Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 14 Agosto |
São Maximiliano Maria Kolbe
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

A misteriosa Mulher de Apocalipse 12

VIRGIN,MARY,PRAYER,CARD

Fred de Noyelle | Godong

Vanderlei de Lima - publicado em 26/06/22

Eis o que bons teólogos dizem a respeito dessa Mulher – gloriosa, dolorosa, portanto também misteriosa – de Apocalipse 12

O texto bíblico mais intrigante aplicado a Nossa Senhora é, sem dúvida o do capítulo 12 do Apocalipse (Ap). Estudemo-lo em seus aspectos mais salientes.

Dom Estêvão Bettencourt, OSB, em sua grande capacidade de síntese, assim nos expõe o conteúdo de Ap 12: “Este trecho apresenta uma Mulher gloriosa e dolorida ao mesmo tempo. Está para dar à luz um filho que um monstruoso Dragão espreita para abocanhá-lo. A Mulher gera seu Filho, que tem os traços do Messias; Ele escapa ao Dragão e é arrebatado aos céus. Dá-se, então, uma batalha entre Miguel com seus anjos e o Dragão; este acaba sendo projetado do céu sobre a terra, onde procura abater a Mulher-Mãe, perseguindo-a de diversos modos. Todavia, o próprio Deus se encarrega de defender a Mulher, no deserto, durante os três anos e meio ou os 42 meses ou os 1260 dias de sua existência. Vendo que nada pode contra essa figura grandiosa, a Serpente antiga atira-se contra os demais filhos da Mulher, tentando perdê-los” (Pergunte e Responderemos n. 475, dezembro de 2001, p. 541).

Dito isso, a pergunta fundamental a ser feita e esclarecida é a seguinte: “Quem é essa Mulher gloriosa e dolorosa, portanto também misteriosa apresentada por João?”. Duas grandes respostas podem ser oferecidas. Ambas – cada uma com sua abordagem própria – não se excluem, mas, complementam-se. Vejamo-las.

Dom Estêvão Bettencourt, afirma que a figura feminina trazida por João é uma “mulher eterna” a perpassar a história. Assim, ela representa a primeira Eva, a filha de Sião (povo do Antigo Testamento), Maria Santíssima (a segunda Eva ou a mãe dos viventes por excelência), a Santa Mãe Igreja (nossa geradora para a vida divina pelo santo Batismo) e, por fim, a Jerusalém celeste. São suas palavras: “a Mulher de Ap 12 é a Mulher como tal, na sua função específica da maternidade, já designada pelo nome de Eva. A mulher perpassa toda a história da salvação; a vida, até mesmo a vida do Messias, só vem aos homens através da Mulher. No Protoevangelho (Gn 3,15), o Senhor Deus quis colocar a mulher, e não o homem, como protagonista mais remota da obra da Redenção; ela é fonte e origem da linhagem donde sai o Messias e a vitória do Bem sobre o Mal; é nas entranhas da Mulher (agraciada por Deus ou cumulada de favores divinos) que está escondida a salvação da humanidade” (Curso de Mariologia. Rio de Janeiro: Mater Ecclesiae, 1997, p. 27).

Cândido Pozo, SJ, afamado teólogo espanhol, vê forte paralelo entre Gn 3,15 e Ap 12. Daí dar ao texto uma profunda interpretação mariana. Após esquadrinhar amplos dados do escrito apocalíptico, Pozo conclui o seguinte: “Tudo isso nos faz pensar que João, no capítulo 12 do Apocalipse, tenha visto a Igreja (sentido primeiro do texto) com traços de Maria. No realismo do nascimento do Messias (v. 5), dificilmente se pode desvincular a figura de sua Mãe histórica, a mulher mediante a qual o Povo de Deus da Antiga Aliança dá à luz o Messias; uma figura triunfal e celeste, em sua realidade ontológica e interiorizada de graça, a mãe de Cristo. É verdade que as dores de parto, do versículo 2, podem ser um mero modo bíblico e poético de falar que verdadeiramente deu à luz […]; mas a conexão literária existente entre o nascimento de Jesus e a sua elevação ao Pai (no v. 5), talvez, se refira à outra coisa: à participação dolorosa de Maria na passagem de Jesus desta terra para o Pai (o nascimento para o céu), às suas dores junto à cruz do Filho; com efeito, é ali onde […] Maria foi proclamada Mãe ‘dos que guardam os preceitos de Deus e mantêm o testemunho de Jesus’ (Ap 12,17)”.

E continua, a título de conclusão: “Por tudo isso, o uso teológico do texto, em sua exegese mariológica, nos levará a destacar a dignidade de Maria expressa no versículo 1, sua participação nas dores de Jesus junto à cruz e sua maternidade espiritual no que diz respeito aos fiéis discípulos de Jesus” (María en la obra de la salvación. Madri: BAC, 1974, p. 245-246).

Eis o que bons teólogos dizem a respeito dessa Mulher – gloriosa, dolorosa, portanto também misteriosa – de Apocalipse 12.

Tags:
BíbliaMariaMulher
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia