Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 10 Agosto |
Santa Teresa Bendita da Cruz (Edith Stein)
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Podemos abrir nossas mãos durante o Pai Nosso na Missa?

Notre-Dame-du-Val-church.-Catholic-sunday-mass

Pascal Deloche / Godong

Valdemar De Vaux - publicado em 28/06/22

Durante a missa, após a consagração, a congregação reza o Pai Nosso com o sacerdote. Alguns fiéis acostumaram-se a fazer isso abrindo as mãos: qual é o significado desse gesto e o que o missal diz sobre ele?

O Missal é um livro muito preciso. Para regular os ritos da Missa, além dos textos pronunciados pelo celebrante e pela assembléia, o livro litúrgico contém rubricas. Estas indicações permitem saber o que cada pessoa deve fazer, de acordo com as circunstâncias.

Entretanto, como a liturgia é encarnada, existem áreas passíveis de interpretação. Ou melhor, possíveis adaptações para que os gestos e palavras da Missa possam ser entendidos por todos, em um determinado tempo e lugar.

Várias fórmulas são assim propostas para certos momentos da Missa, uma flexibilidade autorizada de acordo com a cultura e os fiéis que o padre tem com ele. E depois há aqueles momentos para os quais nada é dito.

Este é o caso do Pai Nosso, no coração da Missa. Após a oração eucarística, que termina com a doxologia (“Por Ele, com Ele…”), a congregação recita com o padre a oração “que recebemos do Salvador”. Enquanto o padre deve, de acordo com as rubricas, estender suas mãos, nada é dito sobre as dos fiéis. No entanto, um certo número também abre as mãos…

Todo batizado é um “padre”

Liturgicamente, este sinal das mãos do sacerdote estendidas para cima é o de uma mediação ascendente. O gesto é usado pelo celebrante quando ele reza a Deus em nome dos fiéis, fazendo a ligação entre a terra e o céu. Em contrapartida, a imposição das mãos, ou seja, a imposição das mãos com as palmas para baixo, é um sinal de mediação para baixo. O sacerdote é então aquele através do qual Deus abençoa seu povo.

Como o Missal não se pronuncia, nada impede que os fiéis abram suas mãos no momento do Pai Nosso. Ao fazer isso, eles mostram que a oração que dizem é um discurso ao Pai, e que todo batizado é, em seu lugar, um “padre”, ou seja, um mediador entre Deus e os homens.

Essa dimensão foi enfatizada de maneira diferente antes da reforma litúrgica de 1969: na Missa de São Pio V, só o padre recita o Pai Nosso, e por isso vira suas palmas das mãos para o céu. Aqui o sacerdócio ministerial que é enfatizado, ao invés do sacerdócio batismal.

Tags:
LiturgiaMissaOração
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia