Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 22 Abril |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Nojo do cônjuge?

nojo do cônjuge

SHUUTERSTOCK

Pe. Zezinho - Reportagem local - publicado em 28/02/22

Pe. Zezinho: "não é assunto para qualquer padre resolver"

Nojo do cônjuge! O pe. Zezinho tocou num tema delicado, mas de crucial importância para a dignidade elementar da convivência matrimonial: a repugnância provocada por um cônjuge que perde o respeito pelo outro e por si mesmo a ponto de negligenciar a própria higiene básica.

Admitindo que este “não é assunto para qualquer padre resolver”, o pe. Zezinho comentou em sua rede social:

“Nara M. perguntou se é pecado sentir nojo do marido! E explicou que tudo mudou desde o casamento há três anos.

Ele chegava tarde com bafo de pinga e cerveja. Não se lavava. Não escovava os dentes. Não trocava de calças e camisas. Não cuidava da higiene dos órgãos sexuais. Exigia relações mesmo assim! Qualquer mulher teria nojo! É um nojo instintivo. Falar em pecado numa situação dessas é admitir que a esposa tem que agradar o marido em qualquer situação, mas o marido não tem que agradar a esposa! Isto vai contra tudo o que se entende por matrimônio.

Agir desta maneira contra a esposa é uma forma de traição. Não foi isto que ele prometeu ao se casar com ela”.

“Só o amor não vai resolver”

O padre prosseguiu, a respeito do triste panorama a que se chega quando se tem nojo do cônjuge por causa do seu desprezo por si mesmo e pelo outro:

“Nenhum confessor diria que ela deve se separar. Mas ele já se separou do leito comum. Quando ele chega cheirando bebida e roupa suja e se nega a tomar banho, ela tranca a porta e o manda para o outro quarto. Mas assim mesmo, ele não se corrige.

Um bom psicólogo ajudaria, conversando de homem para homem, mas ele já mudou três vezes de psicólogo. No caso, há uma tortura mental a que o marido a submete! Uma visita a um especialista em direito e um conselheiro católico formado em psicologia e direito canônico explicaria se isto constitui humilhação da mulher pelo marido brutamontes. É assim que a Igreja funciona. Não é assunto para qualquer padre resolver. Mas há padres e leigos especializados em comportamento humano e distúrbios comportamentais.

Ela ainda sente amor por ele, mas o nojo que sente não ajuda a relação entre os dois. Só o amor não vai resolver esta relação! Sem mudança de comportamento da parte dele, é desrespeito e traição! Prometeu uma coisa e, em poucos meses, negou a ela o respeito que a esposa merece”.

Tags:
AmorCasamentoFamília
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia