Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 04 Outubro |
São Francisco de Assis
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

6 fatos cruciais sobre a consagração da Rússia e da Ucrânia a Maria

Consagração da Rússia

CC

Francisco Vêneto - publicado em 18/03/22

A consagração da Rússia já não tinha sido feita? O que significa esta nova consagração?

O Papa Francisco anunciou recentemente que, no próximo dia 25 de março, consagrará a Rússia e a Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria.

Destacamos a seguir 6 informações de alta relevância para compreender melhor o significado deste ato:

1 – Qual é o motivo desta consagração?

O principal motivo é que a própria Santíssima Virgem, nas suas aparições de 1917 aos três pastorinhos de Fátima, em Portugal, pediu expressamente que a Rússia fosse consagrada ao seu Imaculado Coração.

Durante as aparições, Nossa Senhora revelou um segredo em três partes, sendo que a segunda parte anunciava o fim da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), mas avisava que outra começaria durante o pontificado de Pio XI caso a humanidade continuasse ofendendo a Deus e caso a Rússia não fosse consagrada ao seu Imaculado Coração.

De acordo com a irmã Lúcia dos Santos, que na época era uma das três crianças videntes de Fátima e que hoje está em processo de beatificação, Nossa Senhora afirmou:

“Virei pedir a consagração da Rússia ao meu Imaculado Coração e a Comunhão reparadora nos primeiros sábados. Se os meus pedidos forem ouvidos, a Rússia se converterá e haverá paz; se não, ela irá espalhar os seus erros pelo mundo, causando guerras e perseguições à Igreja. Os bons serão martirizados; o Santo Padre vai ter muito que sofrer; várias nações serão destruídas. No fim, o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre vai consagrar a Rússia a mim e ela se converterá, e um período de paz será concedido ao mundo”.

Vale recordar que o Imaculado Coração de Maria é uma devoção que representa a própria Nossa Senhora, assim como o Sagrado Coração de Jesus simboliza Jesus por inteiro. Os fundamentos dessa devoção começaram a ser apresentados por São Bernardo de Claraval, mas a devoção atual foi consolidada e divulgada por São João Eudes, sacerdote francês do século XVII, com aprovação pontifícia no início do século XIX. A festa entrou no Calendário Geral Romano em 1944, fixada em 22 de agosto, oitava da Assunção de Maria. O Imaculado Coração costuma ser representado com sete feridas, transpassado por uma espada que simboliza as sete dores de Nossa Senhora.

2 – A consagração da Rússia já não foi realizada?

Perduram entre alguns grupos de católicos algumas interpretações de que a consagração da Rússia ao Imaculado Coração ainda não teria sido consumada, de modo explícito e formal, de acordo com o pedido de Nossa Senhora.

De fato, após as aparições de Fátima, já houve ao menos 7 atos de consagração do mundo ao Imaculado Coração de Maria, realizados pelos Papas. Foram eles:

  • 31 de outubro de 1942: Pio XII faz uma consagração do mundo inteiro ao Imaculado Coração de Maria.
  • 7 de julho de 1952: Pio XII consagra os povos da Rússia ao Imaculado Coração de Maria, em sua carta apostólica Sacro Vergente Anno: “Tal como alguns anos atrás consagramos a humanidade inteira ao Imaculado Coração da Virgem Maria, Mãe de Deus, também hoje a consagramos e de forma especial confiamos todos os povos da Rússia a este Imaculado Coração”.
  • 21 de novembro de 1964: Paulo VI renova a consagração da Rússia ao Imaculado Coração, na presença dos Padres do Concílio Vaticano, mas sem a participação deles.
  • 13 de maio de 1982: São João Paulo II convida os bispos do mundo a se unirem a ele para consagrar o mundo e, com ele, a Rússia ao Imaculado Coração. Muitos não receberam o convite a tempo da viagem do Papa a Fátima, onde ele fez a consagração. A irmã Lúcia diz, mais tarde, que as condições não foram cumpridas.
  • Outubro de 1983: durante o Sínodo dos Bispos, São João Paulo II renova a consagração de 1982.
  • 25 de março de 1984: São João Paulo II, “unido a todos os pastores da Igreja por um vínculo especial sob o qual eles constituem um corpo e um colégio”, consagra “o mundo inteiro, especialmente as pessoas cuja situação vos leva a ter por elas um amor e solicitude particulares”. Em correspondência de 29 de agosto de 1989, a Irmã Lúcia afirma que a consagração da Rússia “foi feita” e que “Deus manterá a Sua palavra”. De fato, subseguem-se eventos significativos, como a queda do Muro de Berlim (9 de novembro de 1989) e a dissolução da União Soviética (25 de dezembro de 1991).
  • 13 de outubro de 2013: o Papa Francisco consagra o mundo ao Imaculado Coração de Maria.

3 – Qual desses atos de consagração da Rússia foi válido?

Válidos foram todos, mas as pessoas que ainda divergem sobre a consagração da Rússia sustentam que nenhum desses atos seguiu à risca as instruções de Nossa Senhora nas aparições em Fátima, de modo que, segundo essa opinião, ainda seria preciso realizar de modo explícito, exclusivo e solene uma consagração específica da Rússia, e não do mundo inteiro ou “misturada” com a consagração de outros povos.

No entanto, a própria Irmã Lúcia afirmou, mediante uma carta escrita em 1989, que o Papa São João Paulo II satisfez o pedido de Nossa Senhora para a consagração da Rússia em 1984. Naquela época, Ucrânia e Rússia eram duas das 15 repúblicas que formavam a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Outras autoridades da Igreja, incluída a Congregação para a Doutrina da Fé do Vaticano, também afirmaram que esta consagração satisfez os requisitos.

4 – Quais são as alegações de quem afirma que a Rússia ainda não foi consagrada?

Quem contesta que a Rússia tenha sido validamente consagrada enfatiza que:

  • Os Papas consagraram o mundo, mas não especificamente a Rússia, e tampouco em união com todos os bispos.
  • A Rússia não se converteu, o que Maria prometeu que aconteceria caso a consagração fosse feita.

5 – Quais são os argumentos de quem afirma que a Rússia foi, sim, consagrada?

Quem considera que a consagração está feita e é válida observa que:

  • A própria Irmã Lúcia, que foi quem recebeu a mensagem de Maria, declarou que a consagração da Rússia foi feita pelo Papa João Paulo II em 25 de março de 1984, acrescentando que “Deus manterá a Sua palavra“.
  • Em 26 de junho de 2000, a Santa Sé revelou o terceiro segredo de Fátima e afirmou que a consagração estava feita. A revelação foi feita pelos cardeais Bertone e Ratzinger – e Ratzinger viria a ser eleito Papa como Bento XVI.

Quanto à conversão da Rússia, é verdade que este fruto ainda é um fato amplamente questionável, mas também é verdade que existe por parte de todos os católicos a responsabilidade de rezar o terço todos os dias e manter a devoção dos 5 primeiros sábados. Ao fazerem parte de um mesmo pedido de Nossa Senhora, a consagração da Rússia e as nossas responsabilidades de oração, devoção e conversão pessoal parecem ter um vínculo direto com a promessa de conversão da Rússia e de um período de paz no mundo.

6 – Por que o Papa Francisco vai consagrar a Rússia e a Ucrânia em 25 de março de 2022?

Os bispos católicos de rito latino da Ucrânia pediram que o Papa Francisco realizasse esta consagração devido à presente invasão russa ao território ucraniano. Em carta de 2 de março, eles solicitaram que o pontífice “realize publicamente um ato de consagração da Ucrânia e da Rússia ao Imaculado Coração de Maria, como a Santíssima Virgem solicitou em Fátima”.

O pedido foi prontamente acatado e o Papa Francisco determinou que a consagração será feita no próximo dia 25 de março, festa da Anunciação do Anjo a Nossa Senhora. Trata-se de uma data litúrgica, aliás, que São Luís Maria Grignion de Monfort recomendou como especial para quem deseja realizar sua consagração pessoal a Maria.

De fato, 25 de março foi a data escolhida pelo Papa São João Paulo II para fazer a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria em 1984.

E por que consagrar um país tantas vezes? Se a consagração já foi feita, não basta uma?

É preciso entender que a palavra “consagração” quer dizer reservar alguém ou algo para um propósito sagrado. A Congregação para o Culto Divino descreve a consagração a Nossa Senhora, por exemplo, como um “reconhecimento consciente do lugar singular que Maria de Nazaré ocupa no Mistério de Cristo e da Igreja, do valor exemplar e universal do seu testemunho evangélico, da confiança na sua intercessão e da eficácia do seu patrocínio”. Esse ato, portanto, não tem limite de vezes para ser realizado, renovado, reforçado. Só o Papa São João Paulo II, de fato, consagrou o mundo a Maria três vezes durante o seu pontificado.

Tags:
consagraçãoGuerraNossa SenhoraRússiaUcrânia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia