Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 30 Novembro |
Santo André
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

“Vamping”: os perigos do comportamento que virou moda entre os adolescentes

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
shutterstock_276730304.jpg

Shutterstock

Umberto Macchi - publicado em 21/06/22

Alerta aos pais: seus filhos adolescentes também querem passar a noite na internet?

Como os vampiros, muitos jovens estão ficando acordados até o amanhecer, compartilhando mensagens, conversando, jogando, vendo vídeos ou navegando em redes sociais. Este fenômeno é conhecido como “vamping” e atrai principalmente os adolescentes para uma espécie de cyber-comunidade noturna. Eles utilizam a hashtag #vamping para serem notados ou interagir com aqueles que, como eles, decidem ficar acordados a noite toda.

Esta prática está presente em várias partes do mundo e teve origem nos Estados Unidos, onde estudos apontaram que “6 em cada 10 adolescentes dizem que, muitas vezes, ficam acordados até as primeiras horas da manhã conversando, com os amigos”. Pesquisas também evidenciaram que 15% dos jovens acordam sistematicamente no meio da noite para verificar as notificações nas redes sociais.

Os motivos que levam os adolescentes ao “vamping” são muitos, mas o denominador comum é sempre o mesmo: a busca de outros e sua aprovação. Manter-se conectado com os outros e comunicar-se com eles, buscar a aprovação entre os pares, dissipar a ansiedade do futuro que os espera, preencher lacunas e tentar neutralizar o desconforto que sentem nesta faixa etária também estão entre os motivos deste fenômeno.

À noite, longe do olhar dos pais, eles experimentam uma dimensão de transgressão e rebeldia contra a autoridade. Mas não apenas isso: alguns jovens desfrutam desse passatempo noturno porque já têm um horário completo entre escola, esportes, dever de casa etc, e têm muito pouco tempo para socializar com seus pares.

Os riscos

Dormir poucas horas à noite causa um distúrbio nos ritmos fisiológicos do organismo, gerando inúmeros efeitos nocivos e perturbadores, tais como:

  • irritabilidade e nervosismo;
  • pouca atenção e interesse no mundo real;
  • fadiga física e emocional;
  • aumento dos níveis de ansiedade;
  • estados de humor depressivos.

Este tipo de prática, portanto, pode causar danos ao desenvolvimento psicofísico do adolescente e afetar negativamente o desempenho acadêmico ou as relações interpessoais. Além disso, o fenômeno “vamping” ocorre à noite, quando as inibições são liberadas e a mente é obscurecida pelo sono e pelo cansaço, o que parece favorecer comportamentos patológicos, como: o sexting, o cyberbullying e a disseminação de material privado na rede.

O que pode ser feito?

A primeira coisa seria criar regras, especialmente para crianças menores, e dar diretrizes precisas sobre o uso de ferramentas digitais. É necessário estabelecer quanto tempo e como nossos filhos podem permanecer livremente conectados.

A família e as instituições educacionais desempenham um papel fundamental no treinamento dos jovens para o uso consciente da tecnologia. Iniciativas de conscientização sobre o assunto na escola podem ser úteis para uma orientação digital correta e os cuidados parentais necessários sobre os hábitos digitais de seus filhos são essenciais. Portanto, devemos:

  • educar as crianças quanto à tecnologia desde cedo, com regras precisas sobre o tempo e as modalidades de consumo de TV, smartphones, videogames e a internet;
  • dar às crianças o espaço necessário para uma socialização adequada, ou seja, tempo livre com os amigos;
  • estar qualitativamente presente durante a adolescência de seus filhos, a fim de ser um ponto de referência em caso de dúvidas e necessidades.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
EducaçãoFilhosInternetpais
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia