Aleteia logoAleteia logoAleteia
Terça-feira 09 Agosto |
Santa Teresa Bendita da Cruz (Edith Stein)
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

Por que a mudança é tão difícil, se fomos criados para isso?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
BIEGANIE

Bastian Weltjen | Shutterstock

Jim Schroeder - publicado em 30/06/22

A mudança e o crescimento são grandes desafios, mas também podem trabalhar juntos para nos ajudar a encontrar a verdadeira felicidade

Uma das realidades mais duras da vida é que as áreas mais difíceis e dolorosas são, muitas vezes, aquelas em que mais precisamos de mudança, de crescimento. Pode ser um desafio físico específico (parar de comer demais, por exemplo), a maneira como nos comunicamos com os outros ou nossa resposta à ansiedade.

Quaisquer que sejam as áreas, o que estou falando aqui geralmente envolve hábitos antigos ou aspectos de nosso temperamento que se desenvolveram no início da vida e estão relacionados a várias experiências passadas. 

Por exemplo: um determinado estilo de lidar com as interações com os outros pode ser produto de nosso temperamento, um estilo usado por nossos pais e algumas experiências-chave que deixaram uma impressão duradoura em nós, entre outros fatores. Quase sempre a questão não é se é natureza ou criação, mas sim como a natureza e a criação interagem uma com a outra. 

Independentemente das razões subjacentes de quem somos e dos hábitos e perspectivas que adotamos, a realidade é que, frequentemente, somos confrontados com papéis e situações em nossas vidas adultas que desafiam esses modos de operação. Podem ser demandas particulares no trabalho ou em casa, que nos forçam a lidar de forma mais eficaz com nossa tendência de evitar situações desconfortáveis. 

Podem ser nossos relacionamentos com pessoas próximas a nós, que nos desafiam a estar abertos a novas mudanças, ou oportunidades em nossas vidas com as quais não nos sentimos confortáveis ​​em aceitar. 

Ou pode ser simplesmente a passagem do tempo e o fato de que mudanças em nossa mente e no nosso corpo podem nos obrigar a alterar nosso estilo de vida.

De fato, a ideia de mudar padrões de longa data geralmente encontra resistência. Podemos facilmente pensar que a mudança não precisa acontecer, que não há garantia de que vai funcionar ou que é um empreendimento muito doloroso e difícil. Dependendo de quão longe chegamos no discernimento da mudança potencial, há uma batalha interna que se segue, que é tão ou mais desconcertante do que parece. 

Os obstáculos

No entanto, aqui novamente somos confrontados com a lei natural de Deus e seu desígnio dos seres humanos e do mundo. 

Embora eu esteja convencido de que Deus é um Criador misericordioso, que entende a dissonância que sentimos quando somos pressionados a mudar, é evidente que Ele nos criou como seres complexos e que precisam constantemente de crescimento e mudança. Não apenas para florescer, mas também para que aqueles ao nosso redor e nossas comunidades também possam crescer e mudar.

Portanto, embora seja bastante humano encontrar razões e desculpas para não estar aberto às mudanças, quando fazemos isso – intencionalmente ou não – estamos rejeitando Deus e Seu desígnio.

É provável que Deus reconheça que nossa intenção não é rejeitá-lo, mas sim que estamos apenas ansiosos e sobrecarregados com o que significaria alterar um padrão de comportamento que tem sido nosso pilar. 

Ainda assim, de certa forma, quando fechamos uma porta para o crescimento potencial e as avenidas de maior florescimento, é como se estivéssemos escolhendo o ser total que Deus nos criou para ser.  

Na verdade, estamos dizendo a Deus: “Vou fazer isso e aquilo, mas NÃO HÁ POSSIBILIDADE de eu fazer isso! Ou: se o Senhor quer que eu faça isso, vai ter que fazer um milagre, porque eu nem sei por onde começar.”

Ao fazer isso, estamos basicamente dizendo a Deus que nos recusamos a usar nossa capacidade para os Seus propósitos, embora tenhamos recebido as capacidades e recursos para, pelo menos, fazer um esforço razoável.

Novamente, embora tudo isso seja compreensível, é como se estivéssemos impedindo uma expressão mais completa do ser que Ele criou.  

Fazer X tornar-se

É teologicamente bem entendido que, na essência de nossa fé, a busca mais importante é nos tornarmos quem Deus nos chama para ser. 

No entanto, muitas vezes, presumimos que, se estivermos fazendo as coisas certas (por exemplo, indo à igreja, dando o dízimo e sendo voluntário) seremos “cuidados” por Deus. No processo desta discussão, um líder da Igreja com quem conversei recentemente caracterizou alguns paroquianos que repetidamente se voluntariaram para funções da igreja. 

Ele observou que eles têm uma maneira tão irritante e abrasiva que se torna muito difícil estar perto deles. É compreensível que, às vezes, como seres autônomos, nosso temperamento biológico, experiências passadas e desejos básicos nos levem a uma determinada “maneira de operar”, mesmo que restem outras opções razoáveis ​​que possam abrir novos horizontes.

No entanto, devemos saber que milhares de anos de compreensão teológica e milhares de estudos científicos apoiam uma ideia simples. Ou seja: quanto melhor nos alinharmos com o desígnio de Deus de quem somos, mais felizes, saudáveis ​​e harmoniosos seremos.

Embora buscar um crescimento positivo não seja tão simples quanto apenas fazer uma escolha, é razoável dizer que iniciar esse processo é tão simples quanto orientar nossa vontade em direção ao “posso fazer”. Quando nos abrimos para uma possibilidade de mudança, também estamos nos abrindo para a vontade de Deus!

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
Superação
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia