Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 09 Agosto |
Santa Teresa Bendita da Cruz (Edith Stein)
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Direto do Vaticano: Papa apela à defesa da “liberdade interior” da família

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
DURING POPE FRANCIS mass for the 10th World Meeting of Families

Antoine Mekary | ALETEIA

I.Media para Aleteia - publicado em 27/06/22

Boletim Direto do Vaticano, 27 de junho

  • A família é um lugar de “liberdade interior” a ser defendida, diz o Papa Francisco
  • Francisco pede fim da violência no Equador
  • Homenagem do Papa Francisco a uma freira morta no Haiti

A família é um lugar de “liberdade interior” a ser defendida, diz o Papa Francisco

Por Camille Dalmas – O amor familiar “é purificado e fortalecido quando é dado”, disse o Papa Francisco na Missa de ação de graças do Encontro Mundial das Famílias, celebrada a 25 de Junho na Praça de São Pedro, no Vaticano. Na sua homilia, Francisco apelou a todas as famílias para partilharem a “alegria” deste amor, pedindo-lhes para serem sempre “abertas, extrovertidas, capazes de tocar os mais fracos”.

O problema, disse o Bispo de Roma, é que o homem moderno, apaixonado pela liberdade, “quer libertar-se de qualquer forma de prisão”, seja ela cultural, social ou económica. Contudo, esta busca individualista, guiada por uma “tendência para o egoísmo”, mascara muitas vezes a falta da “maior liberdade” dada ao homem: a sua “liberdade interior”, ou seja, uma liberdade voltada inteiramente “para o amor”.

Em vez de uma existência que o Papa comparou com “ilhas”, a família deve ser “o primeiro lugar onde aprendemos a amar”. “Fizestes a escolha corajosa de não usar a vossa liberdade para vós próprios, mas de amar as pessoas que Deus pôs ao vosso lado”, disse Francisco, dirigindo-se às famílias reunidas na praça, que ainda estava banhada pelo calor do dia de Verão europeu.

Defendendo a família

Reconhecendo que nem sempre é este o caso e que as realidades familiares são diversas, Francisco insistiu na necessidade de “defender” a todo o custo “a beleza da família” dos “venenos do individualismo, da cultura da indiferença e da rejeição”. O risco, continuou ele, é que perca “o seu ‘DNA’, que é a hospitalidade e o espírito de serviço”.

O Papa sublinhou o medo que os pais têm hoje das gerações futuras, um medo que torna alguns deles “ansiosos, outros super-protetores”. E, lamentou, por vezes até acaba por “bloquear o desejo de trazer nova vida ao mundo”.

Transmitir às crianças o amor pela vida

Mas em vez de as preservar dos males que as ameaçam, o Papa exortou os pais e futuros pais a “transmitir-lhes uma paixão pela vida”, orientando-as para a sua vocação, e a abraçarem a sua própria vocação. Desta forma, insistiu, elas terão “a força para enfrentar e superar dificuldades”.

O Papa concordou que por vezes é necessário mais atitude, mencionando em particular o caso daqueles que na casa dos trinta não se casam porque ainda vivem com os seus pais. “Muitas vezes uma mãe diz-me: ‘Faz alguma coisa, fala com o meu filho, ele não vai casar, tem 37 anos'”, confidenciou, dizendo depois com humor: “Mas, senhora, pare de engomar as camisas dele!”

Em todas as situações, os pais devem ser um modelo para os seus filhos, disse o sucessor de Pedro. “Não há nada mais encorajador para as crianças do que ver os seus pais a viver o casamento e a família como uma missão, com fidelidade e paciência, apesar das dificuldades, momentos tristes e provações”, disse ele.

Não lamentar a liberdade perdida

Para isso, explicou o Papa Francisco, uma família deve permanecer “em constante movimento” a fim de percorrer o caminho “imprevisível” que o Senhor lhe apresenta. Este caminho, mesmo que não seja fácil, “é sempre uma descoberta maravilhosa”, disse ele.

Francisco pediu-lhes que “não lamentassem” a liberdade e as suas “ilusões enganosas” que ficam pelo caminho com o casamento. Deus, assegurou, “vai sempre antes” dos casais no seu caminho para a santidade na família e “aqueles que o seguem não ficam desapontados”. “A Igreja está convosco, mais do que isso, a Igreja está em vós”, exclamou o 266º Papa, recordando como ela nasceu, há mais de 2.000 anos, de uma simples família em Nazaré.

Próximo “Festival das Famílias” em 2025

Francisco participou de toda a missa, que foi presidida no seu lugar pelo Cardeal Kevin Farrell, prefeito do Dicastério para a Família, os Leigos e a Vida. Francisco, que sofre de um problema no joelho, não estava numa cadeira de rodas e ficou de pé várias vezes com a ajuda de uma bengala.

O cardeal irlandês-americano anunciou no final da celebração que o “próximo encontro de famílias com o Papa Francisco” seria um “Festival de Famílias” celebrado em Roma, por ocasião do Jubileu de 2025. O próximo encontro mundial de famílias terá lugar em 2028.


Francisco pede fim da violência no Equador

Por Camille Dalmas – No final do Angelus de 26 de Junho, o Papa Francisco disse que estava a seguir “com preocupação o que está a acontecer no Equador”. Dizendo que estava “próximo” do povo equatoriano, encorajou todas as partes “a abandonar a violência e as posições extremas”.

“É apenas através do diálogo que a paz social pode ser encontrada em breve”, insistiu Francisco. Pediu que fosse dada particular atenção às pessoas mais pobres e que os direitos de todos fossem respeitados, assim como as instituições do país.

Durante quase duas semanas, o pequeno país latino-americano tem vindo a sofrer tensões sociais muito elevadas. Um movimento indígena opõe-se fortemente ao governo em vigor e, apoiado pelos opositores políticos do Presidente Guillermo Lasso, denunciando o desemprego, a insegurança e o elevado custo de vida. Tiveram lugar numerosos confrontos violentos entre a polícia e os manifestantes, que resultaram na morte de seis pessoas.


Homenagem do Papa Francisco a uma freira morta no Haiti

Por Camille Dalmas – No final do Angelus de 26 de Junho, o Papa Francisco expressou a sua proximidade aos familiares e colegas da Irmã Lúcia Dell’Orto, uma Pequena Irmã do Evangelho de Charles de Foucauld, que foi morta a 25 de Junho em Port-au-Prince, capital do Haiti. “A Irmã Lúcia fez da sua vida um dom aos outros ao ponto de martírio”, disse ele.

“Durante 20 anos, a Irmã Lúcia viveu lá; era especialmente dedicada às crianças de rua”, disse Francisco, antes de confiar a sua alma a Deus. O Papa também rezou pelo povo haitiano, especialmente pela sua juventude, para que possa “ter um futuro mais sereno, livre da miséria e da violência”.

O Vatican News, que entrevistou um familiar, acredita que a freira italiana da Apúlia pode ter sido morta por um simples roubo. Uma morte, que, como assinalam os meios de comunicação oficiais da Santa Sé, é semelhante à de São Charles de Foucauld, canonizado há um mês.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
Direto do VaticanoFamíliaPapa Francisco
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia