Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 30 Setembro |
São Jerônimo
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Como a pornografia afeta a vida dos casais?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
LAPTOP

Shutterstock | TheVisualsYouNeed

Magdalena Galek - publicado em 16/05/22

Quais são as consequências do vício da pornografia na vida conjugal? Como se sente uma mulher quando descobre que o seu marido está a ver pornografia? Porque é que a pornografia pode causar danos graves no seio da família? Entrevista com Piotr Kapera, um psicoterapeuta especializada em dependência e sexualidade masculina

Aleteia: Pode um homem que consome pornografia tornar-se menos sensível à sua esposa?

Piotr Kapera: Sim. É uma questão de intimidade. Quando um homem que está habituado a ver pornografia e ele pensa em sexo, não pensa apenas na sua mulher, mas sobretudo noutras mulheres. Associa sexo com mulheres que viu em filmes pornográficos, com colegas femininas com as quais imagina cenas pornográficas. É assim que funciona a sua memória associativa. A intimidade sofre, pois pode não ser capaz de associar sexo apenas com a sua esposa. Por outro lado, para se sentirem excitados, alguns homens imaginam cenas vistas em filmes pornográficos durante o sexo com as suas esposas. Isto torna a relação objetivada ao tratar o outro como um objeto: não importa se é a sua esposa, porque para eles pode ser qualquer outra mulher.

Enquanto isso, a mulher cujo marido vê regularmente filmes pornográficos pode pensar que ela não é suficiente para ele ou que há algo de errado com o seu corpo…

Quando um homem consome pornografia, ele relaciona-se com ela como se ela fosse outra mulher. Quando fala dela, usa palavras como: “ela me dá prazer”, “ela satisfaz as minhas necessidades”. Quando a sua verdadeira esposa o apanha a ver pornografia, ele reage como se fosse apanhado a fazer sexo com outra mulher. Envergonhado, explica então que o filme apareceu na sua tela por acaso. Em suma, ele começa a mentir, a esconder os fatos como se estivesse a esconder uma amante.

A descoberta de que o seu marido está a ver pornografia é uma experiência amarga para a maioria das mulheres. Quando lhes é pedido que a comparem com outra situação nas suas vidas, relacionam-na na maioria das vezes com infidelidade física com outra mulher. Sentem as mesmas emoções: raiva, traição, solidão, uma queda na auto-estima…

Pode esta situação causar ansiedade numa mulher?

Numa relação conjugal, uma mulher sente-se segura ou não. Quando um homem é viciado em pornografia, sente-se ameaçado por um certo perigo. Mas há também um aspecto espiritual: se um homem é casado, a pornografia abre a porta ao Maligno, que interfere no seu casamento. Uma vez que marido e mulher são uma só carne, as escolhas do marido afetam não só a si próprio mas também a sua esposa. Um amigo meu que está a recuperar de um vício de pornografia e masturbação reparou nesta correlação: quando recai no vício, a sua mulher, embora não o saiba, torna-se mais ansiosa e irritada.

Como é que as mulheres reagem quando descobrem o segredo do marido?

Na maior parte das vezes, há dois tipos de reação. A primeira – tentam assumir o controle verificando o histórico de navegação no computador ou telefone do seu marido. Elas ficam de guarda como uma polícia. Isto é um comportamento destrutivo para elas. De qualquer modo, se alguém quiser realmente fazer algo, encontrará uma maneira de fazê-lo, por exemplo, comprando um segundo telefone. Outro comportamento destrutivo é tentar “estar à altura” das atrizes nestes filmes pornográficos. Assim, deixam-se tentar pelas cirurgias plásticas, ou empurram os seus limites no que são capazes de fazer no leito conjugal. No entanto, arriscam-se a perder a sua dignidade ao quererem satisfazer os seus maridos da mesma forma que as estrelas da pornografia o fazem.

A pornografia muda as expectativas de um homem em relação a uma mulher?

A pornografia pode dar a um homem uma sensação de poder aparente sobre uma mulher. Normalmente, ele pode ser tímido. Mas ao ver pornografia, ele sente que tem controle e poder sobre a mulher que pode fazer tudo por ele. É assim que ele aprende a tratar as pessoas como objetos e a achar quase normal destruir a dignidade de alguém.

Que conselhos você daria para as mulheres que sabem que os seus maridos têm este problema?

Uma amiga minha disse-me que ela e o marido não tinham feito sexo durante vários meses porque ele preferia ver pornografia e masturbar-se. Pediu conselho a uma psicóloga, que recomendou que ela participasse num grupo com outras mulheres cujos maridos são viciados em pornografia. Isto foi bom para ela, pois percebeu que o problema que estava a experimentar era partilhado por outros casais. Ela também se apercebeu que se ela tivesse mesmo parecido com a Miss Universo, que no início poderia ter interessado o seu marido, depois de algum tempo ela teria se tornado novamente entediante para ele. O problema está noutro lugar. Não se trata da esposa, mas do fato de o marido ser viciado em pornografia, de o cérebro estar doente e de poder ser um escravo dela. E essa é a razão da sua falta de vontade de ter relação sexual com ela.

Será que as crianças também sofrem as consequências de o pai ver pornografia?

Uma das consequências é que o pai que vê pornografia não poderá falar com o seu filho sobre o assunto. Na minha opinião, falar com o seu filho sobre pornografia e sexualidade em geral é o papel do pai. É difícil falar com uma criança se você for consumidor. Como responder à pergunta da criança: “Como foi para o senhor, pai? Alguma vez o senhor já viu filmes pornográficos?” O que ele vai responder? Vai mentir? Ou será que ele deveria dizer a verdade? E se ele disser a verdade, não pode esperar que o seu filho compreenda a verdade: ou seja, que absolutamente não é bom ver pornografia.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
AmorCasamentoPecadoPornografiaSexualidade
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia