Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 08 Agosto |
São Domingos de Gusmão
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

O mundo esqueceu o Líbano, reduzido a desesperança e fome

Beirute, Líbano

IBRAHIM AMRO/AFP/East News

Francisco Vêneto - publicado em 12/04/22

Há famílias que não conseguem mais dar de comer aos filhos, denuncia fundação pontifícia

A fome no Líbano é um drama atual que não aparece na grande mídia. Catarina Martins de Bettencourt, diretora da fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) em Portugal, visitou recentemente a capital libanesa, Beirute, e se declarou impressionada com “tantas famílias que não conseguem mais dar de comer aos filhos”.

Segundo matéria publicada no site oficial da AIS em Portugal, Catarina afirma:

“O que mais me chocou foi o desespero das pessoas e ver tantas famílias que caíram na pobreza, tantas famílias que já não conseguem dar de comer aos seus filhos, sem a ajuda da Igreja ou de instituições de solidariedade”.

Durante quatro dias de visita ao país que já foi próspero, mas caiu numa espiral acelerada de empobrecimento devido a uma sequência de crises políticas e econômicas nos últimos anos, Catarina descreveu o Líbano como “em colapso”.

A sequência de crises se intensificou dramaticamente com a explosão no porto de Beirute, que deixou o mundo estarrecido em agosto de 2020. Desde então, o Líbano se arrasta em uma das “mais profundas crises da sua história”, nas palavras da diretora da AIS em Portugal. Ela cita, entre as características dessa crise generalizada, o “colapso do sistema bancário” e a “inflação elevadíssima, que reduziu quase a cinzas as poupanças das famílias”. As pessoas, prossegue Catarina, “estão desesperadas, estão sem esperança”.

O êxodo massivo dos libaneses é um dos resultados mais notórios da crise, o que dificultará que o país retome o crescimento. “Todos os dias saem pessoas do Líbano”, comenta a diretora da AIS portuguesa.

Diante desse panorama, a fundação pontifícia determinou uma intensificação da parceria com a Igreja local para ajudar as comunidades cristãs, particularmente nas áreas de saúde, educação e distribuição de cestas básicas, medicamentos e artigos de primeira necessidade. “O Líbano vai precisar muito da nossa ajuda”, resume Catarina.

Tags:
crisefomeIgrejaMundo
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia