Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quinta-feira 29 Setembro |
São Miguel, São Gabriel e São Rafael
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Sexo no casamento: os riscos do débito conjugal

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Syda-Productions.jpg

Syda Productions | Shutterstock

Ricardo Sanches - publicado em 09/05/22

A recusa do sexo sem comum acordo entre marido e mulher pode levar o casamento a consequências drásticas

Quando se fala sobre sexo no casamento, fala-se de algo sagrado e sublime. Buscar a harmonia na vida sexual é uma das missões mais importantes do matrimônio. O ato sexual é a entrega de corpo e alma dos esposos, o selo do compromisso firmado diante de Deus, no altar. Neste sentido, a recusa do sexo sem motivo aparente por um dos cônjuges – o chamado débito conjugal – pode colocar o relacionamento em risco.

O que é o débito conjugal

O problema parece ser antigo. Há cerca de 2.000 anos, São Paulo já abordava a questão. Na Carta aos Coríntios, ele alerta aos casais:  

De fato, a recusa de sexo sem motivo aparente por um dos cônjuges ou sem acordo mútuo entre eles caracteriza o chamado débito conjugal. 

O que pode causar essa recusa? 

Para os especialistas, há vários motivos que levam o marido ou a mulher – ou ambos – a não manifestar interesse pelo sexo. Distúrbios hormonais, por exemplo, são alguns deles. 

Por outro lado, questões psicológicas e emocionais como o estresse, a ansiedade e a depressão também podem levar à falta de interesse ou desejo sexual.  

Além disso, a rotina, a falta de comunicação, o tabu em relação ao tema “sexo” e as brigas e discussões constantes do casal interferem na sexualidade.  

O risco da falta de sexo por muito tempo

Como resultado, a abstinência de sexo sem motivo declarado e sem o consentimento dos esposos pode levar o casal a consequências drásticas. O professor Felipe Aquino, que já escreveu mais de 70 livros sobre formação católica, explica:

“A recusa do sexo sem motivo pode representar não apenas uma injustiça para com o cônjuge, mas também o perigo de o expor à infidelidade e o casamento ao fracasso. Isso mostra que os casais não devem ficar muito tempo separados quaisquer que sejam os motivos, especialmente por razões menores.” 

O professor ainda lembra: 

“O afastamento prolongado deles pode gerar uma situação de estresse especialmente para o homem. Alguns conseguem superar essa abstinência sexual forçada com uma sublimação religiosa, mas nem todos tem a mesma disposição.”

Como evitar 

Casais que passam por alguma condição que leva à falta de sexo ou o desinteresse por ele devem procurar ajuda de profissionais. Exames clínicos constantes, por exemplo, podem indicar a deficiência de algumas substâncias do organismo que interferem na vida sexual. Assim, um acompanhamento médico poderá resolver a questão, que deve ser compreendida pelo cônjuge. 

Da mesma forma, a terapia com psicólogo ou psiquiatra é fundamental nos casos de estresse, depressão e ansiedade.

Mas existem duas coisas em que o casal deve investir para valer, a fim de evitar qualquer tipo de problema (inclusive os que envolvem o sexo): o diálogo e a oração.

De fato, os cônjuges precisam ter a liberdade e a intimidade para, através de uma boa comunicação, expor os motivos que podem levá-los a demonstrar pouco ou nenhum interesse pelo sexo. O que está acontecendo? Onde está o problema? Podemos resolvê-lo juntos? São as questões que devem ser abordadas. 

Além disso, a vida de oração é primordial para que a graça de Deus derrame bênçãos em todas as esferas da vida do casal. É preciso pedir a Deus pela harmonia na relação, para que ele livre o casal de todas as formas de depravação, pornografia e outras tentações e para que marido e mulher possam celebrar, verdadeiramente, a festa do “amor conjugal”.  

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
CasamentomaridoMulherSexualidade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia