Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 30 Setembro |
São Jerônimo
Aleteia logo
Religião
separateurCreated with Sketch.

Direto do Vaticano: Xi Jiping irá encontrar-se com o Papa Francisco no Cazaquistão?

Este artigo é exclusivo para os membros de Aleteia Premium
Beatification-mass-of-late-Pope-John-Paul-I-Antoine-Mekary-ALETEIA

Antoine Mekary | ALETEIA

I.Media para Aleteia - publicado em 06/09/22

Boletim Direto do Vaticano de 6 de setembro de 2022

  1. Xi Jinping irá visitar o Cazaquistão ao mesmo tempo que o Papa
  2. Responsável de recursos humanos nomeado pela primeira vez no Vaticano
  3. Ucrânia no centro da conversa entre o Papa e o novo embaixador polonês na Santa Sé

1Xi Jinping irá visitar o Cazaquistão ao mesmo tempo que o Papa

Por Camille Dalmas – Presidente da República Popular da China, Xi Jinping, deslocar-se-á a Nur-Sultan, no Cazaquistão, para uma visita de estado a 14 de Setembro de 2022. Foi o que anunciou Aibek Smadiyarov, representante do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Cazaquistão, a 5 de Setembro. O Chefe de Estado chinês estará na capital no mesmo dia que o Papa Francisco, que se desloca de 13 a 15 de Setembro para participar de um encontro inter-religioso organizado pelo governo do Cazaquistão.

O funcionário disse que ainda não sabia se Xi Jinping iria participar da reunião inter-religiosa. Se o fizer, poderá ser o primeiro encontro entre um Papa e um chefe de Estado chinês na história.

Uma viagem altamente observada

Oficialmente, a visita de Xi Jinping visa à assinatura de documentos bilaterais em várias áreas de cooperação política, comercial, econômica, cultural e humanitária, explicou o porta-voz. Jinping vai a convite do Presidente do Cazaquistão Kassym-Jomart Tokayev.

Esta viagem do presidente chinês será altamente observada: é a primeira que ele faz desde o surto da pandemia no seu país em 2019. Viajará então para Samarkand, uma famosa parada na Rota da Seda no Uzbequistão, onde se realizará o encontro da Organização de Cooperação de Xangai nos dias 15 e 16 de Setembro.

Esta organização reúne a China, a Índia, o Paquistão, a Rússia e as repúblicas da Ásia Central. Xi Jinping deverá encontrar-se nesta ocasião com o Presidente russo Vladimir Putin.


2Responsável de recursos humanos nomeado pela primeira vez no Vaticano

Por Camille Dalmas – O Papa Francisco nomeou Luis Herrera Tejedor como diretor da Diretoria de Recursos Humanos dentro do Secretariado para a Economia, o Gabinete de Imprensa da Santa Sé anunciou a 5 de Setembro. Esta nomeação era esperada após a publicação da nova Constituição Apostólica Praedicate Evangelium em Março, e que transfere de fato a maioria das competências no domínio dos recursos humanos da Secretaria de Estado para a Secretaria de Economia.

O artigo 217 da Constituição estabelece uma “Diretoria de Recursos Humanos da Santa Sé” no seio do Secretariado para os Assuntos Económicos, cuja missão é providenciar, “em diálogo e cooperação com as entidades interessadas”, todas as questões relativas aos cargos e gestão do trabalho do pessoal e dos colaboradores das entidades sujeitas à legislação própria da Santa Sé. É, portanto, esta entidade que será agora responsável por autorizar todo o recrutamento dentro da Cúria Romana.

3.000 empregados na Santa Sé

A seção de Assuntos Gerais, que anteriormente era responsável por esta tarefa, está agora livre de tal atribuição. Contudo, mantém a sua função em certos casos específicos, em particular “nomeações feitas ou aprovadas pelo pontífice” (artigo 48 §2), incluindo as dos prefeitos, membros, secretários e subsecretários e consultores das instituições curiais. Também mantém o controle sobre a nomeação de pessoal diplomático em cooperação com a terceira seção da Secretaria de Estado – “pessoal diplomático da Santa Sé” – criada em 2017 para este fim pelo Papa Francisco.

A Santa Sé tem 3.000 empregados – clérigos religiosos e leigos – que trabalham nos vários dicastérios da Cúria em Roma e nas representações apostólicas em todo o mundo.


3Ucrânia no centro da conversa entre o Papa e o novo embaixador polonês na Santa Sé

Por Hugues Lefèvre – Adam Mariusz Kwiatkowski, o novo embaixador polonês na Santa Sé, apresentou as suas credenciais ao Papa Francisco a 5 de Setembro. De acordo com a imprensa polonesa, o Papa Francisco expressou a sua gratidão ao povo polonês por acolher refugiados ucranianos. Este Verão, o novo embaixador disse que uma das suas missões seria mostrar as consequências da agressão da Rússia na Ucrânia.

Nascido em 1972 em Varsóvia, Adam Mariusz Kwiatkowski inicia o seu primeiro posto como embaixador e sucede a Janusz Kotanski em Roma. O pai de três filhos é licenciado em administração e gestão pela Universidade de Varsóvia (2005) e, desde 2019, estudante de doutoramento na Faculdade de Administração da mesma universidade. De 2015 a 2017, foi Chefe de Gabinete do Presidente da República da Polônia, tendo posteriormente exercido o cargo de Secretário de Estado na Chancelaria da Presidência. Adam Mariusz Kwiatkowski foi recentemente consultor para as políticas sociais do Presidente da República, onde foi responsável por questões relacionadas com a diáspora polaca.

Nomeado embaixador a 11 de Abril

Entrevistado pelo Vatican News a 23 de Julho, o homem que foi nomeado embaixador polaco junto da Santa Sé a 11 de Abril explicou que queria “apoiar os esforços que forçarão a Rússia a pôr fim à agressão e às atividades genocidas” na Ucrânia. “Após mais de cinco meses de ação militar, podemos ver claramente que este ataque injustificado da Federação Russa à Ucrânia tem efeitos negativos em escala global, por exemplo, os relacionados com a segurança alimentar”, disse ele.

Sublinhando os laços estreitos entre a Santa Sé e a Polônia, tanto diplomática como religiosamente, disse que se sentia guiado por João Paulo II na sua missão. Desde o início da invasão russa à Ucrânia a 24 de Fevereiro, mais de cinco milhões de ucranianos entraram em território polonês para fugir temporariamente da guerra.

O primeiro a apoiar a Ucrânia

Em várias ocasiões, o Papa Francisco agradeceu ao povo polonês pelo seu acolhimento. “Foram os primeiros a apoiar a Ucrânia abrindo as vossas fronteiras, os vossos corações e as portas das vossas casas aos ucranianos que fugiram da guerra”, disse ele durante uma audiência geral alguns dias após a invasão russa.

Após a audiência com o Papa, o novo embaixador disse que Francisco admirava a atitude dos poloneses. “O Santo Padre expressou a sua grande gratidão a toda a Polónia, a todos os nossos cidadãos. Ele disse que olhou com admiração para a forma como os poloneses se estavam a abrir à difícil situação dos nossos vizinhos, os ucranianos que tiveram de abandonar as suas casas e fugir da Ucrânia”, disse Adam Mariusz Kwiatkowski ao jornal Stacja7. Ele acrescentou: “Ele disse estar profundamente impressionado por tantos deles estarem na Polónia, terem encontrado refúgio aqui e que, de fato, não existem campos de refugiados na Polónia”.

Este artigo é exclusivo para os membros Aleteia Premium

Já é membro(a)? Por favor,

Grátis! - Sem compromisso
Você pode cancelar a qualquer momento

1.

Acesso ilimitado ao conteúdo Premium de Aleteia

2.

Acesso exclusivo à nossa rede de centenas de mosteiros que irão rezar por suas intenções

3.

Acesso exclusivo ao boletim Direto do Vaticano

4.

Acesso exclusivo à nossa Resenha de Imprensa internacional

5.

Acesso exclusivo à nova área de comentários

6.

Anúncios limitados

Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Apoie o jornalismo que promove os valores católicos
Tags:
DiálogoDireto do VaticanoGuerraPapa Francisco
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia