Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 08 Agosto |
São Domingos de Gusmão
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Resenha de Imprensa: O Papa deve renovar o acordo pastoral com a China?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
ROSARY,CHINA,POPE FRANCIS

Antoine Mekary | Aleteia

I.Media para Aleteia - publicado em 27/07/22 - atualizado em 27/07/22

O seu resumo das principais notícias do dia: uma seleção de artigos escritos pela imprensa internacional sobre a Igreja e as principais questões que preocupam os católicos em todo o mundo. As opiniões e pontos de vista expressos nestes artigos não são dos editores da Aleteia

Quarta-feira, 27 de Julho de 2022

1 – O Papa deveria renovar o acordo pastoral com a China?
2 – Viktor Orban é um problema para a Igreja?
3 – Daniel Rudd, escravo que se tornou jornalista católico e defensor da igualdade


1 – O Papa deveria renovar o acordo pastoral com a China?

Em 2018, a Santa Sé assinou um acordo com a China sobre a nomeação de bispos, que expira em Outubro de 2022 e deve ser renovado. No website Bitter Winter, o jornalista Massimo Introvigne revê as recentes declarações do Papa numa entrevista à Reuters, na qual afirmou que queria que o acordo continuasse, apesar dos poucos resultados obtidos até agora. O jornalista italiano critica a visão do pontífice das relações com a China, segundo a qual a Ostpolitik liderada pelo Cardeal Casaroli nos anos 60 e 70 preparou a queda dos regimes comunistas. Ele assinala que esta interpretação é controversa e que, mesmo naquela altura, a Santa Sé não teve de ceder tanto perante os países da Europa de Leste. A posição do Papa é difícil de manter, explica Introvigne, porque ao mesmo tempo “padres dissidentes continuam presos” e “vários bispos católicos ‘desaparecidos’ não reapareceram”. Mas agora, não renovar o Acordo poderia ser pior, reconhece ele, considerando que o Vaticano se colocou agora “numa situação impossível”.

Bitter Winter, inglês

Um artigo de opinião publicado no Catholic Herald analisa a situação atual da Igreja Católica na Europa, particularmente nos países da Europa Central e Oriental, como a Polônia e a Hungria, e pergunta qual deve ser a posição da Igreja. Contrasta as atitudes do Papa Francisco e do primeiro-ministro de direita católico e nacionalista húngaro Viktor Orban. O artigo salienta que os países da Europa Central e Oriental “são as únicas regiões da Europa onde a Igreja Católica está a crescer”. No entanto, nestas regiões, “a fé cristã está fortemente ligada ao tradicionalismo e ao nacionalismo”, o que pode contrastar com a atitude aberta do Papa Francisco. “É claro que não é segredo que a Europa e a UE estão agora muito divididas entre um Oriente mais homogéneo, re-cristianizado e tradicionalista e um Ocidente mais diversificado, secular e progressista”, afirma o artigo, “mas onde é que isso deixa exatamente a Igreja, presa entre estas visões de mundo”? “Para a Igreja, é cada vez mais uma corda bamba: poderá o Vaticano alienar realmente a única parte da Europa onde a fé cresce, enquanto enfrenta bancos vazios no resto do mundo ocidental? Por outro lado, quer a Igreja ser associada a políticas de linha dura sobre migração e nacionalismo, especialmente numa altura em que está a se abrir a comunidades como os povos indígenas do Canadá?

Catholic Herald, inglês


3 – Daniel Rudd, escravo que se tornou jornalista católico e defensor da igualdade

O website National Catholic Register traz um artigo sobre a vida de Daniel Rudd, que nasceu escravo em 1854 e fundou o primeiro jornal católico negro do país, o American Catholic Tribune. Nascido numa fazenda em Bardstown, Kentucky, Rudd foi iniciado no catolicismo numa catedral próxima. Ele recorda que foi batizado “na mesma fonte onde todos os outros, brancos e negros, foram batizados sem discriminação”, explica o artigo. A emancipação teve lugar em 1865 e em 1885 Rudd fundou um jornal católico negro onde promovia ideias de justiça racial, pois acreditava verdadeiramente que a Igreja poderia ser uma força positiva nesta batalha. “A grande Igreja do nosso Senhor e Salvador persegue tranquilamente a sua missão divina de “ensinar todas as nações”, pondo sempre o seu selo de aprovação na justiça e equidade e condenando em todas as épocas a injustiça feita aos pobres e desprezados negros”, escreveu Rudd. Muitos católicos e clero apoiaram o jornal de Rudd e ele reimprimiu textos de bispos que se opunham à segregação racial. O trabalho de Rudd também foi além do jornalismo, uma vez que promoveu a igualdade racial em vários grupos políticos e de advocacia. “A vida deste fascinante líder e ativista católico negro será de interesse para todos os católicos e, esperemos, irá nos inspirar a estar tão empenhados como Daniel Rudd numa visão católica da igualdade racial”, conclui o artigo.

National Catholic Register, inglês

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
DiálogoResenha de ImprensaVaticano
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia