Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 29 Setembro |
São Miguel, São Gabriel e São Rafael
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

China liberta médico preso por modificação genética de bebês humanos

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
modificação genética

vchal | Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 11/04/22

He Jiankui havia "editado" geneticamente duas irmãs gêmeas e, depois, um terceiro bebê

O cientista chinês He Jiankui foi preso em 2018 após anunciar que tinha realizado a primeira modificação genética da história em bebês: ele havia “editado” geneticamente duas irmãs gêmeas e, depois, também um terceiro bebê.

A medicina considera esta prática antiética e a legislação de muitos países a proíbe expressamente. A China, no entanto, não tem leis regulamentares específicas no tocante à edição de genes, mas, ainda assim, a prática é fortemente contestada mesmo naquele país.

O Dr. He Jiankui alegou, em sua defesa, que pretendia impedir a propagação do vírus HIV em recém-nascidos, interferindo artificialmente em sua genética. Ele usou a técnica CRISPR para reproduzir uma mutação no gene CCR5 conhecida como Delta 32, que aumenta a resistência natural de alguns indivíduos ao HIV. Não foi comprovado, porém, se o objetivo foi atingido.

O médico foi acusado de enganar pacientes e autoridades médicas e, em novembro de 2018, recebeu ordem de prisão domiciliar. Em dezembro de 2019, um tribunal chinês o condenou ao regime fechado após considerá-o culpado de violar regulamentos médicos e empregar “tecnologia de edição de genes precipitadamente à medicina reprodutiva assistida humana”.

Cientistas norte-americanos que estariam a par dos trabalhos do Dr. He Jiankui também estão sendo investigados por eventual participação nos trabalhos ilegais do Dr He Jiankui.

De acordo com o portal informativo MIT Technology Review, o médico chinês já está solto e chegou a atender a um telefonema de repórteres, mas não concedeu entrevista alegando que, no momento, “não é conveniente” dar declarações. Tampouco há informações sobre suas pretensões de retomar ou não os estudos sobre modificação genética de bebês humanos.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
Ciênciamedicinamoral
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia