Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 25 Setembro |
Santo Aunacário ou Aunacário
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Antes de meu pai morrer de câncer eu lhe perguntei: “Você acredita na vida eterna?”

Sara-Capobianchi.jpg

Sara Capobianchi

Sara Capobianchi e o pai: testemunho de amor e fé

Silvia Lucchetti - publicado em 16/03/22

Um forte e emocionante testemunho de fé e amor

Sara Capobianchi nos conta a história de seus pais Fausto e Fiorella. Ela quis “compartilhar um pequeno testemunho de fé e amor que eles deram”.

Foi o que a própria Sara escreveu em um e-mail para a redação da Aleteia há alguns meses.

Se eu tivesse que resumir o que Sara compartilhou comigo por telefone, eu diria “vida eterna”. Aqui está um pouco da nossa conversa.

Aleteia: Sara, você poderia se apresentar?

Meu nome é Sara, tenho 30 anos. Eu sou a segunda de três filhos e queria contar a história dos meus pais para dar um pequeno testemunho de fé, para dar glória a Deus. Meus pais eram Fausto e Fiorella. Eles se casaram em 1987 em Roma, a cidade onde moramos, quando tinham 23 anos. No ano seguinte ao casamento, eles tiveram uma menina, Ambra, que morreu aos quatro meses de idade devido a malformações genéticas. Depois, meu irmão Alessio e eu nascemos. Meus pais vieram de famílias cristãs, mas não eram praticantes. Só íamos à missa nos feriados. Mas Deus, que é um Deus bom, chamou-os a Si por um acontecimento doloroso: pela doença de minha mãe. 

Quando sua mãe ficou doente?

Em 2001, mamãe descobriu que tinha um tumor maligno no cérebro. Os médicos lhe deram apenas alguns meses de vida. O desespero se espalhou pela nossa casa e tomou conta dos meus pais. O único desejo da minha mãe era nos ver crescer. Nós tínhamos dez e cinco anos. Nesse período de tristeza, desânimo e angústia, meus pais foram convidados por alguns de seus amigos para ouvir algumas catequeses na igreja sobre esperança e fé. Primeiro foi meu pai, e logo depois a minha mãe. Assim eles se aproximaram de Deus e começaram a fazer um caminho espiritual.

“O amor de Deus e de toda a Igreja sustentou-nos sempre”

Depois que ela foi diagnosticada com câncer, o que aconteceu?

Nenhuma esperança foi dada. Os especialistas que a trataram disseram que o tumor era inoperável e que, infelizmente, não havia nada que pudessem fazer. Meus pais não desistiram; eles não podiam desistir. Para minha mãe, a ideia de nos deixar era angustiante. Ainda éramos crianças e ela precisava de mais tempo. Meu pai conseguiu encontrar um médico no norte da Itália que estava disposto a operá-la. Mamãe fez uma cirurgia, que pela graça de Deus correu bem. E o Senhor lhe deu mais 15 anos de vida. Deus aceitou o desejo dela de nos ver crescer e, apesar das várias dificuldades e problemas causados ​​pela doença, minha mãe nunca deixou de acreditar e ir à Igreja.

Que legado o testemunho dela lhe deixou?

O amor de Deus e de toda a Igreja sustentou-nos sempre, tanto na sua doença como no momento da morte. Deus me permitiu conhecê-lo através desta dolorosa experiência, para que eu pudesse testemunhar que ele não salva do sofrimento, mas no sofrimento, e que ele não nos protege da morte, mas na morte, sem nunca nos abandonar. Deus está conosco, não importa o que aconteça conosco. E isso foi um lembrete para meu pai quando ele descobriu que também estava doente.

“Deus não salva do sofrimento, mas no sofrimento; ele não nos protege da morte, mas na morte”

Quando seu pai começou a ficar doente?

Em 2019, meu pai foi diagnosticado com câncer de cólon. Apesar das duas cirurgias por que passou e dos vários tratamentos que recebeu, a doença progrediu rápido o suficiente para se espalhar por todo o corpo. Quando o médico me disse que papai tinha apenas algumas semanas de vida, minha fé vacilou. Ele precisava que dizer ao meu pai que ele tinha muito pouco tempo. Eu queria que ele se preparasse.

Então, naquele dia, antes de contar a ele o que o médico havia me falado, eu me aproximei dele, ele provavelmente já estava sabendo de tudo, e fiz uma pergunta que era muito importante para mim. Perguntei a ele: “Pai, você acredita na vida eterna?” E ele respondeu: “Sim, acho que sim”.  Ele disse isso em um tom forte, determinado e sério. Só então pude contar a ele toda a história.

Como você lidou com os últimos momentos da vida dele?

Ele tinha certeza de sua fé. Eu tinha certeza de que, apesar de tudo, papai pensava que “Deus tinha feito tudo certo em sua vida”. Os últimos dias que passei com ele em oração foram para mim imensas dádivas que guardarei para sempre em meu coração. A herança mais bela, o bem mais precioso que ele me transmitiu é este: a fé . O Senhor me permitiu estar perto de papai até o fim, até que, cercado de amor, em maio de 2021, ele voltou para a Casa do Pai, onde tenho certeza que minha mãe e minha irmã o esperavam.

“Com este pequeno testemunho espero dar uma pitada de coragem a todos aqueles que se sentem esmagados pela vida”

Seu funeral também foi uma grande festa. Com sua vida, papai tocou o coração de muitas pessoas. A profissão do credo que foi cantada na igreja foi um selo para toda essa história. Pode parecer apenas uma história triste, cheia de sofrimento e morte, mas na realidade, no meio de tudo isso, sempre brilhou o imenso amor de Deus, que nunca nos abandonou e nunca o fará. Com este pequeno testemunho espero dar uma pitada de coragem a todos aqueles que se sentem esmagados pela vida. Incentive-se! O Senhor está conosco. Sempre.

Tags:
AmorCâncerFilhospais
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia