Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 25 Fevereiro |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

Enfermeira ganhadora de prêmio internacional testemunha impacto positivo da fé católica

Enfermeira Anna Qabale Duba ganha prêmio internacional e fala de impacto da fé católica

AsterGuardians | Facebook

Francisco Vêneto - publicado em 01/06/22

Um incrível trabalho de saúde, educação e fé: "Perder muitos familiares me inspirou a ajudar meu povo. Sou quem sou porque me formei. A fé me influenciou".

A enfermeira queniana Anna Qabale Duba, de 31 anos, testemunhou o impacto positivo da sua fé católica em seu trabalho. O testemunho ganha especial repercussão porque Anna foi a vencedora do prêmio internacional Aster Guardians Global Nursing, anunciado no último dia 12 de maio durante evento em Dubai. A data, a propósito, marca o Dia Internacional dos Enfermeiros.

Segundo matéria do site Catholic Sun, Anna é católica, mãe de dois filhos e trabalha no hospital de referência do governo na cidade de Marsabit, norte do Quênia. Trata-se de uma região em que as carências nos serviços públicos são imensas.

“Muitas vidas teriam sido salvas se houvesse instalações de saúde. Perdi muitos familiares. Isso me inspirou a querer ajudar o meu povo”.

Impacto da educação

Além disso, quase 80% da população da região é analfabeta. De fato, na primeira escola da localidade, a Turbi Pioneer School, logo depois que as crianças saem das salas de aula já entram os pais delas, que também estão aprendendo a ler e a fazer contas básicas.

A escola foi fundada pela própria Anna, a enfermeira.

Ao receber os 250 mil dólares do prêmio Aster Guardians Global Nursing em Dubai, Anna fez questão de traçar uma relação entre o seu trabalho na área da saúde e o poder transformador da educação:

“Eu sou quem sou hoje porque me formei”.

Ela foi, aliás, a primeira mulher do vilarejo a conseguir um diploma universitário.

Relação entre educação e saúde

A relação entre as carências educacionais e as carências sanitárias é patente. Anna faz campanha contra práticas culturais como a mutilação genital feminina e os casamentos precoces. Ela comenta que quase todas as meninas em Turbi foram submetidas à mutilação aos 12 anos – e ela própria faz parte dessas estatísticas.

“Como enfermeira e depois de ver o que essas mulheres passam quando dão à luz, eu resolvei lutar contra isso. Os casamentos precoces ainda existem, mas estou incentivando a comunidade a levar as suas filhas para a escola, porque a escola atrasa esses casamentos”.

A enfermeira educadora pretende usar o dinheiro do prêmio, motivada por sua fé católica, para investir ainda mais em educação e combater o analfabetismo – porque o acesso à informação melhora o acesso aos cuidados de saúde.

Suas iniciativas educacionais se voltam a crianças e adultos. Incluem desde visitas de palestrantes às escolas até programas de maternidade segura, com incentivo aos partos hospitalares e, ao mesmo tempo, treinamentos para as parteiras tradicionais, dado que elas ainda são extensamente requisitadas na região.

A inspiração da fé católica

A enfermeira ganhadora do prêmio do ano em sua área profissional deixa publicamente claro que a sua fé católica exerce um impacto positivo no seu trabalho e no seu propósito de vida:

“Os católicos são pela humanidade e pela paz. Isso também influenciou o que faço”.

Tags:
EducaçãoIgrejaSaúdeTestemunho
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia