Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 05 Outubro |
São Benedito
Aleteia logo
Estilo de vida
separateurCreated with Sketch.

7 citações de Edith Stein que toda mulher deveria ler

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
shutterstock_595799987.jpg

Waraporn Wattanakul | Shutterstock

Michael Rennier - publicado em 10/08/22

Com a sua marca particular de feminismo, esta santa é uma voz luminosa para os tempos modernos

Edith Stein foi uma mulher excepcional. Nasceu na Alemanha em 1891 e acabou por se tornar conhecida pelo seu nome religioso, Santa Teresa Benedita da Cruz.

Stein poderia ter levado uma vida tranquila fora dos olhos do público, uma vez que às mulheres do seu tempo foram muitas vezes atribuídos papéis significativamente menores na sociedade do que aos homens.

Em vez disso, ela decidiu fazer o seu próprio caminho e seguir a sua verdadeira vocação, o que a levou primeiro a um curso de filosofia de grande prestígio na Universidade de Göttingen, depois ao ensino e à conversão à fé católica, e finalmente ao ingresso num mosteiro carmelita.

A vida fascinante de Stein foi encurtada prematuramente com o seu martírio num campo de concentração nazista durante a Segunda Guerra Mundial, mas devido à sua experiência variada e intelecto profundo, ela foi capaz de escrever e publicar de forma perspicaz sobre as mulheres e sua vocação, durante os anos que teve à sua disposição.

As suas ideias foram especialmente influentes para o Papa S. João Paulo II, que a canonizou em 1998, dizendo:

A experiência desta mulher, que enfrentou os desafios de um século atormentado como o nosso, é um exemplo para nós

Verdadeiro feminismo

Stein é uma santa dos tempos modernos e é particularmente perspicaz sobre o que significa ser mulher no mundo de hoje.

O seu feminismo, verdadeiro, é original, refrescante e contém a sabedoria de que as mulheres de hoje podem beneficiar.

Ela não é uma pessoa fácil de classificar, nem espera que outras mulheres tentem encaixar em qualquer rótulo.

Em vez disso, ela explica o dom único e insubstituível que as mulheres são para o mundo.

Assim, ao final, talvez ela não estivesse a tentar ser uma mulher excepcional, talvez estivesse simplesmente a ser ela própria.

Aqui está uma pequena amostra do que ela pode dizer ao mundo de hoje:

Ser mãe significa alimentar e proteger a verdadeira humanidade e levá-la ao seu pleno desenvolvimento

Edith nunca duvidou que ser mãe é uma vocação insubstituível a que muitas mulheres são chamadas.

Nem todas as mulheres precisam ser mães (ela própria não foi) para levarem vidas felizes e realizadas, mas apenas uma mulher pode ser chamada a esta sublime vocação que é frequentemente subvalorizada.

Edith, pelo contrário, insistiu que é uma das mais nobres das vocações. Se você é mãe, lembre-se da dignidade e importância da sua vocação.

Qualquer profissão em que a alma de uma mulher é mestre de si mesma e que pode ser exercida pela alma de uma mulher é uma verdadeira profissão feminina

Então, se as mulheres não estão limitadas à maternidade, que opções existem e onde está o limite para o que uma mulher pode fazer?

Edith insiste que a lista é interminável e que as possíveis vocações disponíveis para as mulheres são todas e quaisquer profissões ou vocações nas quais suas almas encontram a sua verdadeira dignidade.

A alma da mulher é moldada como um refúgio onde outras almas podem se desenvolver

Edith Stein é muito mais inteligente do que eu, por isso esta frase é difícil de interpretar, mas vale a pena tentar, porque o seu significado é muito profundo.

Uma das perguntas que ela faz constantemente é “podemos realmente conhecer outras pessoas, particularmente a forma como se sentem?”

A sua resposta é “sim”, porque a própria natureza da alma humana, a razão da sua existência, encontra-se na relação com outras almas.

É uma forma complicada de dizer que o que realmente dá sentido à vida são as nossas relações.

Para ela, as mulheres são especificamente dotadas da capacidade de abrir as suas almas, o que confere propósito e significado à vida dos outros.

No mundo moderno e prático, a empatia não é realmente compreendida ou praticada porque não acreditamos que seja possível ou simplesmente não a valorizamos, mas Edith insiste que é uma vocação valiosa.

A alma da mulher deve ser ampla e aberta a tudo o que é humano; deve ser calma, para que nenhuma chama fraca possa ser extinta pela tempestade; deve ser quente, para que as sementes tenras não congelem; (…) vazia de ego, para que a vida dos outros possa ter espaço nela; finalmente, senhora de si mesma e do seu próprio corpo, para que toda a sua personalidade possa estar numa atitude de serviço a cada chamado

De acordo com Edith, uma mulher que está em total controle de si própria é livre para viver para os outros.

A verdadeira força reside no amor sacrificial que é apoio onde os outros são fracos.

Num mundo onde o poder, a riqueza e a atenção parecem receber todos os aplausos, Edith Stein lembra-nos que uma mulher encontra verdadeiramente alegria e satisfação ao tornar a sua alma bela em primeiro lugar.

Toda mulher que vive à luz da eternidade pode cumprir a sua vocação, seja no casamento, seja numa ordem religiosa ou numa profissão

Todos nós temos diferentes vocações na vida. Nem todas as mulheres precisam de ser mães, freiras ou presidentes de empresas, mas qualquer que seja a vocação de uma mulher, ela irá cumpri-la melhor se compreender o que é no mundo e como pode contribuir para o avanço da sua felicidade.

Edith acredita que qualquer que seja a sua vocação, você deve permitir que Deus faça parte dela.

As mulheres procuram naturalmente abraçar o que é vivo, pessoal e inteiro. Cuidar, guardar, proteger, nutrir e promover o crescimento é o seu desejo natural e materno

shutterstock_1897132027.jpg

Somos todos limitados e provavelmente todos temos vergonha dos erros que cometemos no passado.

Edith sublinha que as mulheres podem abordar estes sentimentos quase como uma mãe o faria, vendo as falhas não como uma característica isolada a ser incessantemente criticada ou como uma forma de definir toda uma vida, mas que podem seguir um caminho melhor.

Uma mulher vê a pessoa como um todo, como um trabalho em progresso e capaz de ser alimentado até à grandeza.

[As mulheres] compreendem não só com o intelecto, mas também com o coração

O intelecto é valioso para compreender verdades e competências básicas, mas quando realmente conhecemos alguém ou algo, o nosso conhecimento ajuda-nos também a amá-lo.

O objetivo do conhecimento é amar essas belas e maravilhosas verdades que desvendamos.

Isto significa que o coração, em combinação com a mente, é necessário para conhecer o mundo que nos cerca.

O olho de quem ama vê mais claramente, o que significa que tudo o que amamos melhor, também sabemos melhor.

Num mundo onde a ciência e a tecnologia dominam, não esqueçamos o valioso conhecimento que vem do coração.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
FelicidadeMulherSantos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia