Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 22 Maio |
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Dicas para envolver os adolescentes na oração em família

shutterstock_696962281.jpg

fizkes I Shutterstock

Caroline Moulinet - publicado em 10/05/22

A melhor dica é garantir que os adolescentes sejam sempre bem-vindos à oração feita em família. Mas não é só isso que os pais devem levar em conta

Adolescência, a idade da construção da identidade adulta. Um passo que, às vezes, envolve a rejeição de certos hábitos dos pais. Alguns inclusive se recusam a rezar com os pais e irmãos. Nesse caso, como você convenceria seus adolescentes a participar da oração em família? Deve-se ser forçá-los a isso?

A relutância dos adolescentes pode vir da simples timidez. Nesse caso, os pais podem convidar o filho para estar ali, presente, sem rezar em voz alta. Fazer um sinal da cruz e apresentar-se em silêncio sob o olhar de Deus também são formas de oração.

O adolescente também pode precisar recuperar o tempo de oração em família. Tudo que promova a vida espiritual do adolescente deve ser desenvolvido, como a escola católica e a catequese. “A vida de fé de um adolescente não deve se restringir à oração familiar”, enfatiza Augustin Bourgue em seu livro Prier en famille, missão impossível? (“Oração em família: missão impossível?”). 

Se a vida espiritual do adolescente for alimentada fora de casa, ele gostará de compartilhar sua experiência durante a oração da família, propondo uma canção ou uma parte do Evangelho que ele descobriu em outro contexto, por exemplo.

Junte-se aos seus adolescentes

Os pais devem levar em conta o que seu filho adolescente está passando. Hoje ele não participa da oração da sua família porque está cansado? Sua família pode entender e orar por ele. Esta noite ele não vem orar com sua família porque seu dia foi difícil? Os pais podem, no entanto, convidá-lo a participar da oração e propor que seja simples e rápido naquele dia. O adolescente não deseja participar por causa de uma discussão? Acontece, é temporário. 

Para escrever seu livro, o padre Augustin Bourgue beneficiou-se da partilha da experiência de muitas famílias, e diz: “É importante que o adolescente sinta que as suas necessidades são levadas em conta.”

A melhor dica é garantir que eles sejam sempre bem-vindos.

Às vezes, a recusa do adolescente a participar da oração em família vem de um motivo mais profundo: ele pode se perguntar se realmente tem fé ou qual o significado da oração. 

Por isso, o padre Augustin Bourgue convida os pais a dedicar um tempo para entender as motivações de seus filhos adolescentes. “Se a atitude do adolescente se originar de questões profundas sobre fé, talvez seja melhor orar sem ele no início – e orar por ele! Discuta com ele em outro momento”. 

Ele também aconselha: “Melhor simplesmente perguntar ao seu filho do que imaginar e fazer filmes sobre os motivos de sua atitude. Ao unir-se ao adolescente que sofre, por exemplo, porque tem a sensação de que o Senhor não ouve suas orações, os pais têm a oportunidade de compartilhar o exemplo de sua vida de fé, com suas forças e suas fraquezas.”

Enfim, a melhor dica para que os adolescentes participem da oração feita em família é garantir que sejam sempre bem-vindos, mesmo que não compareçam há muito tempo, mesmo que o dia tenha sido difícil, mesmo que haja tensões em certos relacionamentos, mesmo que a dúvida tente se infiltrar. 

Como o pai do filho pródigo, os pais devem manter os braços abertos e estendidos para o filho: rezar é sempre possível, sempre acessível e sempre uma nova experiência.

Tags:
Educação dos FilhosFamíliaFilhosOração
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia