Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 21 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: A virada histórica do aborto nos EUA e a tentação do poder

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
ROE V. WADE

Yasin Ozturk | Anadolu Agency via AFP

I. Media - publicado em 27/06/22

Gostaria de um resumo das principais notícias do dia? Veja uma seleção de artigos escritos pela imprensa internacional sobre a Igreja e as principais questões que preocupam os católicos em todo o mundo. As opiniões e pontos de vista expressos nestes artigos não são dos editores da Aleteia

Segunda-feira, 27 de Junho de 2022

1 – A virada histórica de Roe vs Wade e a tentação do poder
2 – No Líbano, o debate sobre o direito ao casamento civil
3 – 400 anos de Propaganda Fide
4 – Da constituição americana ao lema olímpico, nove famosas inspirações dominicanas
5 – Os coreanos depositam as suas esperanças no Papa Francisco para a paz regional

Muitos observadores advertiram que a decisão de sexta-feira do Supremo Tribunal dos EUA de derrubar Roe v Wade poderia “desencadear uma série de batalhas políticas”. À luz destas tensões, o jornalista de Crux John Allen usa a história para refletir sobre a “tentação ao poder” que a igreja experimentou no passado. Ele cita a história do Beato Papa Pio IX, que foi forçado ao exílio em 1848 na cidade marítima de Gaeta, a cerca de 100 milhas de Roma. Na altura, o Papa governava grande parte da Itália central como chefe dos Estados papais e teve de fugir devido a revoltas em Roma, pois a população estava insatisfeita com o seu governo e as decisões militares. Durante a sua estadia em Gaeta, o Papa Pio IX emitiu uma série de decretos cada vez mais reacionários. Eventualmente, as forças francesas de Napoleão III expulsaram os revolucionários de Roma e restauraram o poder de Pio IX. Continuou a governar como monarca secular até o Outono de Roma em 1870, que marcou o fim dos Estados papais e o início de um novo governo italiano unificado. Pio IX recusou-se a reconhecer o governo e a relação entre o Estado italiano e a Igreja só foi resolvida cerca de 60 anos mais tarde, com o Tratado de Latrão de 1929. “A lição, talvez, é que embora o exercício do poder secular possa ser tentador, […] também expõe os papas a enormes riscos – e, por extensão, a Igreja que lideram é também mantida refém”, explica Allen. Embora ninguém esteja a contemplar o regresso dos Estados papais, Allen menciona que os críticos “detectam ecos dessa velha tentação de governar por decreto e não por persuasão nos debates de hoje, talvez especialmente sobre a espinhosa questão de saber se aos políticos católicos pró-escolha deve ser negada a comunhão”.

Crux, inglês


2 – No Líbano, o debate sobre o direito ao casamento civil

No Líbano, o debate está a ferver sobre a possibilidade de casamento civil. Alguns legisladores recentemente eleitos levantaram as mãos em aprovação quando lhes perguntaram se apoiavam o casamento civil “opcional” – irritando aqueles que insistem que os casamentos devem continuar a ser da responsabilidade das autoridades religiosas. Os jovens casais mistos de diferentes religiões, entretanto, procuram cada vez mais romper com o sistema das suas religiões para se casarem. O casamento civil não é reconhecido neste país, pelo que deve-se ir ao Chipre para uma troca de consentimentos civis. Este é um ato de protesto que muitos tendem a tomar: em termos de casamento, divórcio e custódia dos filhos, os grupos de fé libaneses governam legalmente os assuntos das suas próprias comunidades. Os ativistas dos direitos civis, contudo, acusam os tribunais religiosos de discriminarem as mulheres e afirmam que, nestas questões-chave da família, os libaneses são tratados de forma diferente dependendo da sua filiação religiosa.

AP, inglês


3 – 400 anos de Propaganda Fide

A Congregação para a Evangelização dos Povos – que a nova Constituição Apostólica transforma no Dicastério para a Evangelização, fundindo-o com o Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização – celebra este ano o seu 400º aniversário. Foi de fato a 6 de Janeiro de 1622 que o Papa Gregório XV fundou este órgão coordenador da Santa Sé para todas as iniciativas que estavam a ser realizadas nos vários continentes para proclamar o Evangelho e estruturar a presença da Igreja nos territórios de missão. O duplo objetivo era promover a reunificação dos cristãos e a difusão da fé católica entre os não-cristãos nos territórios alcançados pelos descombrimentos. Durante quatro séculos, as atividades dos missionários continuaram a ser organizadas a partir do prédio na Piazza di Spagna. A Propaganda Fide tem um património imobiliário que lhe permite manter universidades, atividades humanitárias e instalações de saúde em todo o mundo. Atualmente, tem jurisdição sobre um total de 1117 circunscrições eclesiásticas, cobrindo quase toda a Ásia, exceto as Filipinas, toda a África exceto o Egito e a Tunísia, o Alasca, as Antilhas, e alguns territórios dos Balcãs.

Omnes, espanhol


4 – Da constituição americana ao lema olímpico, nove famosas inspirações dominicanas

Um ano após o 800º aniversário da morte de São Domingos, Religion en libertad evoca nove elementos da civilização ocidental inspirados por uma das ordens religiosas mais importantes da história da Igreja: os Dominicanos. Ao lema da Ordem – “louvar, abençoar e pregar” – o website acrescenta “criar”: o sistema político americano, o lema dos Jogos Olímpicos modernos (o dominicano francês Louis Henri Didon, apaixonado pelo desporto, era um amigo de Pierre de Coubertin), o traje branco dos papas, o direito internacional moderno, a formação de um dos primeiros parlamentos europeus na Inglaterra, a investigação do modelo de DNA como o conhecemos hoje, o nome da capital Santo Domingo, até mesmo a República Dominicana”, bem como a invenção do rosário, e as Estações da Cruz.

Religion en libertad, espanhol


5 – Os coreanos depositam as suas esperanças no Papa Francisco para a paz regional

Não foi a primeira vez que um ministro sul-coreano saudou recentemente a possibilidade de “uma visita do Papa Francisco à Coreia do Norte e o seu papel como mediador para a paz na península coreana”, relata a UCA News. O Ministro da Unificação Kwon Young-se visitou o Arcebispo Kim Hee-joong de Gwangju a 21 de Junho. Este último confirmou que o Papa estava “ansioso” por visitar a Coreia do Norte assim que foi oficialmente convidado. Esta visita e estas condições têm sido discutidas desde 2018, quando Kim Jong-un tinha transmitido um convite oral ao Papa para visitar o seu país por intermédio do Presidente sul-coreano Moon Jae-in.

UCA News, inglês

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos

Tags:
AbortoPolíticaResenha de Imprensa
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia