Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 01 Outubro |
Santa Teresinha do Menino Jesus
Aleteia logo
Em foco
separateurCreated with Sketch.

O túmulo de Jesus foi fechado com uma pedra em formato de disco?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
TOMB

Moti Meiri | Shutterstock

J-P Mauro - publicado em 07/04/22

Um estudo de registros arqueológicos e bíblicos sugere que não

Um exame arqueológico dos relatos evangélicos sobre a vedação do túmulo de Jesus está levando a um questionamento acerca do formato da rocha utilizada para lacrar o túmulo.

As representações artísticas populares do túmulo de Jesus, muitas vezes, apresentam uma grande pedra em formato de disco que teria sido rolada até o local para fechar a entrada da tumba. No entanto, um artigo de Urban C. von Wahlde publicado pela Sociedade Bíblica de Arqueologia (BAS) em 2015 sugere que a pode ter sido quadrada.

De acordo com a BAS, von Wahlde estudou os registros de cerca de 900 sepultamentos da era do Segundo Templo. Dessa amostragem, apenas quatro locais foram identificados como tendo pedras de vedação em formato de disco. Eram os túmulos das pessoas mais ricas e proeminentes de seu tempo.

Sabemos que o túmulo de Jesus foi emprestado de José de Arimateia, e não foi projetado para Cristo. É difícil dizer se José era de um status social suficientemente alto para ter conseguido uma vedação circular para seu túmulo.

Os registros evangélicos dão descrições diferentes de José. Mateus nomeia-o como um “homem rico”, enquanto Marcos se refere a ele como um “respeitado membro do conselho”.

O artigo da BAS diz que seria improvável que José de Arimateia tivesse uma pedra de vedação em formato de disco pronta para a sua tumba. Isso significa, portanto, que a tumba teria sido fechada com uma pedra quadrada.

Para confirmar essa hipótese, von Wahlde começou a dissecar os escritos originais dos Evangelhos. Sua principal concentração era em uma palavra: o grego kulio, que significa “rolar”.

Traduções do grego

Von Wahlde descobriu que o termo kulio era utilizado para descrever a colocação do lacre nos evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas. João, entretanto, usou o termo grego hairo, que significa “removido” ou “levado embora”.

O autor sugere, então, que o uso do kulio como raiz não estava tão relacionado com o movimento de rolar, mas com o movimento de entrada ou de saída da tumba. Von Wahlde escreveu:

“Pode muito bem ser que as pessoas tenham rolado as pedras ‘em forma de rolha’ para longe do túmulo. Uma vez que se vê o tamanho de uma pedra ‘de rolha’, por mais que se tire a pedra da porta, é provável que você a role pelo resto do caminho”.

Von Wahlde concluiu, portanto, que as evidências arqueológicas e os relatos eangélicos relativos à existência de pedras em formato de disco durante o tempo de Jesus sugerem que a pedra usada para vedar o túmulo de Cristo estava mais para um bloco do que para um disco. Ele observou que os fechamentos circulares se tornaram mais populares na era romana e bizantina.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
BíbliaevangelhoJesusMorte
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia