Aleteia logoAleteia logoAleteia
Quarta-feira 28 Setembro |
Santa Eustóquio
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Novo governo da Colômbia impediu país de condenar perseguição anticatólica da Nicarágua

Gustavo Petro lidera o governo de esquerda na Colômbia

@gustavopetrourrego

Francisco Vêneto - publicado em 01/09/22

Ausência da Colômbia em reunião da OEA foi ordem de Gustavo Petro, recém-eleito como o primeiro presidente de esquerda do país

O novo governo da Colômbia impediu o país de condenar formalmente a perseguição anticatólica perpetrada pela ditadura da Nicarágua.

Segundo reportagem da TV Caracol, o recém-eleito presidente Gustavo Petro, o primeiro de esquerda na história colombiana, determinou que o país não participasse da reunião da Organização dos Estados Americanos (OEA) que condenou a perseguição da Nicarágua contra a Igreja Católica. A reportagem foi veiculada pelo programa Notícias Caracol em 28 de agosto.

Dezenas de países de todo o planeta têm condenado abertamente as ações opressivas do regime de Daniel Ortega na Nicarágua. O ex-guerrilheiro de esquerda intensificou os ataques à Igreja a partir de 2019. Só em 2022, ele já expulsou a congregação das Missionárias da Caridade, fechou diversos meios de comunicação católicos, determinou assédio policial contra paróquias e, após um cerco que durou 15 dias, prendeu o bispo de Matagalpa, dom Rolando Álvarez, bem como outros padres, seminaristas e leigos católicos.

A reunião do Conselho Permanente da OEA na qual faltaram a Colômbia e a própria Nicarágua aconteceu em 12 de agosto, com a presença, portanto, de 32 dos 34 países membros. Na ocasião, os países presentes aprovaram uma resolução de “veemente condenação” ao “fechamento forçado de organizações não governamentais” e às “restrições arbitrárias contra organizações religiosas”, bem como ao assédio contra as “vozes críticas ao governo e suas ações”.

A resolução foi aprovada por 27 votos a favor, 1 contra (São Vicente e Granadinas) e 4 abstenções (El Salvador, Honduras, Bolívia e México, todos governados pela esquerda).

Em 14 de agosto, o representante da Colômbia apontado por Petro junto à OEA, Luis Ernesto Vargas, alegou não ter ido à reunião porque não tinha ainda apresentado as suas credenciais para assumir o cargo.

A reportagem da TV Caracol consultou o vice-ministro de Assuntos Multilaterais, Juan José Quintana, e lhe perguntou se foi emitida uma ordem para que a Colômbia não participasse da sessão de 12 de agosto. Quintana confirmou que sim:

“Após consulta às autoridades pertinentes, a respectiva instrução foi transmitida à Missão Permanente junto à OEA. A decisão tomada foi devidamente consultada com o ministro das Relações Exteriores. As razões pelas quais foi tomada a decisão sobre a não participação da Colômbia na sessão do conselho permanente de 12 de agosto estão relacionadas com aspectos sensíveis da política externa, que são confidenciais”.

Por sua vez, o ministro das Relações Exteriores, Álvaro Leyva, divulgou comunicado em 30 de agosto alegando que a ausência da Colômbia “se deveu a razões estratégicas e humanitárias, e não ideológicas”.

Em 16 de agosto, o senador colombiano Mauricio Giraldo declarou que o chanceler deve comparecer perante o Congresso e responder pelas omissões do novo governo esquerdista da Colômbia “em relação à violação de direitos humanos e à perseguição religiosa” que acontece hoje sob a ditadura da Nicarágua.

Tags:
IdeologiaIgreja CatólicaPerseguiçãoPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia