Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 22 Maio |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Igreja vira abrigo na Ucrânia e reúne fiéis para rezar pelo fim da guerra

Modlitwa

Marcin Nowak/REPORTER

Katolicka Agencja Informacyjna - publicado em 21/03/22 - atualizado em 21/03/22

Além de abrigar pessoas que deixaram suas casas por causa da guerra, todos os dias a paróquia promove missas, adoração do Santíssimo e oração do Terço. No centro de Jitomir, católicos, protestantes e ortodoxos rezam juntos pela paz

Em entrevista à Rádio Vaticano, Pe. Jarosław Olszewski aponta que a Divina Misericórdia se torna muito tangível em tempos de guerra. O padre palotino trabalha na Paróquia da Divina Misericórdia em Jitomir, Ucrânia. Todas as noites, as pessoas se reúnem nas criptas da igreja, e os mais necessitados recebem suprimentos básicos de alimentação e assistência médica.

No início não havia pão

Pe. Jarosław disse à Rádio Vaticano que mais da metade dos 270.000 moradores de Jitomir deixaram a cidade. Os palotinos encaminham grupos de evacuados para a Polônia e ajudam a fornecer ajuda material.

Pe. Jarosław, que trabalha na Ucrânia há mais de três décadas, diz:

“No início não havia pão; agora pequenas padarias estão abrindo novamente. Atualmente não se ouvem explosões, mas passo as noites perto de um prédio de bombeiros e as sirenes de alerta soam com bastante frequência. Na verdade, elas estão ligadas enquanto falamos; o último alerta soou meia hora atrás, e houve três alertas de ataques aéreos à noite.

Deixamos as pessoas passarem a noite na igreja inferior. Todos os dias, cerca de cem pessoas vêm; quando há ataques aéreos, o número chega a duzentos. Como a construção da igreja é bastante robusta, nós a tratamos como uma espécie de abrigo antiaéreo. Graças a Deus o local onde as pessoas se abrigam é aquecido, tem eletricidade e banheiros. As pessoas se reúnem aqui porque estão preocupadas acima de tudo com as crianças, os idosos e consigo mesmas.”

Evacuação e socorro

“As pessoas não entram em pânico aqui, mas estão muito angustiadas e assustadas. Em cooperação com o corpo de bombeiros local, estamos organizando evacuações para a fronteira polonesa e para o oeste da Ucrânia. Até agora, conseguimos evacuar mais de 1.500 pessoas de ônibus.

Tentamos o nosso melhor para manter o ânimo de todos. O pároco está em contato com os soldados que também estamos tentando ajudar fornecendo remédios, curativos e alimentos. No sábado, fui ao mercado local. Os quiosques estão abrindo lentamente e há uma oferta bastante razoável de produtos básicos, especialmente pão, que faltava antes.

Acho que o problema agora é que as pessoas estão ficando sem dinheiro para comprar coisas básicas. A Cáritas faz um excelente trabalho aqui. As pessoas vêm e recebem ajuda específica: farinha, massa e outros essenciais. Tentamos ajudar o máximo que podemos e elevar o ânimo das pessoas. Todos valorizam muito nossa presença, o fato de termos ficado com eles”.

A oração cresce a cada dia

Pe. Jarosław aponta que a guerra eliminou as divisões interdenominacional; uma oração ecumênica pela paz acontece no coração de Jitomir.

“Uma observação interessante é que são os homens, não as mulheres, que são a maioria da congregação agora. Mulheres com filhos foram embora. Todos que puderam, mandaram seus filhos, mães ou avós para lugares mais seguros. Os homens ficaram para defender sua pátria.

A oração se intensifica a cada dia. Após a Missa há uma exposição do Santíssimo Sacramento e o Terço da Divina Misericórdia. Cantamos súplicas; na verdade, estávamos fazendo isso dois meses antes da invasão, quando a ameaça de guerra se tornou muito real.”

O padre concluiu:

As pessoas tratam a oração com seriedade. Todos os dias rezamos o Santo Rosário. No centro da cidade, onde ficava o Monumento a Lênin, tremula uma enorme bandeira ucraniana. Católicos, protestantes e ortodoxos se reúnem espontaneamente para rezar. Todos os dias, durante meia hora, rezam pela paz na Ucrânia”.

Tags:
GuerraTerçoUcrânia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia