Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 05 Julho |
Santo Atanásio do Monte Athos
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Clarissas levam a vida de volta a um mosteiro abandonado

CLARISAS

Monasterio Clarisas de Orduña

De izquierda a derecha: sor Israel, sor Paloma, sor Adriana y sor Myriam, hermanas Clarisas ahora instaladas en Orduña.

Matilde Latorre - publicado em 16/05/22

O local foi fechado há 18 anos por falta de vocações, mas hoje as Irmãs Clarissas estão de volta!

Mesmo nestes tempos em que os conventos e mosteiros estão sendo fechados, a Providência nunca para de agir. O mosteiro de Santa Clara, da cidade de Biscaia de Orduña (no norte da Espanha), fechou há 18 anos devido à falta de vocações. Hoje, as Irmãs Clarissas estão de volta!

A comunidade consiste em cinco irmãs jovens e uma que tem 99 anos de idade, todas provenientes do mosteiro de Belorado, nas proximidades de Burgos.

A história deste mosteiro data de 1296. Gerações sucederam uma após a outra, até que, em 2003, com apenas nove irmãs restantes, elas mudaram-se para o Convento de San Antonio de Vitoria, fechando, assim, o mosteiro de Orduña até outubro de 2020.

Ir. Myriam, uma das Clarissas da comunidade, contou à Aleteia: “Encontramos o mosteiro em boas condições. Um homem de Orduña estava encarregado de visitá-lo, fazendo algumas varreduras, verificando as telhas… Havia áreas do mosteiro que estavam em boas condições para se viver e outras onde os rapazes viam que havia coisas para reconstruir”.

A maneira como a população local as recebeu foi incrível, diz Ir. Myriam: “É uma cidade com profundo espírito religioso e um grande amor pelas monjas de Santa Clara que estão presentes na cidade há 422 anos”.

Toda a cidade deu seu tempo e seu afeto para que esta comunidade de Clarissas pudesse voltar e encher seus corações.

A primeira Missa

As primeiras semanas, como para qualquer família que se muda de casa, foram uma mistura de caos e alegria. Ver toda a cidade envolvida, ajudando-as a preparar o prédio para que elas pudessem viver lá foi um sinal inconfundível da Providência.

Sem eletricidade da rua, no coro baixo que serve de capela com iluminação e graças a um gerador, em 28 de outubro de 2020, o bispo Juan Carlos Elizalde celebrou a primeira Eucaristia na nova residência.

Agora, como naquela época, estas Irmãs Clarissas carecem de muitas coisas materiais para que a comunidade não tenha que abandonar o local novamente.

Uma cozinha

Em fevereiro, elas terminaram de construir a cozinha. Até então, tinham usado e adaptado várias salas para fazer doces, uma atividade que começou de forma não planejada, por insistência dos vizinhos.

Quando os moradores descobriram que as irmãs tinham se mudado pela metade, as pessoas da cidade batiam à porta todos os dias para perguntar se estávamos fazendo doces. Foi um projeto surpresa, mas como em tudo que as havia trazido para Orduña, elas disseram “sim” novamente.

As religiosas decidiram improvisar uma pequena cozinha, após a obtenção de licenças sanitárias e industriais. Adaptaram, então, a sala que tinha as condições necessárias para fazer doces. Graças ao talento e trabalho árduo das irmãs, que fazem seus doces num ambiente cheio de oração e silêncio, as encomendas e as vendas chegaram rapidamente.

Em poucos meses, a cozinha improvisada ficou pequena demais, e em fevereiro foi inaugurada a nova, onde elas vão preparar guloseimas mais elaboradas.

Elas ainda precisam de ajuda

Apesar da ajuda da cidade e dos jovens no verão passado, ainda há muito a ser feito no mosteiro. É um trabalho que as Clarissas não podem arcar sozinhas, pois os projetos são muito caros.

Elas tiveram que atrasar o conserto do telhado por falta de fundos. É um trabalho prioritário, pois na área onde o mosteiro está localizado, chove com muita frequência; se não o consertarem, o telhado pode ruir. Certamente, Deus também proverá este conserto.

Tags:
CaridadefreirasReligiosos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia