Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 07 Dezembro |
Bem-aventurado Janos Scheffler
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

O Paraguai terá finalmente o primeiro cardeal da sua história

DOM ADALBERTO MARTINEZ FLORES É O PRIMEIRO CARDEAL DO PARAGUAI

arzobispado.org.py

Francisco Vêneto - publicado em 10/06/22

Arcebispo de Assunção comenta: "Desde sempre, todos perguntam: como é que o Paraguai não tem nenhum cardeal?"

O Paraguai terá finalmente o primeiro cardeal da sua história, após 400 anos de trajetória da sede episcopal de Assunção, a capital do país. E o escolhido é precisamente o arcebispo metropolitano de Assunção, dom Adalberto Martínez Flores, um dos 21 nomes anunciados pelo Papa Francisco na lista dos cardeais a serem criados no consistório agendado para 27 de agosto, no Vaticano.

A Igreja Primaz do Rio da Prata – mas sem cardeal até hoje

Assunção foi a primeira diocese erigida na bacia do Rio da Prata, bem antes de Buenos Aires e de Montevidéu. O Papa Paulo III a erigiu mediante a bula “Episcopatum Paraguensis” em 1547, ao passo que a diocese de Buenos Aires só seria erigida em 1620 e a de Montevidéu em 1627.

“Desde sempre, que eu me lembre, todos perguntam: como é que o Paraguai não tem nenhum cardeal?”.

As palavras são do próprio dom Adalberto, que, de acordo com matéria do Vatican News, complementa:

“A verdade é que, após 400 anos de história, como Igreja Primaz no Rio da Prata, havia muita expectativa. E, é claro, quando a notícia foi dada, houve um tumulto impressionante, e não por causa da pessoa que estava sendo indicada, mas por causa do fato de que o Papa tinha olhado para o Paraguai e cumprido uma promessa que, para nós, é como uma porta de entrada para o coração do Papa e do seu Magistério”.

A “promessa” do Papa

A “promessa” em questão havia sido feita informalmente por Francisco ao final da viagem apostólica ao Paraguai em 2015: a bordo do avião que o levava de volta para Roma, Francisco respondeu aos jornalistas que lhe perguntavam se o país não merecia ter finalmente um cardeal.

“Mereceria ter dois! Não tem nada a ver com os méritos: é uma Igreja viva, uma Igreja alegre, uma Igreja lutadora e com uma história gloriosa”.

“Pensei que não seria verdade”

Dom Adalberto soube da própria nomeação por meio de seu irmão, que lhe telefonou logo cedo:

“Ele me informou quando eu estava me levantando e me disse que o Papa tinha me anunciado na lista de novos cardeais”.

A primeira reação do arcebispo foi de espanto:

“Pensei que não seria verdade, porque já tinha acontecido uma vez, há quatro anos, que o meu nome tinha aparecido e que era realmente uma notícia falsa. Mas agora tenho recebido todas as felicitações”.

O primeiro cardeal do Paraguai se declara muito grato ao Papa Francisco pela confiança e pelos muitos frutos da viagem apostólica de 7 anos atrás:

“Ele conseguiu integrar todos os setores do país que sentiam que o Papa vinha nos confirmar na fé, e deixou uma marca muito profunda com o seu estilo muito paternal, muito próximo, inclusive com os bispos”.

Uma especial lembrança do arcebispo é a da Missa campal que Francisco celebrou em Ñu Guazú para encerrar a visita:

“Fiquei mais perto dele, estávamos conversando e ele parecia muito sereno. Algo que aprendi com ele: aquela paz e serenidade que ele tem, mesmo no meio de tantos compromissos”.

Desafios pela frente

O futuro cardeal dom Adalberto Martínez Flores também comentou as perspectivas desafiadoras do Paraguai nos próximos anos, agravadas pelo impacto da pandemia de covid 19:

“Há uma grande recessão econômica. Há muito mais pessoas pobres do que antes. Há pessoas que não têm trabalho e muitas que são excluídas. Este é um grande desafio para o Estado, para o governo”.

O arcebispo reforça que este desafio se estende à Igreja, que colabora com uma ampla gama de iniciativas pastorais sociais em favor dos mais necessitados:

“Há um longo caminho a percorrer, para trabalhar pela equidade num país altamente desigual. Mas temos a esperança de que podemos trabalhar pela justiça e pela paz”.

Tags:
CardeaisHistória da IgrejaIgreja
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia