Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 26 Setembro |
São Cosme e São Damião
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Monge instala-se em abadia, e artistas denunciam ataque ao secularismo

Abbaye_Prebenoit.jpg

Jean Faucheux

Abbaye de Prébenoît, dans la Creuse

Eléonore De Vulpillières - publicado em 24/08/22 - atualizado em 24/08/22

A abadia de Prébenoît, na França, foi desacralizada e transformada num local cultural. Mas há já vários meses que aí vive um monge. E agora querem expulsá-lo

Uma tempestade veio a escurecer o céu da pequena vila de Bétête, em Creuse (França), tendo um monge cisterciense, um artista amador chamado Bernard Bondieu e o município como protagonistas. E a antiga abadia de Prébenoît como pano de fundo.

Na Primavera passada, o Irmão Guerric Aerden, um monge cisterciense belga de 67 anos da abadia de Westamalle, na província de Antuérpia, fixou residência na abadia de Prébenoît, situada no município de Bétête, de acordo com a câmara municipal.

A abadia, que é propriedade do município, não tem sido habitada por um monge desde a Revolução Francesa. O lugar de culto havia sido desacralizado e transformado num albergue da juventude há várias décadas antes de se tornar hoje um espaço cultural.

Monges e artistas: uma coexistência impossível?

Durante os últimos três anos, o Festival Été Vagabond realiza-se em Agosto na abadia de Prébenoît. Mas depois de o monge, que aluga ali um apartamento de dois quartos, pagando à Câmara Municipal por 200 euros por mês, ter se mudado, cerca de trinta artistas preferiram abandonar as instalações, denunciando “um ataque ao secularismo”.

Contactado por Aleteia, Bernard Bondieu, um artista amador e co-fundador do festival, de 73 anos de idade, está em lutando contra a presença do Irmão Guerric. Bernard Bondieu diz que não é uma pessoa “anti-clerical”, que não tem nada de pessoal contra o monge, e que foi “criado na religião cristã e que foi submetido a todos os sacramentos possíveis”.

No entanto, ele diz estar particularmente ligado a valores seculares. E, assim, sente que o eremita está a ocupar demasiado espaço e está a tentar envolver-se na vida loval, por exemplo, ao tentar produzir cerveja dos monges.

“Ele está realmente a começar a ocupar demasiado espaço no local. Ele quer misturar um projeto cultural com um religioso”, diz ele, acrescentando que os projetos do monge não interessam aos habitantes de Betête e arredores.

A Câmara Municipal defende-se

Por outro lado, o presidente da Câmara da cidade, Martial Delcuze, acredita que não há “nada de chocante num monge cisterciense a viver numa abadia cisterciense”.

Segundo ele, o monge paga pelo seu alojamento, e não recebe qualquer tratamento especial em comparação a outras pessoas.

Delcuze afirma que a Câmara Municipal não financiaria indiretamente uma religião, e não violaria o princípio da laicismo estabelecido pela lei de 1905. “Fiquei muito desapontado com o sectarismo do Sr. Bondieu”, disse.

Quanto ao Irmão Guerric, aquele através do qual o escândalo chegou, ele indicou a sua incompreensão da controvérsia ao canal regional France 3, e está a tentar poupar a sensibilidade daqueles que não apreciam a sua vinda para a cidade.

“Eu sou um pouco discípulo de Pascal. É preciso ouvir primeiro a outra pessoa e aceitar que a sua opinião também é sempre um pouco correta. Será a abadia de Prébenoît capaz de preservar a harmonia entre quem acredita no Céu e quem não acredita? Poderia ser alcançada uma reconciliação entre aquele que reza a Deus e Bernard Bondieu?”, disse.

Tags:
LaicismomongesPerseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia