Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 09 Dezembro |
São Cipriano de Genouillac
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: Será que a sinodalidade vai mudar o mundo?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
BISKUPI

Polaris Images/East News

I.Media para Aleteia - publicado em 22/06/22

O essencial de hoje para você se manter informado. Uma seleção de artigos escritos pela imprensa internacional sobre a Igreja e as principais questões que preocupam os católicos em todo o mundo. As opiniões e pontos de vista expressos nestes artigos não são dos editores da Aleteia

Quarta-feira, 22 de Junho de 2022

  1. Ucrânia: a posição do Papa causa algum mal-entendido em Bruxelas
  2. Duas igrejas atacadas no norte da Nigéria
  3. Qual tem sido a posição do Vaticano sobre a OTAN ao longo da história?
  4. Será que a sinodalidade mudará o mundo?
  5. Os peregrinos camponeses ajudam as aldeias rurais espanholas vazias a sobreviver

1. Ucrânia: a posição do Papa causa algum mal-entendido em Bruxelas

Jamie Dettmer, do website europeu de notícias Politico, pergunta-se se a posição ambígua do Papa Francisco sobre o conflito ucraniano, particularmente quando questiona a responsabilidade da OTAN, não estará a “colocar os interesses temporais acima dos imperativos espirituais e morais”. A sua crítica à indústria internacional de armamento, acredita ele, não é aceitável se se destinar simplesmente a manter a ligação com o Patriarca Kirill ou se for apenas uma forma de peronismo terceiro-mundista herdada do seu passado na Argentina. O jornalista não hesita em comparar o que vê como apoio a Putin com o Acordo Lateranense entre Pio XI e Benito Mussolini em 1929, sugerindo que a Igreja Católica se posiciona onde encontra o seu interesse. Perguntou-se se isto não seria um leitmotiv do seu pontificado, acusando Francisco de “curvar-se perante Pequim e fazer vista grossa às violações dos direitos humanos na China”.

Politico, inglês


2. Duas igrejas atacadas no norte da Nigéria

Dois dias após os funerais de 40 pessoas mortas na Nigéria durante a missa de Pentecostes, duas outras igrejas do país, uma católica e uma batista, foram atacadas a 19 de Junho. Pelo menos três pessoas foram mortas e mais de 30 foram sequestradas. Estes últimos ataques tiveram lugar no estado rural do noroeste de Kaduna e não se sabe quem esteve por detrás deles. A Associação Cristã da Nigéria condenou os ataques e afirmou que as igrejas do país se tinham tornado “alvos” de grupos armados. “É muito lamentável que enquanto ainda estamos de luto pelos mortos em Owo há dois domingos atrás, haja outro ataque em Kaduna”, disse o Pastor Adebayo Oladeji, porta-voz da associação, à Associated Press. A Nigéria registou recentemente um aumento dos ataques nas zonas rurais, numa zona onde as tensões entre muçulmanos e cristãos têm sido elevadas há muito mais tempo.

Crux, anglais


3. Qual tem sido a posição do Vaticano sobre a OTAN ao longo da história?

Alguns dias antes do encontro da OTAN (NATO), a realizar a 29 e 30 de Junho em Madri contra o pano de fundo da guerra na Ucrânia e a possível adesão da Suécia e da Finlândia à Aliança Atlântica, a estação de rádio espanhola Cope analisa as posições dos papas sobre a organização. “Desde a sua criação em 1949, a Santa Sé sempre demonstrou o seu profundo respeito pela organização, que trabalha pela paz e não pela guerra. Pio XII, em 1957, convidou os membros da OTAN a tornarem-se “apóstolos da paz”. Paulo VI, em 1968, explicou que é um organismo “de defesa e não de ataque”. João Paulo II, em 1982, falou da contribuição da OTAN para o estabelecimento da “paz em todas as nações, entre todos os povos e em todos os corações humanos”. O Papa polaco, obviamente sensível ao papel da OTAN como baluarte contra a ameaça soviética, elogiou os esforços da organização para “construir um futuro marcado pela harmonia, justiça e paz”. Mas recentemente, o Papa Francisco fez uma ruptura surpreendente com esta linha, referindo-se ao “ladrar da OTAN às portas da Rússia” e ao fato de a guerra na Ucrânia ter sido de certa forma provocada. As suas declarações causaram um profundo mal-entendido nos Estados Unidos e na Polónia em particular.

Cope, espanhol


4. Será que a sinodalidade mudará o mundo?

Como todas as dioceses do mundo, a diocese de Bombaim embarcou na “viagem” do Sínodo sobre a sinodalidade. Em duas reuniões realizadas no início de Junho, a UCA News relata que cerca de 200 pessoas da diocese vieram discutir o tema, “escutaram-se, partilharam as suas queixas e discerniram o caminho a seguir para a Igreja local. Foram discutidos quatro temas: em primeiro lugar o de uma Igreja mais inclusiva, especialmente para pessoas de diferentes orientações sexuais, famílias desfeitas, pessoas com deficiência e pessoas de outras religiões. A Igreja deve também ser mais colaborativa, para dar mais espaço aos leigos e permitir uma melhor administração. Deve também ser centrada na fé, com mais orientação espiritual, e não apenas sacramental. Finalmente, deve ser “relevante”, e deixar de estar “desligada dos problemas quotidianos dos fiéis, da crescente intolerância religiosa no país e da violência contra as minorias”. Uma discussão que teve todos os ingredientes de uma experiência autenticamente sinodal, segundo o autor da ata, relatando que o bispo presente exclamou com alegria no final da sessão: “A Igreja de Bombaim nasceu de novo!”

UCA News, inglês


5. Os peregrinos camponeses ajudam as aldeias rurais espanholas vazias a sobreviver

Dezenas de aldeias espanholas foram construídas para acolher os peregrinos medievais que percorriam a rota de 800 km até ao túmulo do Apóstolo Tiago em Santiago de Compostela. São os peregrinos que ainda hoje fazem esta viagem que salvam estas aldeias do desaparecimento. A Espanha, como muitos outros países, tem visto a população do seu espaço rural diminuir ao longo das décadas, à medida que agricultores e jovens se deslocam para as cidades em busca de trabalho. Contudo, desde os anos 90, quando o “Caminho” recuperou a popularidade, as coisas melhoraram. Segundo um professor espanhol de economia, o Caminho “abrandou o despovoamento”, que é 30% mais elevado nas aldeias galegas fora da rota de peregrinação. “As aldeias vizinhas, ao largo do Caminho – fazem-nos chorar. As casas a cair, a relva a crescer nos passeios até aqui”, disse Raúl Castillo, um oficial da Guardia Civil. A maioria dos peregrinos gasta cerca de 50 euros por dia, e o dinheiro permanece no local. Em muitos casos, os visitantes diários de todo o mundo superam em número os habitantes das aldeias menores em dez para um, pelo que o impato é enorme.

Associated Press, inglês

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
peregrinacaoResenha de ImprensaUcrâniaViagem
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia