimentações militares também em outras regiões da Ucrânia, incluindo a capital, Kiev, que já vive uma onda de pânico e grandes engarrafamentos pela tentativa de fuga de milhares de seus habitantes. O comando militar da Ucrânia confirmou que país está sofrendo ataques por mísseis. Putin afirmou que quem tentar interferir “sofrerá consequências nunca vistas”.

Igreja se prepara

Ainda nesta segunda-feira, 21 de fevereiro, o arcebispo metropolitano católico latino Mieczyslaw Mokrzycki, de Lviv, na Ucrânia, declarou que a Igreja está preparada para abrigar pessoas em seus templos, fornecer comida e água e cuidar de feridos.

Mokrzycki estava em visita à sede da Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN) em Königstein, na Alemanha, onde afirmou que a Igreja Católica na Ucrânia ainda mantinha a esperança em negociações de paz e soluções diplomáticas para a crise entre o país e a Rússia.

Última palavra é de Deus

O arcebispo acrescentou que a última palavra no conflito é de Deus:

“O público em geral e a mídia estão se concentrando nos fatores humanos dessa equação: líderes políticos, diplomatas, estratégias, exércitos… Mas, no final, a vontade de Deus sempre tem a última palavra. O que quer que Ele permita será o fator decisivo. É por isso que não podemos parar de suplicar por orações. Podem ter certeza: as nossas orações podem mudar o curso deste conflito”.

Ações de ajuda à população nas igrejas católicas

Embora não tivessem começado até então os ataques quando Mokrzycki fez essas declarações, havia ações militares em franco andamento e era iminente o início do conflito. Ele próprio confirmou, ainda na segunda-feira, que já havia refugiados ucranianos no oeste do país e que a Igreja havia alugado algumas casas vazias para acomodá-los.

“Estamos preparados para receber pessoas em nossas igrejas e fornecer comida e água. Organizamos cursos de primeiros socorros para sacerdotes, religiosos e leigos, para poderem cuidar de feridos em caso de emergência”.

Esperanças e orações

Mesmo com a iminência da guerra, o arcebispo católico latino de Lviv reforçava as esperanças de um compromisso diplomático:

“Enquanto as pessoas ainda estiverem conversando, é possível vislumbrar a esperança. A guerra não traz soluções, apenas destruição, sofrimento e falta de paz”.

Mokrzycki agradeceu vivamente a solidariedade internacional para com os ucranianos:

“Somos muito gratos a toda a Igreja, especialmente ao Papa Francisco, que lançou um apelo mundial à oração pela Ucrânia. Gostaria de repetir este apelo: continuem rezando! Continuem orando, até que a paz final aconteça”.

Tags:
GuerraIgreja Católicasolidariedade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia