Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 16 Maio |
Santo André Bobola Mártir (†1657) Comemoração: 16 de maio
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Freira de Kiev compartilha fé e esperança pelas ondas do rádio

Siostra-Lucyna-Grząśko-werbistka.jpeg

EWTN Ukraine, archiwum prywatne

Irmã Lucyna: fé e esperança pelas ondas do rádio

Beata Zajączkowska - publicado em 07/04/22

O estúdio da rádio se tornou a casa de Irmã Lucyna Grząśko. Ela usa o veículo de comunicação para compartilhar notícias sobre a guerra e rezar o Terço com os ucranianos

“Subi ao palco, peguei o microfone e disse: ‘Parem! Peguem seus terços; vamos rezar’. Esta oração continuou ininterrupta por sete horas. Não tenho medo e estou pronta para enfrentar qualquer coisa que possa acontecer”, diz uma religiosa missionária polonesa, que fez de um estúdio de rádio a própria casa. Ela dorme no chão e toma banho no lavatório.

No passado, ela insistiu com os que estavam reunidos na Praça Maidan, em Kiev, para rezar o Terço e, como resultado, foi alvo de franco-atiradores. Agora ela está estimulando o espírito dos ouvintes da Rádio Maria ucraniana. “Sentimos a presença profunda de Deus”. Estamos confiantes de que a verdade está do nosso lado e que prevaleceremos”, disse a Ir. Lucyna Grząśko à Aleteia.

Trinta anos na Ucrânia

A missionária da Congregação das Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo trabalha na Ucrânia há três décadas. Nos últimos dez anos, ela tem atuado como jornalista. “O rádio agora é a minha linha de frente”, admite. Ela ressalta que, durante esta guerra bárbara, os ucranianos precisam de um forte apoio, assim como de informações confiáveis.

“Dizemos aos ouvintes onde os doadores de sangue são urgentemente necessários, onde encontrar abrigo ou ajuda básica”, diz a missionária. O estúdio de rádio se tornou sua casa; ela dorme no chão e toma banho no lavatório.

“Nossos ouvintes são gratos por nossa presença. Eles nos telefonam e compartilham suas histórias no ar. A situação é realmente difícil, mas estamos esperançosos e temos uma luz interior”, diz a freira. Durante nossa entrevista, bombas estavam sendo lançadas sobre Kiev, mas a voz da irmã ressoava com força e esperança.

“Eu fiquei muito assustada logo após o início da guerra. Eu estava a 400 quilômetros de Kiev e me coloquei imediatamente a caminho de casa”, diz ela. “Mesmo que algumas pessoas me instigassem a deixar a Ucrânia, decidi ficar. Aproximando-me dos postos de controle, vi espingardas apontando para mim. Eu não tenho medo e estou pronta para enfrentar qualquer coisa que possa acontecer”, acrescenta a missionária.

Uma freira na Praça Maidan

A Irmã Lucyna foi testemunha dos protestos na Praça Maidan, em 2014. O que ela viu ali fortaleceu sua confiança em Deus e o seu ministério. Durante os protestos, ela visitou repetidamente a Maidan, assim como muitos sacerdotes e religiosos de toda a Ucrânia, que apoiaram os manifestantes com suas orações, chá quente, sanduíches e ajuda médica básica.

Em certo momento, lendo sobre as aparições de Fátima, as pessoas entenderam que o que estava acontecendo naquela época era um cumprimento das profecias e pediram que a estátua de Nossa Senhora de Fátima fosse trazida para a Maidan. Ela foi transferida do Santuário de Dovbysh para a praça um dia antes do local ser destruído. A estátua primeiro ficou na tenda de oração e depois, em 18 de fevereiro de 2014, dois jovens a levaram para o palco, onde permaneceu até o final dos protestos.

Deus me manteve viva

“Entrando na Praça Maidan naquela noite, perguntei a Deus o que Ele queria de mim, e entendi que eu deveria incitar as pessoas a rezar. Subi no palco. A vista era terrível. As pessoas corriam em todas as direções, gritando; elas não sabiam o que aconteceria em seguida. Eu subi ao palco, peguei o microfone e disse: ‘Parem! Pegue seus terços; vamos rezar’. Esta oração continuou ininterrupta por sete horas, até as cinco da manhã”, lembra a missionária.

A cena aconteceu na escuridão, que só ocasionalmente era quebrada pelos holofotes das forças de segurança. Por volta da meia-noite, os atiradores começaram a apontar para ela porque viram que ela havia introduzido uma atmosfera de silêncio e oração.

“A bala passou sobre minha mão esquerda, raspou meu casaco, mas eu não fiquei ferida. Percebi que Deus queria me manter viva. Nada é difícil para mim; estou pronta para qualquer coisa que possa acontecer. Estou feliz porque sinto a presença especial de Deus. Estamos convencidos de que a verdade está do lado de Deus e nós prevaleceremos. Eu não me detenho no que pode acontecer comigo. Vivo de um momento para o outro, feliz por acordar no dia seguinte e ser capaz de defender aquilo em que acredito novamente. O Terço é minha arma”, aponta a religiosa.

Uma escola do Terço

Ela lembra que, após os protestos em Maidan, a redação da rádio ligou para ela ao amanhecer, dizendo que foram inundados por telefonemas de pessoas que perguntavam sobre a oração que ela estava fazendo ali. Ela voltou à Rádio Maria e, nos dias seguintes, explicou o terço aos ouvintes.

“A maioria das pessoas que estavam em Maidan não estavam familiarizadas com o Terço, então eu explicava os diferentes mistérios enquanto rezávamos. Havia muitos ortodoxos e provavelmente não-crentes. O interesse por esta oração cresceu tanto que tivemos que imprimir cartões com instruções, que depois foram distribuídos por toda a Ucrânia. Para muitos, nossa estação de rádio se tornou uma universidade sobre como rezar e como entender o Terço”, diz a Ir. Lucyna.

No dia em que a guerra eclodiu, a Rádio Maria ucraniana iniciou a Novena de Súplica a Nossa Senhora da Pompeia pela paz. Milhares de pessoas em toda a Ucrânia aderiram à oração. No vigésimo segundo dia da guerra, uma estátua de Nossa Senhora chegou a Lviv vinda de Fátima. Para a nação cruelmente devastada, ela deve ser um símbolo de paz e um sinal de esperança de que a guerra terminará em breve.

Fim da guerra?

“Maidan ajudou a fortalecer a devoção a Nossa Senhora de Fátima. Quando eu estava visitando famílias em suas casas, via que cada criança tinha sua estátua. Acredito que a consagração da Rússia e da Ucrânia ao Imaculado Coração de Maria será o início do fim da guerra”, admite a Irmã Lucyna.

A missionária acredita que a Ucrânia prevalecerá à medida que tantas pessoas no mundo inteiro rezarem pela paz através do Santo Terço. De fato, esta oração tem poderes únicos, como a Virgem Maria garantiu em Fátima.

Tags:
GuerraNossa SenhoraReligiososTerçoUcrânia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia