Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 02 Março |
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Hoje é o dia dos diáconos permanentes: afinal, quem são eles?

diáconos permanentes

Pascal Deloche | Godong

Francisco Vêneto - publicado em 10/08/22

10 de agosto é a festa litúrgica de São Lourenço, diácono e mártir

A Igreja celebra hoje, 10 de agosto, o dia dos Diáconos Permanentes porque esta é a data da festa litúrgica de São Lourenço, diácono e mártir do século III.

São Lourenço

Lourenço era um dos sete diáconos de Roma na época. O Papa Sisto II o nomeou administrador dos bens materiais da Igreja, o que lhe permitia organizar a distribuição de ajudas às muitas pessoas pobres da cidade. Por esta mesma razão, ele foi alvo da cobiça que, juntamente com o ódio à fé cristã, decretou o seu martírio. Saiba mais sobre São Lourenço nesta matéria:

Quem são, afinal, os diáconos?

No tocante ao diaconado (ou diaconato), trata-se do primeiro dos três graus do sacramento da ordem; os seguintes são o presbiterato e o episcopado. O Catecismo da Igreja Católica os explica em seus números 1554 e 1571.

Embora receba o sacramento da ordem, o diácono não é sacerdote – nem precisa ser. Existe certa confusão entre os fiéis a este respeito porque, após o século V, o diaconato como ministério permanente foi perdendo espaço no Ocidente, vindo a reduzir-se a uma espécie de “etapa” antes do próximo grau da ordem. Depois do Concílio Vaticano II é que o diaconato foi restabelecido como “um grau particular dentro da hierarquia”.

De fato, a carta apostólica “Sacrum diaconatus ordinem”, publicada em 1967 pelo Papa São Paulo VI, explicita que o diaconato não deve ser considerado como “simples grau para ascender ao sacerdócio” e reafirma que “aqueles que a ele são chamados podem dedicar-se de modo estável aos mistérios de Cristo e da Igreja”.

Historicamente, os diáconos ajudavam os padres e bispos prestando-lhes assistência qualificada nas celebrações, o que representa muito mais do que ser meros “ajudantes”, como às vezes são equivocadamente vistos por quem desconhece a natureza do diaconato.

Fundamentalmente, os diáconos se ordenam ao ministério da palavra, da liturgia e da caridade.

Outras de suas funções podem ser compreendidas claramente mediante a leitura da constituição dogmática Lumen Gentium, bem como do Direito Canônico em seus cânones 757, 835, 910, 943 e 1087. Entre elas estão:

  • o batismo;
  • a leitura da Sagrada Escritura aos fiéis;
  • o ministério ordinário da Sagrada Comunhão, incluindo:

    • a conservação e distribuição da Eucaristia;
    • a exposição do Santíssimo Sacramento;
    • a bênção eucarística;
    • a oferta do viático aos doentes terminais;
  • a assistência ao sacramento do matrimônio e a bênção matrimonial em nome da Igreja;
  • a presidência do rito fúnebre e do sepultamento cristão;
  • a administração de sacramentais.

Em relação à preparação para o diaconato, a Lumen Gentium explica (n. 29):

“Com o consentimento do Romano Pontífice, poderá este diaconado ser conferido a homens de idade madura, mesmo casados, e a jovens idôneos; em relação a estes últimos, porém, permanece em vigor a lei do celibato”.

Ou seja: um homem casado pode tornar-se diácono permanente, mas um diácono solteiro, via de regra, não poderá casar-se – a menos, obviamente, que solicite e obtenha a respectiva dispensa.

Já no caso dos diáconos que serão ordenados sacerdotes, a preparação para o diaconato deve durar ao menos 3 anos, conforme determinação do Código de Direito Canônico (n. 236).

Tags:
IgrejaPadresSacramentosVocação
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia