Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 30 Setembro |
São Jerônimo
Aleteia logo
Espiritualidade
separateurCreated with Sketch.

Nossa Senhora não teve outros filhos. Entenda

Chrystus i Maryja w niebie

jorisvo | Shutterstock

Vanderlei de Lima - publicado em 15/08/22

São dois os argumentos que sustentam esta verdade

Maria Santíssima não teve outros filhos além de Jesus, conforme veremos nos dois argumentos apresentados neste artigo. 

O primeiro argumento diz que os “irmãos” de Jesus seriam filhos de São José de um primeiro matrimônio seu antes de desposar-se com a Virgem Maria. Esta é uma antiga tradição, embora escrita em estilo deveras fantasioso, registrada no Protoevangelho de Tiago, apócrifo cristão do ano 150 mais ou menos (cf. cap. VIII e IX). Ela merece atenção por defender, já nos princípios do Cristianismo, que os “irmãos” de Jesus não eram filhos de Nossa Senhora, a sempre virgem, mas apenas de São José.

Os contestadores da perpétua virgindade de Maria apresentam, no entanto,textos do Novo Testamento que tratam dos “irmãos de Jesus” (Mc 6,3; 3,31-35; Jo 2,12, 7,2-10; At 1,14; Gl 1,19 e 1Cor 9,5) a fim de sustentarem que Maria teve outros filhos além de Jesus. Aqui entra o segundo argumento com a afirmação do Papa São João Paulo II ao dizer ser “preciso recordar que, tanto em hebraico como em aramaico, não existe um vocábulo particular para exprimir a palavra ‘primo’ e que, portanto, os termos ‘irmão’ e ‘irmã’ tinham um significado muito amplo que abrangia diversos graus de parentesco. Na realidade, com o termo ‘irmãos de Jesus’ são indicados ‘os filhos de uma Maria discípula de Cristo (cf. Mt 27,56) designada de modo significativo como ‘a outra Maria’ (Mt 28,1). Trata-se de parentes próximos de Jesus, segundo uma expressão conhecida do Antigo Testamento’ (Catecismo da Igreja Católica, n. 500)” (A Virgem Maria: 58 catequeses do Papa sobre Nossa Senhora. 2ª ed. Lorena: Cléofas, 2001, p. 83).

Em suma, podemos dizer que os próprios Evangelhos deixam claro que os chamados “irmãos de Jesus” não eram filhos de Maria. Com efeito, em Lc 2,41-52, vê-se que Jesus é filho único. Sim, José e Maria não teriam feito a viagem a Jerusalém deixando, em casa, filhos pequenos. Em Jo 19,26-27, ao morrer na Cruz, Jesus entrega sua Mãe aos cuidados de João, filho de Zebedeu. Ora, isso seria impossível se Maria tivesse outros filhos. Esses dois argumentos têm grande valor. Mais: o Novo Testamento nunca fala de “filhos de Maria e de José”. Ao contrário, Jesus é apresentado como “filho (adotivo) de José” (Lc 3,23) e “ofilho de Maria” (com artigo, cf. Mc 6,3) quando deveria usar, para ser mais natural, a expressão “filhos de Maria”, em vez de “irmãos de Jesus”, caso fossem realmente irmãos, como entendemos hoje em português (cf. Mc 3,31; At 1,14).

Ainda: o fato de Maria aparecer, nos Evangelhos, sempre em companhia dos “irmãos de Jesus” (= parentes) pode se explicar do seguinte modo: José terá falecido no início da vida pública de Jesus; daí os parentes dele se tornaram solidários para com Nossa Senhora e, por isso, sempre a acompanhavam publicamente. Vê-se, assim, que Tiago, José, Judas e Simão eram primos de Jesus e sobrinhos de Maria por parte de São José. Sim, eles eram filhos de Maria de Cléofas (não de Maria, a Mãe de Jesus). Já Cléofas (ou Alfeu, em aramaico) era irmão de José.

Resta, pois, um ponto a ser resolvido: por que há essa confusão, quando se poderia dizer “primos” (= anepsiós, em grego), em vez de “irmãos de Jesus”? – Porque a tradução grega do Novo Testamento supõe o fundo aramaico. Desse modo, o termo irmãos (= adelphói, em grego) vem do vocábulo ah hebraico e designa tanto irmãos filhos do mesmo pai e mãe, como primos e sobrinhos, conforme se vê, por exemplo, em passagens do Antigo Testamento: Abraão diz que seu sobrinho Lot é seu irmão (cf. Gn 13,8); Jacó se declara irmão de Labão, quando, na verdade, é seu sobrinho (cf. Gn 29,12-15); Labão e seus irmãos (= parentes) foram ao encalço de Jacó (cf. Gn 31,23) entre outras passagens tais como 1 Cr 23,21-23; 15,5; 2Cr 36,10; 2Rs 10,13; Jz 9,3; 1Sm 20,29 etc. (cf. Dom Estêvão Tavares Bettencourt, OSB. Curso de Diálogo Ecumênico. Rio de Janeiro: Mater Ecclesiae, 1989, p. 91-93).

Acrescenta Bernard Sesboüé, SJ, ser “impossível, portanto, provar historicamente que Jesus teve irmãos em sentido estrito, isto é, filhos de Maria sua mãe” (Os sinais da salvação: séculos XII a XX. 2ª ed. São Paulo: Loyola, 2013. Tomo 3 da coleção História dos dogmas).

Eis argumentos em defesa da maternidade virginal de Nossa Senhora.

Tags:
BíbliaJesusMariaNossa Senhora
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia