Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 05 Dezembro |
São Saba
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Direto do Vaticano: Papa abre Encontro Mundial das Famílias

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Pope Francis attends the Festival of Families - 10th World Meeting of Families - Paul VI Hall

Antoine Mekary | ALETEIA

I.Media para Aleteia - publicado em 23/06/22

Boletim Direto do Vaticano, 23 de junho

  • Papa abre o Encontro Mundial das Famílias com um apelo para acolher “todos de braços abertos”
  • O Conselho de Cardeais prepara a reunião do Colégio Sagrado no final do Verão europeu
  • O Cardeal Parolin em Marselha para o voto dos vereadores

Papa abre o Encontro Mundial das Famílias com um apelo para acolher “todos de braços abertos”

Por Anna Kurian – “A vida familiar não é uma missão impossível”, disse o Papa Francisco ao abrir o Encontro Mundial das Famílias nessa quarta-feira, 22 de Junho, em Roma, com cerca de 4.500 participantes de todo o mundo. Num festival onde vários casais, incluindo cônjuges coabitantes ou reconciliados após a infidelidade, contaram as suas histórias, o Papa apelou às paróquias a serem “comunidades que apoiam todos de braços abertos”.

“Comecem pela vossa situação real e, a partir daí, tentem caminhar juntos”, exortou o pontífice, que chegou à Sala Paulo VI numa cadeira de rodas, aos aplausos da multidão, que incluía bandeiras da Argentina, dos Países Baixos e da Costa do Marfim. Dar sempre “mais um passo em frente, por menor que seja” foi o tema principal do seu discurso, no qual o Papa reagiu a cada um dos cinco testemunhos que o precederam.

“Não nos casamos para ter o ‘rótulo’ dos católicos, para obedecer a uma regra, ou porque a Igreja o diz, ou para ter uma festa”, assegurou o Bispo de Roma ao primeiro casal, Luigi e Serena, pais de três filhos, que testemunharam o seu desejo de casar após anos de vida em comum. O Papa acrescentou que “a família não é um belo ideal que é concretamente inatingível”, e que “casamos porque queremos baseá-la no amor de Cristo, que é sólido como uma rocha”.

O Papa dirigiu-se então aos pais de Chiara Corbella (1984-2012), uma jovem italiana que, aos 28 anos de idade, optou por levar a gravidez até ao fim sabendo que seria fatal. Prestava homenagem à mulher que queria “preservar a vida do seu filho à custa da sua própria vida”. Também elogiou a “grande fé” dos seus pais, Roberto e Maria Anselma, que apesar da provação não se tornaram “desanimados, desesperados e zangados com a vida”.

Não fique obcecado com o pior

O Bispo de Roma recordou também o testemunho de Paulo e Germaine, dois congoleses casados há 27 anos e que relataram a sua grave crise como casal, até ao ponto do perdão e reconciliação. “Ver uma família desmoronar é uma tragédia que não pode deixar uma pessoa indiferente. […] E, na maioria das vezes, não sabemos o que fazer”, disse ele.

Mas, disse o Papa Francisco, “mesmo no meio da tempestade, Deus vê o que está no coração”. E, observou ele, “o desejo que está no fundo do coração de todos é que o amor não pare, que a história construída com a pessoa amada continue, que os frutos que produziu não se percam. Todos têm este desejo. Ninguém quer um amor de ‘curto prazo’ ou de ‘prazo fixo'”.

À medida que as crianças crescem e percebem que os pais não são “super-heróis”, “todo-poderosos” ou “perfeitos”, o pontífice comentou que o testemunho de Paulo e Germaine era particularmente importante: “Os vossos filhos […] viram a humildade de pedir perdão um ao outro e a força que receberam do Senhor para se levantarem da queda. Eles precisam mesmo disso!”

Ai de mim sem as famílias acolhedoras

O Papa também saudou o testemunho de Iryna e Sofia, uma mãe e filha ucraniana de Kiev acolhida na Itália por uma família de seis filhos. Notando que a sua história como refugiados de guerra trouxe à tona “o pior e o melhor das pessoas”, instou-os “a não ficarem obcecados pelo pior”, mas a “valorizarem o melhor, o grande bem do qual todo o ser humano é capaz”.

Agradecendo ao casal que os acolheu, Pietro e Erika, o Bispo de Roma disse que a hospitalidade era “um carisma de famílias, e especialmente de famílias numerosas”, que “estão habituadas a dar lugar a outros”. “As famílias são lugares de acolhimento, e ai de mim se lhes faltasse! Uma sociedade tornar-se-ia fria e inacessível sem acolher famílias”, disse o pontífice.

Finalmente, o Papa Francisco encorajou a caridade fundada pela viúva de Luca Attanasio, o embaixador italiano morto em Fevereiro de 2021 na República Democrática do Congo. “A missão diplomática de Luca tornou-se agora uma ‘missão de paz’ para toda a família”, disse ele, depois de a mãe de três filhos ter recebido um longo aplauso da multidão.

Fundos mistos

Numerosas delegações nacionais – compostas por cerca de trinta pessoas – estiveram presentes: Josefina, mãe de três filhos do Gana, que veio da Alemanha; Steven e Lucy, de São Francisco, e os seus quatro filhos, usando orgulhosamente os distintivos da delegação americana; Esther e Ximo, de Valência, na Espanha, comovidos pelo fato de virem a Roma pela primeira vez para se encontrarem com o Papa com os seus três filhos.

“Fomos enviados pelo nosso bispo para ouvir as iniciativas de outras famílias no mundo e para as trazer para a nossa diocese”, disse Melissa e Rony, pais de quatro filhos, a I.MEDIA de Halifax, Canadá. Tal como eles, para muitos, o Encontro de Famílias, que continuará na Cidade Eterna até domingo 26 de Junho, é uma oportunidade para discutir questões familiares cruciais, tais como educação, redes sociais e problemas conjugais.

Quatro anos após o último Encontro Mundial de Dublim em 2018, este novo evento conclui o ano especial de Amoris laetitia.


O Conselho de Cardeais prepara a reunião do Colégio Sagrado no final do Verão europeu

Por Cyprien Viet – Uma reunião de videoconferência do Conselho de Cardeais realizou-se na terça-feira, às 16 horas, a partir de Roma, o Gabinete de Imprensa da Santa Sé informou no dia seguinte. O objetivo da reunião online, que durou cerca de uma hora, foi preparar a reunião de todos os cardeais marcada para 29-30 de Agosto sobre a nova Constituição Apostólica.

O Papa Francisco participou da reunião, da residência de Santa Marta. O Cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado da Santa Sé, e o Cardeal Giuseppe Bertello, antigo Presidente do Governo do Vaticano, também participaram online a partir do Vaticano. Arcebispos representando cidades em diferentes áreas geográficas também participaram no encontro à distância. Os cardeais Óscar Andrès Rodríguez Maradiaga (Tegucigalpa), Reinhard Marx (Munique), Sean Patrick O’Malley (Boston), Oswald Gracias (Bombaim) e Fridolin Ambongo Besungu (Kinshasa) representam atualmente os diferentes continentes que o Papa quer envolver na reforma da Cúria.

Cada orador ofereceu as suas próprias considerações sobre a aplicação da nova Constituição Apostólica, e depois a reunião foi dedicada à organização prática e temática da reunião do Colégio Sagrado que terá lugar no Vaticano a 29 e 30 de Agosto.

A convocação desta assembleia de todos os cardeais foi anunciada pelo Papa Francisco a 29 de Maio, durante a festa da Ascensão, que tinha especificado que seria dedicada a uma reflexão sobre a nova Constituição Apostólica sobre a organização da Cúria Romana. Será precedida por um consistório no sábado 27 de Agosto, durante o qual o Papa criará 20 novos cardeais, entre os quais 16 eleitores com menos de 80 anos de idade.

O Papa visitará também L’Aquila, seguindo os passos de Celestino V, no domingo 28 de Agosto. Esta agenda muito ocupada, bastante incomum para o final do Verão, alimentou especulações sobre uma possível renúncia papal, mas estes rumores foram negados de momento pelos colaboradores do Papa.

A entrada em vigor da nova Constituição Apostólica Praedicate Evangelium a 5 de Junho ainda não levou a uma remodelação dos órgãos da Cúria, e os funcionários em funções de acordo com o organograma anterior permanecem, de fato, em funções durante um período de transição indefinido.

A próxima reunião do Conselho de Cardeais está prevista para Setembro, mas nenhuma data específica foi fixada. Este organismo foi criado pelo Papa Francisco no início do seu pontificado, em 2013, para trabalhar na reforma da Cúria. Pretendido como uma estrutura fora da Cúria, permaneceu em vigor apesar da entrada em vigor da Constituição, que não o menciona.

Até à pandemia, tinham sido realizadas reuniões trimestrais, geralmente ao longo de dois dias e meio, com presença física no Vaticano. Desde 2020, o Conselho de Cardeais reuniu-se várias vezes por videoconferência, com modalidades e durações variáveis.


O Cardeal Parolin em Marselha para o voto dos vereadores

Por Camille Dalmas – O Cardeal Pietro Parolin, Secretário de Estado da Santa Sé, presidirá à tradicional missa do “voto dos vereadores” na catedral de Marselha esta sexta-feira, 24 de Junho, a diocese de Marselha anunciou num comunicado de imprensa publicado na passada terça-feira. A sua visita ocorre por ocasião do 300º aniversário deste evento histórico.

O “braço direito” do pontífice será acompanhado pelo futuro cardeal e arcebispo de Marselha, Jean-Marc Aveline, que pronunciará o ato de consagração da diocese ao Sagrado Coração de Jesus, bem como pelo núncio apostólico em França, D. Celestino Migliore.

A missa terá lugar na catedral de La Major às 8 da manhã, na presença de funcionários da cidade portuária, nomeadamente o presidente da Câmara de Comércio, Jean-Luc Chauvin, que oferecerá uma vela para a ocasião.

Em 1720, a peste atingiu duramente Marselha. A pedido do Arcebispo Monsenhor de Belsunce, a 4 de Junho de 1722, o primeiro vereador Moutier pronunciou solenemente o “voto dos vereadores”, uma promessa de consagrar a cidade ao Sagrado Coração de Jesus na catedral, na presença de todos os notáveis da cidade, ofertando ao mesmo tempo uma bonita vela. Uma tradição que se tem vindo a repetir todos os anos desde então.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
CardeaisDireto do VaticanoFamíliaPapa Francisco
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia