Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 03 Julho |
São Raimundo Gayrard
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

A última carta da Beata Maria Gabriela Sagheddu

MARIA GABRIELLA SAGHEDDU

Monastero Trappiste Vitorchiano

Vanderlei de Lima - publicado em 19/06/22

A linguagem simples, mas, ao mesmo tempo, espiritualmente profunda sugere muitas reflexões

Maria Gabriela Sagheddu (1914-1939) é uma jovem monja trapista italiana que se ofereceu como vítima expiatória pela unidade dos cristãos. O Papa São João Paulo II a beatificou em 25 de janeiro de 1983.

Em seus quatro anos na trapa de Grottaferrata, escreveu 45 cartas ou bilhetes às pessoas próximas. Ora, a Cultor de Livros publicou sua obra completa intitulada Cartas da Trapa: vida e correspondências de Maria Gabriela Sagheddu que retrata a vida da monja e traz, na íntegra, seus escritos enriquecidos de introdução e notas explicativas.

Desta obra extraímos a correspondência de número 45. Dirigida à sua mãe é a última de suas cartas. O seu testamento espiritual. Vale, pois, a pena lê-la com vagar.

“Queridíssima mãe. Estou escrevendo estas linhas para lhe enviar meu último pensamento e minha última saudação. O divino Esposo renovou o convite e o dia tão esperado se aproxima. Não lhe falo sobre o dia da morte, mas sobre o dia em que, rompidos os laços desta mísera carne, poderei finalmente passar desta vida àquela feliz e bendita no céu. A separação do corpo não é uma morte, mas um passo para a verdadeira vida.”

“Alegre-se, ó minha mãe, porque lá em cima não haverá mais clausura e eu, embora a senhora não me veja, poderei ir visitá-la e abraçá-la muito, enquanto sinto crescer mais meu amor pela senhora. Esteja tranquila, porque lá em cima serei muito mais útil à senhora do que aqui; porque lá verei claramente suas necessidades e poderei interceder junto ao Senhor mais de perto. Não chore e não faça os dramas que se fazem em Dorgali, porque me daria muita tristeza.” 

“Em vez disso, quero que, no mesmo dia em que receberem a notícia, vão todos à Missa e comunguem; e, assim, rezarão por mim e darão muitas graças ao Senhor pelos dons que me deu e pelas predileções que teve para comigo.” 

“Espero que Salvador e o cunhado tenham cumprido o preceito pascal, mas se não o fizeram, recomendo encarecidamente que o façam o mais rápido possível; ao menos para cumprir meu último desejo, e eu rezarei muito por eles.”

“Recomendo-lhes, uma vez mais, que estejam serenos e alegres no Senhor, que rezem por mim e encomende-me às orações dos parentes e amigos aos quais, junto a vocês, envio a minha última saudação. Pela última vez, peço perdão a todos pelas ofensas que pude lhes causar.” 

“Eu a abraço de perto no Coração de Jesus junto com toda a família. Sempre sua filha Irmã Maria Gabriela” (p. 187-188).

A linguagem simples, mas, ao mesmo tempo, espiritualmente profunda sugere muitas reflexões. Aqui, destacaremos apenas algumas.

1) A morte não é o fim, mas o início da verdadeira vida junto do celeste Esposo, Jesus Cristo, a quem ela se uniu em matrimônio místico, por meio da profissão religiosa monástica na Trapa.

2) Do céu, ela poderá – livre das barreiras terrenas – ajudar mais a seus familiares e amigos por sua intercessão junto ao divino Esposo.

3) A Beata Gabriela dá uma preciosa dica para cada um viver o luto. Não obstante a tristeza humana, devemos superá-lo pela alegria da vida eterna por meio da oração – especialmente da Santa Missa – pela pessoa falecida.

4) Preocupa-se com Salvador, seu irmão relapso na fé. Ele, como diz o livro, se converteu depois da morte de sua irmã monja. 

5) Ela pede perdão a todos pelos pecados cometidos e que os ofendeu. Eis aí a grandeza da santidade, como ensina Santo Ambrósio de Milão: “Errar é comum a todos os homens, mas arrepender-se e pedir perdão é próprio dos santos” (Apologia David ad Theodosium Augustum II, 5-6).

Debrucemo-nos, pois, sobre a preciosa obra Cartas da Trapa, da Beata Maria Gabriela Sagheddu, monja trapista italiana do século XX.

Tags:
EspiritualidadeJesusSantos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia