Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 01 Março |
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Bentinho, escudo ou detém-te: símbolo da devoção ao Sagrado Coração de Jesus

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
SACRED HEART OF JESUS

Paula Moraes Designer | Shutterstock

Ricardo Sanches - publicado em 08/06/22

Conheça as origens deste sinal de fé e confiança na proteção divina

Santa Margarida Maria Alacoque, uma jovem religiosa francesa da Ordem da Visitação, recebeu a missão de difundir a devoção ao Sagrado Coração de Jesus. O próprio Nosso Senhor Jesus Cristo, em suas aparições, a encarregou desta tarefa. O culto ao Sagrado Coração de Jesus obteve, a partir de então, grande impulso e espalhou-se por toda a Igreja.

Naquela época (segunda metade do século XVII), os fiéis, seguindo a recomendação das visões de Santa Margarida, passaram a decorar pedacinhos de tecido com a imagem do Sagrado Coração de Jesus.

Santa Margarida Maria, relatou em uma carta à sua Madre Superiora:

“Ele deseja que seja feito um escudo com a imagem do Sagrado Coração para que todos aqueles que desejarem render-lhe honra o coloquem em suas casas, e que sejam feitos outros menores para que tragam consigo.”

Esses escudos eram também denominados “bentinhos” ou “salvaguardas”. Mais tarde, receberam o nome “detém-te”.

detem-te

Bentinho, escudo, salvaguarda ou “detém-te”

No século XVII, quando uma peste assolou Marselha, a população era orientada a usar esses escudos de tecidos. E todos perceberam que a peste, geralmente, não atingia aqueles que os portassem. Assim seu uso foi mais difundido e recomendado para “deter” calamidades.

Já no século seguinte, de acordo com a tradição, uma mãe consagrou seu filho ao Sagrado Coração quando ele partia para uma guerra.

Depois da consagração, a mãe lhe entregou-lhe um “bentinho” que ela própria tinha desenhado num pedaço de pano vermelho e no qual escrevera: “Detém-te, o Coração de Jesus está comigo”. A mãe pediu que o filho o usasse perto do peito e prometeu que o Sagrado Coração o traria incólume de volta da guerra. O filho voltou mesmo, não apenas são e salvo, mas testemunhando também algo extraordinário: um tiro o tinha atingido em pleno peito, sem lhe causar ferimento algum. O distintivo havia “detido” a bala.

Aprovação da Igreja

Após saber dessa história, o Papa Pio IX Papa concedeu aprovação definitiva a esta devoção. Com um “bentinho” na mão, o Papa declarou:

“Abençoo este Coração, e quero que todos aqueles que forem feitos segundo este modelo  recebam esta mesma bênção, sem ser necessário que algum outro padre a renove. Ademais, quero que Satanás de modo algum possa causar dano àqueles que levem consigo o Escudo, símbolo do Coração adorável de Jesus”.

Em 1872, o Papa Pio IX concedeu uma indulgência de 100 dias a todos os fiéis que usassem ao redor de seus pescoços este emblema piedoso e rezassem um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e o Glória.

De fato, usar o “bentinho”, “escudo”ou o “detém-te”, qualquer que seja sua denominação, é um sinal do nosso amor ao Sagrado Coração de Jesus e da nossa confiança na sua proteção contra todos os males.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
DevoçãoSagrado Coração de Jesus
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia