Aleteia logoAleteia logoAleteia
Domingo 14 Agosto |
São Maximiliano Maria Kolbe
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: O Vaticano está cada vez mais sinófilo?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
NOTRE-DAME-DE-CHINE-ciric_226704.jpg

P.RAZZO/CIRIC

Messe dominicale dans l'église Notre Dame de Chine, Paris.

I.Media para Aleteia - publicado em 15/07/22 - atualizado em 15/07/22

O seu resumo das principais notícias do dia: uma seleção de artigos escritos pela imprensa internacional sobre a Igreja e as principais questões que preocupam os católicos em todo o mundo. As opiniões e pontos de vista expressos nestes artigos não são dos editores da Aleteia

Sexta-feira, 15 de Julho de 2022

1 – No Vaticano, a questão é quem será o mais sinófilo
2 – Três mulheres e muitas outras, as nomeações do Papa
3 – Aborto: um bispo americano considera que o Papa é “mal informado” pela sua comitiva
4 – O teólogo Karl Barth, precursor de um pensamento cristão que responde aos desafios da modernidade secularizada
5 – A política internacional francesa é seguida de perto pela Santa Sé, diz o novo embaixador


1 – No Vaticano, a questão é quem será o mais sinófilo

Enquanto um bom número de bispos na China estão atrás das grades ou sob prisão domiciliar, “sob o pontificado de Francisco, nem uma única palavra foi pronunciada publicamente por ele ou pelas autoridades do Vaticano para pedir o levantamento das restrições a estes bispos, bem como a muitos padres e fiéis que sofrem o mesmo destino na China e em Hong Kong”, salienta o vaticanista Sandro Magister. Um acordo “provisório e secreto” sobre a nomeação de bispos está em vigor desde 2018 entre a China e a Santa Sé, mas apesar das suas concessões, acrescenta, a Santa Sé não obteve nada em troca das autoridades chinesas, para dezenas de bispos nomeados por Roma mas nunca reconhecidos por Pequim. Sandro Magister faz a observação inequívoca de que os resultados deste acordo “são muito escassos”. Contudo, segundo a última entrevista do Papa à Reuters, as instruções do chefe da Igreja Católica são para renovar este acordo e “defender a todo o custo a sua política de apaziguamento com a China”. Segundo o vaticanista, por trás desta tendência claramente sinófila está um lobby, a comunidade de Sant’Egidio, e um perito: o Professor Agostino Giovagnoli, vice-presidente do Instituto João Paulo II para o Matrimónio e Família e membro do comité científico do Instituto Confúcio da Universidade Católica de Milão, um dos muitos Institutos Confúcio abertos por Pequim em todo o mundo para a propagação da língua e cultura chinesa.

Diakonos, francês

“A Igreja parece estar a caminho de reconhecer que precisa de mulheres para a sua ação governativa”, escreve Paola Bignardi, presidente da associação leiga Azione Cattolica Italiana (Ação Católica Italiana), sobre a decisão do Papa Francisco de nomear três mulheres como membros do Dicastério para os Bispos. Neste artigo de opinião publicado pelo diário italiano Avvenire, Paola Bignardi salienta que a decisão do pontífice não é apenas importante devido ao papel significativo que o dicastério desempenha na escolha dos futuros líderes da Igreja local. Tem também um importante “valor simbólico” porque “cada mulher que assume responsabilidade na Igreja carrega uma pesada tarefa sobre os seus ombros: a de representar todas as mulheres […] que sentem na Igreja que não são valorizadas, não ouvidas, não compreendidas, não consideradas”. Bignardi explica que, de fato, estes três novos membros do dicastério terão a pesada tarefa de lembrar aos seus colegas de escritório masculinos que metade da população católica é constituída por mulheres, muitas das quais “estão à espera de uma Igreja renovada”.

Avvenire, italiano


3 – Aborto: um bispo americano considera que o Papa é “mal informado” pela sua comitiva

Entrevistado pelo jornal alemão Die Tagespost, o Arcebispo Joseph Naumann, de Kansas City, que esteve encarregado das questões pró-vida na Conferência Episcopal dos EUA durante a presidência Trump, disse que estava satisfeito com a decisão do Supremo Tribunal de derrubar Roe v. Wade, que ele disse que constituía um “direito ao aborto”, mas explicou que as próximas eleições poderiam ter “um papel importante a desempenhar”. Ele disse que a decisão agora significa mais apoio às mulheres porque “não se trata apenas da criança”. “A realidade é que a América corporativa está a promover o aborto porque significa que as mulheres não têm de se licenciar”, disse, lamentando a falta de apoio às mães no sistema norte-americano. O bispo considera que muitos católicos que apoiam o aborto precisam de ser “melhor formados”, mencionando o caso de Joe Biden que, segundo ele, “seguiu a linha dos Democratas, não a doutrina da Igreja”. Pelo contrário, ele acredita que o que Donald Trump fez em relação ao aborto é “exemplar”. Referindo-se ao episódio em que Nancy Pelosi pôde receber a comunhão durante uma missa celebrada na presença do Papa na Basílica de São Pedro, o bispo disse estar “entristecido” pela forma como Francisco tinha sido “politicamente explorado”, e considerou que “os seus conselheiros e a sua comitiva o tinham informado completamente mal”.

Die Tagespost, alemão


4 – O teólogo Karl Barth, precursor de um pensamento cristão que responde aos desafios da modernidade secularizada

O teólogo e escritor protestante americano Andrew Root, de 48 anos de idade, recorreu ao pensamento do suíço Karl Barth (1886-1968) para desenvolver um ensaio sobre os desafios que a modernidade coloca ao cristianismo. No seu livro Churches and the Crisis of Decline: a Hopeful, Practical Ecclesiology for a Secular Age, Andrew Root volta à visão comum do colapso institucional das igrejas no Ocidente, particularmente nos Estados Unidos, onde a proporção de “nones”, jovens sem filiação religiosa, está a crescer rapidamente. Falando diretamente às “igrejas e pastores que procuram sobreviver, ou mesmo prosperar, num período de colapso desorientador”, o teólogo protestante recorre ao pensamento de Karl Barth para obter conselhos práticos para os tempos contemporâneos. Segundo o autor, tanto o liberalismo como o fundamentalismo condenam a fé a uma “retirada defensiva”, enquanto os cristãos deveriam estar “atentos à presença e à ação do Deus vivo no mundo”, seguindo Barth, que “acredita, confessa e proclama corajosamente que só Deus é Deus, que só Deus é o juiz do mundo e que só Deus é o salvador amoroso do mundo”, mesmo no contexto de uma modernidade contra a qual seria ilusório lutar. Ele pede que se desafie a atual modernidade, que prega um esquecimento do significado de Deus.

First Things, inglês


5 – A política internacional francesa é seguida de perto pela Santa Sé, diz o novo embaixador

Por ocasião do feriado na França de 14 de Julho, a Rádio Vaticano entrevistou Florence Mangin, a segunda mulher a ocupar o cargo de embaixadora francesa junto da Santa Sé, um mês e meio depois de ter apresentado as suas credenciais ao Papa Francisco. Neste posto “atípico”, a diplomata nota “uma abordagem mais multilateral”. Ela observa “que a política internacional francesa é de grande interesse para o Vaticano. Realmente muito”, citando entre as preocupações comuns à ação no Líbano, o Oriente Médio, África, o clima e as desigualdades. Observa também que a Igreja Católica francesa é também de grande interesse com “o seu caráter inovador e criativo”. A embaixadora explicou que queria promover a língua francesa e destacar os franceses que trabalham para a Santa Sé. E ela sublinha que “a natureza específica da Santa Sé, como Estado e como poder espiritual, significa que se tem de inventar uma posição à medida que se vai avançando, dia após dia, de acordo com as reuniões que se tem.

Vatican News, francês

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
AbortoResenha de ImprensaVaticano
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia