Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 08 Agosto |
São Sisto II
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Abortista Joe Biden perde popularidade entre os católicos

JOE BIDEN

Michael F. Hiatt - Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 15/07/22

Para além das questões morais e da incoerência doutrinal, o político democrata vem sendo questionado também como gestor

O abortista Joe Biden, presidente democrata dos Estados Unidos, está perdendo a popularidade entre os católicos. Embora o próprio Biden se declare um “católico devoto”, ele tem escancarado a sua incoerência por apoiar militantemente o aborto e, em decorrência, incorrer em excomunhão automática.

De fato, o cânon 1398 do Código de Direito Canônico explicita que as pessoas que praticam ou colaboram ativamente para a execução de abortos incorrem na excomunhão “latae sententiae“, ou seja, que se consuma em decorrência direta do próprio fato da colaboração ativa, sem a necessidade de uma declaração formal de excomunhão emitida pela Igreja.

A insustentabilidade da máscara de catolicismo do político chegou ao ponto de que, em recente entrevista às emissoras Univisión e Televisa, o Papa Francisco afirmou que Biden precisa conversar com seu bispo sobre essa incoerência.

Segundo pesquisa realizada pela EWTN News/RealClear Opinion Research, Biden vem perdendo a simpatia dos católicos desde que foi eleito em 2020. Além de rejeitarem a descarada agenda pró-aborto do presidente, os católicos norte-americanos também desaprovam especialmente o seu alinhamento com a ideologia de gênero.

A opção ideológica abortista de Biden

O posicionamento ideológico de Biden ficou ainda mais claro e difícil de justificar após a decisão da Suprema Corte dos EUA, em 24 de junho, de anular, por inconstitucionalidade, a sentença judicial de 1973 que liberava o aborto em todo o território do país. Biden criticou a decisão dos magistrados e está se movimentando para que os parlamentares proponham novas leis que facilitem o aborto.

Nesse mesmo contexto, militantes abortistas também vêm deixando cair a sua máscara de “tolerantes”, “inclusivos” e “amorosos”: o país sofre uma onda de ataques contra igrejas, instituições pró-vida e até centros de ajuda para gestantes, em represália pelas atuais restrições ao aborto no âmbito nacional.

Para além das questões morais e da incoerência como autodeclarado “católico”, o abortista Joe Biden tem sido muito questionado também como gestor: há desconfiança crescente quanto à sua capacidade de combater a inflação no país, que, no atual contexto de crise global pela pandemia de covid-19 e pela guerra na Ucrânia, já atinge os seus piores índices em décadas.

Os dados da pesquisa

O público-alvo da pesquisa EWTN News/RealClear Opinion Research são os eleitores católicos norte-americanos. O levantamento foi realizado dias antes do anúncio da Suprema Corte sobre a inconstitucionalidade da anterior sentença pró-aborto – que, além de inconstitucional, se baseava em uma farsa confessa e, mesmo assim, foi mantida em vigor durante 49 anos.

Entre os 1.757 respondentes da pesquisa:

  • 59% afirmaram que os EUA estão na direção errada
  • 53% se declaram, no geral, contrários a Biden
  • 89% dizem que suas finanças estão sofrendo os impactos da inflação
  • 36% culpam Biden pela situação, enquanto 33% culpam a guerra na Ucrânia e 25% responsabilizam igualmente Biden e a guerra
  • 56% aprovam a Suprema Corte
  • 82% apoiam a total proibição ou grandes restrições ao aborto, contra 18% favoráveis ao aborto disponível por qualquer motivo
  • 68% dizem que as menores de 18 anos precisam de permissão dos pais caso queiram recorrer ao aborto
  • 65% sabem que o aborto não é compatível com a doutrina católica
  • 60% são menos propensos a votar em políticos que apoiam o aborto até o dia do parto, mas 32% ainda disseram que votariam
  • 82% apoiariam candidatos defensores da liberdade religiosa
  • 74% se disseram a favor de aumentar a segurança nas fronteiras
  • 90% dizem que os pais devem receber mais informação sobre o que os filhos aprendem na escola
  • 67% são contra o compartilhamento de banheiros e vestiários entre meninos e meninas
  • 84% se disseram preocupados com ataques a igrejas
  • 81% se disseram preocupação com ataques contra clínicas pró-vida
  • 75% estão preocupados com a destruição de estátuas de católicos famosos
  • 72% deploram o sentimento anticristão no país
  • 71% desaprovam os protestos diante das casas dos juízes da Suprema Corte

A pesquisa também incluiu perguntas sobre a prática religiosa católica. A esse respeito, entre os católicos respondentes:

  • 50% acreditam na Presença Real de Jesus na Eucaristia
  • 38% acham que o pão e o vinho são apenas símbolos
  • 20% dizem aceitar todos os ensinamentos da Igreja Católica.
Tags:
AbortoIdeologiaIgreja CatólicaPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia