Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 04 Julho |
São Raimundo Gayrard
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Por que você deve continuar assumindo riscos independentemente da sua idade

shutterstock_1919039957.jpg

Malenkka | Shutterstock

Michael Rennier - publicado em 20/06/22

As crianças são especialistas em correr riscos; como adultos, precisamos manter esse senso de aventura, não importa nossa idade

“Vou cantar na Missa neste domingo”, declarei a qualquer um que quisesse ouvir. Isto foi há cerca de 15 anos quando eu ainda era pastor anglicano e tinha acabado de sair do seminário. Eu não estava orgulhoso de minhas habilidades vocais para afirmar aquilo; minha declaração era mais um exercício de assumir riscos. Eu nunca tinha cantado sozinho na frente de outras pessoas.

Anunciar que eu estaria aquecendo minhas cordas vocais em adoração a Deus no culto dominical seguinte era uma maneira de me forçar a não me acovardar. Se eu dissesse a todos que iria cantar e depois não cantasse, isso poderia ser mais embaraçoso do que ir em frente, mesmo não cantando muito bem. Nervoso ou não, eu cantaria.

Isso foi há cerca de 10 anos, e eu cantava. Não muito bem, mas também não era terrível.

Até chegar o domingo, eu ensaiava até conseguir aprender todas as notas. No dia, porém, com todos aqueles paroquianos olhando para mim, minha garganta apertava. Mas todos eles eram muito educados!

Estou feliz por ter assumido o risco de cantar na frente de outras pessoas e ter levado a cabo o meu trabalho. Hoje, eu canto em Missas todos os fins de semana. Ninguém jamais me confundirá com Pavarotti, mas agora que o nervosismo se foi, eu canto bem o suficiente.

Assumir riscos é desconfortável, mas necessário

A ansiedade do desempenho público sempre foi um problema para mim. Quando eu estava na escola primária, eu tinha que tocar piano em um recital todos os anos. Em nossa sala de estar, eu conseguia tocar todas as minhas músicas perfeitamente, com sentimento. No palco, todo meu foco mudava para tentar impedir que minha perna tremesse incontrolavelmente. Meus pais praticamente me forçaram a tocar, e até hoje sou grato a isso. Foi uma lição para enfrentar o medo, fazer uma resolução e assumir um risco.

Alguns dos meus filhos sobem alegremente ao palco para dançar e cantar para o público. Eles absorvem a atenção e adoram estar no centro das atenções. Outros, no entanto, herdaram minhas reticências sobre estar em exibição pública.

Ainda me lembro de um recital de dança do qual nossas duas filhas mais velhas participaram quando elas tinham três e quatro anos de idade. Assim que a música começou, a criança de quatro anos imediatamente saiu correndo do palco, chorando. Sua irmã dançou alguns passos, notou que seu irmão mais velho havia abandonado o barco, e rapidamente o seguiu.

Correr riscos é intrinsecamente desconfortável, mas sem eles nunca mudaríamos ou cresceríamos. É muito mais fácil nos acomodarmos em uma rotina e nunca tentarmos coisas novas, mas parece-me que se acomodar ao conforto sobre o risco estaria permitindo que a vida nos passasse ao lado. Eu odiaria acordar uma manhã daqui a quarenta anos e perceber que nunca vivi plenamente.

Riscos e confiança

Assumir riscos aumentou minha confiança e minha disposição para absorver novas experiências. Olhando para trás, alguns dos riscos que assumi foram bem sucedidos e outros foram fracassos totais. Mas até os fracassos ajudaram minha confiança porque, depois que a poeira assentou, ficou claro que a vida continuaria.

Ainda estou feliz por ter enfrentado meus medos, independentemente do resultado. Em qualquer caso, os fracassos revelaram meus limites, áreas nas quais eu precisava melhorar ou provavelmente não sou tão talentoso assim. Com o canto, por exemplo, cheguei a entender que não vou ganhar o American Idol tão cedo e que preciso de muito tempo para me preparar caso precise cantar algo novo.

Os riscos e a idade

Assumir riscos sempre trará um lado negativo. Mas também tem o lado positivo de encontrar uma nova base de apoio. Descubro que, à medida que envelheço, sou mais avesso ao risco em alguns aspectos porque me conheço melhor do que antes, mas também estou mais aberto ao risco em outros aspectos.

Desisti da necessidade de controlar perfeitamente uma imagem bem cuidada. Se as pessoas vêem imperfeição em mim quando eu tento algo novo, tudo bem. Na verdade, uma das partes mais gratificantes de correr riscos é o quanto as pessoas são amáveis quando eu falhei. Assumir riscos revela o quanto as pessoas podem ser encorajadoras e solidárias. Nenhum de nós assume riscos por conta própria. Temos toneladas de pessoas que querem nos ver bem-sucedidos.

Como pai, é gratificante ver meus filhos assumir riscos. Uma filha, que há apenas uma década estava correndo de recitais de dança em lágrimas, acabou de conseguir seu primeiro emprego como caixa. Sua irmã mais nova está cantando no coro da igreja. Ambas percorreram um caminho tão longo quanto o seu crescimento.

Como resultado, suas vidas e experiências se expandiram, e eu adoro vê-las descobrir tudo isso, descobrindo seus talentos pessoais e aprendendo a ser ousadas no seu desenvolvimento.

Para as crianças, é natural assumir riscos. Quase tudo o que elas fazem é novo para elas. Como adulto, porém, quero continuar a ser infantil desta forma específica, continuar a assumir riscos. A cada dia, há mais alegria e felicidade a ser descoberta se estivermos dispostos a procurá-las. Neste domingo, na Missa, eu vou cantar.

Tags:
crescimento pessoalCriançasPsicologia
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia