Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 01 Março |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Como fazer com que um filho adolescente mude?

PARENTS YELLS AT THE SON,

threerocksimages | Shutterstock

Dolors Massot - publicado em 03/03/22

Mude para melhor, você entende. Como fazer com que ele ouça seus pais e os ouça? Um psiquiatra propõe uma solução

Na adolescência, há um componente – até biológico – de rebeldia, o que dificulta o gerenciamento de muitos pais.

É um grande desafio conversar com meninos e meninas de 12, 14 e 16 anos, que “de uma hora para outra passaram de admirá-lo a ignorá-lo, ou pior ainda, a odiá-lo como se você fosse o inimigo”, diz Ana, mãe de dois jovens que medem mais de 1,80.

Ontem eles eram doces e carinhosos e agora tenha cuidado para se aproximar. “Eles não prestam atenção às razões, fecham-se no quarto, querem se desligar de tudo, menos do celular, da música e dos amigos. Eles têm de ser caçados para fazer as tarefas domésticas.” Isso parece familiar para você? S.O.S.

Atitudes

Quando isso acontece, o que podemos fazer com os adolescentes, quando eles estão em um momento em que os pais veem que há necessidade de corrigi-los e orientá-los em seu comportamento, mas eles tomam isso como uma agressão?

O que os especialistas dizem sobre a educação de adolescentes? Como fazer para que um adolescente mude de comportamento?

O psiquiatra Luis Gutiérrez Rojas afirma:

“Não há varinha mágica, mas a verdade é que, para alcançar a felicidade e a estabilidade na vida, é necessário aceitar a si mesmo, como se é. E como podemos fazer isso? A melhor maneira de fazer com que uma pessoa (filho, marido, esposa…) mude é não dizer “você tem que mudar, você tem que fazer isso ou aquilo”. Isso é de pouca utilidade.

O truque

Na opinião desse médico, que acaba de publicar o livroLa Belleza De Vivir. Todos Los Problemas Tienen Solución (Ciudadela), no qual ele lida com esta e muitas outras questões, “o truque é dizer às pessoas como elas são; isto é, quais vantagens e desvantagens seu comportamento tem”.

Em vez de dar lições teóricas sobre como eles devem se comportar ou dizer-lhes que fazem tudo errado, o psiquiatra incentiva pais e educadores (e, finalmente, todos) a dar a mensagem de maneira diferente: é preferível fazer com que a pessoa descubra como ela é. Porque você pode não ter notado, ou agora começará a vê-lo mais claramente porque vê as consequências do seu comportamento.

Virada

“Quando alguém se dá conta e percebe que realmente prejudica, há um ponto de virada”, disse Gutiérrez Rojas. Ele percebe que é conveniente para ele mudar…, mas muitas vezes ele não sabe como fazer isso, então pode pedir ajuda.”

E ele acrescenta: “portanto, não se trata tanto de ficar dando sermões”. É mais um jeito de garantir que as pessoas se amem e não fiquem o tempo todo apontando o ruim, algo muito típico dos pais e das mães com os filhos.

“Quando uma pessoa sabe quais são seus pontos fortes, ela ganha autoestima e tem muito mais habilidades para lidar com a vida.”

Tags:
EducaçãoFamíliaFilhos
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia