Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 22 Maio |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Neve, frio, guerra e fé: um domingo de Páscoa em Kiev

Ucrânia

EyePress via AFP

Francisco Vêneto - publicado em 18/04/22

Na cultura ucraniana, há mais tradições familiares e culturais ligadas à Páscoa do que ao Natal

Sob neve, frio, guerra e fé, o domingo de Páscoa em Kiev voltou a reunir católicos para celebrar a Ressurreição de Cristo enquanto a nação continua trilhando o seu calvário.

Os católicos, tanto de rito latino quanto de rito greco-católico ucraniano, são minoria no país invadido pelos russos. Os cristãos ortodoxos são a maioria e seguem seu próprio calendário, pelo qual a Páscoa será celebrada na semana que vem.

Páscoa, mais importante que o Natal

Na doutrina cristã, a Páscoa é ainda mais importante do que o Natal porque é mediante a Paixão, Morte e Ressurreição que Jesus realiza o objetivo de ter-Se encarnado e nascido como um de nós. Para muitos povos ocidentais, porém, a importância maior da Páscoa como ocasião de celebração da fé em família acabou ficando um tanto ofuscada devido à incidência de uma “publicidade” muito maior do Natal.

Isso não ocorre na Ucrânia, onde a Páscoa continua sendo vivida como uma “festa da família”. De fato, há inclusive mais tradições familiares e culturais ligadas à Páscoa do que ao Natal. Um exemplo muito tradicional é o riquíssimo simbolismo das pêssankas, os famosos ovos detalhadamente pintados a mão e que são característicos do tempo pascal.

Naturalmente, foi impossível neste ano juntar muita gente para celebrar a Páscoa na alegria e na paz familiar, mas, ainda assim, as famílias católicas despedaçadas pela guerra fizeram o seu melhor.

Páscoa em Kiev

O Papa Francisco procurou ajudar. Ele fez questão da presença do seu enviado pessoal em Kiev na Semana Santa e na Páscoa. O cardeal Konrad Krajewski, esmoleiro pontifício, presidiu a Via Sacra da Sexta-Feira Santa junto com o núncio na Ucrânia, dom Visvaldas Kulbokas. Na Santa Missa da Páscoa, celebrada na catedral de Kiev, ele afirmou:

“Não devemos parar naquela dor que nos deixa consternados”.

Ele acrescentou:

“Graças a Deus, há a Ressurreição. Quando Cristo vem, todo o mal é distanciado. Existe a esperança de que Ele nos abençoa”.

Recordando a mensagem Urbi et Orbi do Papa Francisco, que convidou o mundo inteiro a continuar rezando pela Ucrânia, o cardeal afirmou que levava aos fiéis daquele país “a bênção do Santo Padre”. E finalizou:

“Que reine a paz, porque Deus venceu todo o mal. Ele ressuscitou e nós também ressurgiremos. Христос воскрес! (Cristo ressuscitou!)”.

Tags:
GuerraPáscoaUcrânia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia