Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 08 Agosto |
São Domingos de Gusmão
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Padre não adere a falsa Igreja na China e governo comunista derruba sua capela

Regime comunista chinês

gopixa/Shutterstock

Francisco Vêneto - publicado em 27/07/22

O pe. Dong se declarou o único entre mais de 100 sacerdotes da diocese de Zhengding a refutar o controle comunista, cada vez mais rígido

Um padre se negou a aderir à falsa Igreja na China, inventada e controlada pelo regime comunista, e, em represália, o governo do país demoliu a sua capela na cidade de Youtong.

A alegação oficial das autoridades comunistas é que o templo provisório era clandestino, ou seja, não estava registrado na Associação Patriótica Católica Chinesa. Tal associação, apesar do nome, não tem nada de católica: é apenas uma entidade criada e controlada pelo Partido Comunista para cortar o vínculo entre os católicos da China e a Santa Sé, mantendo-os todos sob estrita vigilância.

A capela demolida funcionava em instalações provisórias. O sacerdote responsável era o pe. Dong Baolu, que se negou a sujeitar-se à igreja-fantoche do regime de Pequim. A imprensa local noticiou que as autoridades do regime derrubaram as instalações enquanto o sacerdote estava internado para exames médicos. O episódio ocorreu em junho.

De acordo com a agência de notícias Asia News, o pe. Dong se declarou o único entre mais de 100 sacerdotes da diocese de Zhengding a refutar o controle comunista, que, por sua vez, vem se tornando cada vez mais rígido.

Partido Comunista contra a Igreja

O Partido Comunista Chinês endureceu em 2018 as regulamentações sobre atividades religiosas, proibindo os clérigos católicos de exercerem o ministério caso não aderissem à famigerada Associação Católica Patriótica Chinesa. Os que optaram por continuar fiéis à Santa Sé passaram a ser considerados clandestinos e, portanto, perseguidos sistematicamente.

O Vaticano tentou melhorar a situação da Igreja na China mediante um acordo assinado com Pequim. O acordo foi renovado em 2020 e deverá ser novamente renovado em outubro deste ano. Seu conteúdo, porém, nunca foi divulgado ao público. Sabe-se que um dos temas é a nomeação de bispos, que precisa ser submetida à autorização de Pequim.

A situação dos católicos fiéis à Santa Sé, no entanto, nunca melhorou. Pelo contrário, a perseguição do regime comunista se intensificou nos últimos anos, com fiéis e clérigos sendo presos, templos sendo fechados ou demolidos e até a liturgia sofrendo intervenções grotescas do Partido Comunista: há relatos de igrejas em que imagens sacras foram substituídas por fotos e citações do ditador Xi Jinping, por exemplo, ou de ordens para que os padres preguem o comunismo durante as homilias.

No âmbito administrativo, passaram a vigorar em 1º de junho deste ano as novas medidas do governo chinês relativas à gestão financeira dos locais religiosos, o que, na prática, permite ao regime de Pequim controlar receitas e despesas das organizações religiosas – sobretudo os donativos enviados do exterior. Desde 1º de março, também estão em vigor novas regras sobre serviços de informação religiosa na internet, que proíbem a veiculação de cultos religiosos sem prévia permissão das autoridades comunistas.

Tags:
comunismoIdeologiaIgreja CatólicaPerseguiçãoPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia