Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 26 Setembro |
São Cosme e São Damião
Aleteia logo
Cultura & Viagem
separateurCreated with Sketch.

Arca de São Domingos: a obra-prima que levou 5 séculos para ficar pronta

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Ark of Saint Dominic

Joaquin Ossorio Castillo | Shutterstock

Daniel R. Esparza - publicado em 02/09/22

Feita em etapas e por alguns dos melhores escultores de todos os tempos, a obra contém os restos mortais do santo espanhol

A Arca de São Domingos, que está na Basílica de San Domenico, em Bolonha (Itália), é um monumento funerário que contém os restos mortais de São Domingos de Gusmão, o fundador da Ordem dos Pregadores. 

A obra levou cerca de 500 anos para ser concluída. Alguns dos melhores escultores da história da arte italiana, de Nicola Pisano a Michelangelo, trabalharam nela.

Nascido no fim do século XII em Caleruega (uma cidade relativamente pequena, a uma hora ao sul de Burgos ), São Domingos morreu em Bolonha no ano de 1221, no então convento da igreja de San Nicolò delle Vigne. Depois, a igreja passou por uma ampliação e recebeu o nome do santo espanhol, tornando-se a Basílica de San Domenico.

O santo foi enterrado, a princípio, atrás do altar da igreja. Uma década depois, seus restos mortais foram trasladados para o sóbrio sarcófago de mármore no chão da igreja, que logo se tornou um local popular de peregrinação. Mas a maioria dos peregrinos não conseguia chegar ao túmulo de São Domingos por causa do grande número de pessoas que ficam em pé diante dele, rezando dia e noite. Era, portanto, necessário um monumento maior, que pudesse ser visto de longe.

Nicola Pisano desenhou o novo túmulo e esculpiu várias figuras na parte frontal do sarcófago.

O novo túmulo

Os dominicanos contrataram o famoso escultor Nicola Pisano para fazer um novo túmulo. Pisano é considerado o último escultor gótico e pioneiro do Renascimento. Ele projetou o novo monumento funerário e esculpiu várias figuras na parte frontal do sarcófago. Mas logo teve que sair de Bolonha para ir a Siena construir o púlpito da catedral, pois já era famoso por seu trabalho no Batistério de Pisa. Um de seus assistentes, Lapo Di Ricevuto, completou a primeira parte do monumento por volta do ano de 1265.

O túmulo foi transferido para o meio da igreja em 1411. Um grupo de escultores liderados por Niccolò Da Bari passou a acrescentar elementos na Arca de São Domingos. Entre os artistas estava um jovem chamado Michelangelo, que acrescentou a imagem de São Petrônio ao monumento.

A capela foi reconstruída em 1597 pelo notável arquiteto Floriano Ambrosini, pois os frades viram a necessidade de uma capela melhor para abrigar os restos mortais de seu fundador e receber os numerosos peregrinos que percorriam o Caminho Dominicano para chegar lá. O afresco na cúpula da abside desta nova capela, a Glória de São Domingos, é obra do mestre classicista Guido Reni .

O afresco na cúpula da abside desta nova capela, a Glória de São Domingos, é obra do maestro classicista Guido Reni .

Atualmente, a Basílica ainda é a última parada do Caminho Dominicano, que começa na cidade natal do santo, Caleruega, no norte da Espanha.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
ArteperegrinacaoViagem
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia