Aleteia logoAleteia logoAleteia
Segunda-feira 03 Outubro |
Santos André de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro, Mateus Mo...
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

Direita, esquerda e o sangue dos mártires: a ideologia mata

SOURCE

Sdecoret - Shutterstock

Júlio César de Paula Ribeiro - publicado em 07/09/22 - atualizado em 07/09/22

O Papa Francisco alertou: “Exorto-vos a ter cuidado com as ideologias. As ideologias destroem porque nos fazem ver de uma só maneira e fecham a visão universal"

A Doutrina Social da Igreja (DSI) é, desde seu início, um obstáculo às ideologias extremistas e forças políticas opressoras, tornando-se um incômodo aos mais diversos regimes e governos. Católicos que pregaram a DSI sofreram perseguição e até mesmo o martírio. Direita e esquerda, quando vividas de forma fechada, radical e apaixonada, levam à morte, destruição e opressão. A história prova isso, mas também os mártires são testemunhas do perigo das ideologias. 

Em El Salvador, em 1980, o então bispo São Óscar Romero, foi assassinado por criticar a ditadura militar do seu país, colocando-se ao lado dos pobres e denunciando o autoritarismo de direita que fez muitas vítimas. Três anos antes, o Beato Padre Rutílio Grande já tinha sido morto, acusado de ser comunista e crítico ao governo, como confessou um dos assassinos. 

No Vietnã, em 1975, o Cardeal Van Thuan foi preso pelo regime comunista, acusado de conspirar, junto com São Paulo VI, contra o governo autoritário do seu país. 

O próprio São Paulo VI, quando padre dos universitários, foi perseguido pelo fascismo, acusado de atividades revolucionárias e antipatrióticas, viu amigos serem mortos, como o hoje Beato e Mártir Teresio Olivelli, ícone do antifascismo, preso e torturado na Itália, em 1945. 

Em 1945, na Itália, foi cruelmente assassinado o Beato Rolando Rivi, por guerrilheiros comunistas. 

Na Guatemala, em 1981, o Beato Padre Rother foi assassinado por um grupo paramilitar que caçava comunistas; o missionário, que havia anos assistia aquele povo, teve sua casa invadida e foi morto. 

No México, em 1927, o Beato Padre Miguel Pró foi morto por militares a serviço do governo liberal, nacionalista, revolucionário, do maçom Plutarco Calles. 

Na Espanha, nos anos 1930, muitos cristãos foram perseguidos pelos comunistas, entre eles o Beato Álvaro del Portillo, preso e torturado. 

Na Hungria, em 1949, o Cardeal Mindszenty foi preso e brutalmente torturado pelo regime comunista soviético, acusado de conspirar contra o governo. Antes disso, já tinha sido preso pelo regime nazista (que por sinal era opositor do comunismo). 

Na Argentina, um bispo, dois padres e um pai de família foram beatificados (os mártires de La Rioja). Eles foram alguns dos assassinados, nos anos 1970, pela ditadura militar argentina, que perseguia “comunistas” e se dizia cristã. 

Casos como esses são inúmeros, cada país sabe quem são suas vítimas do fanatismo político. Também no Brasil, em toda a América, na Europa, África etc., muitas foram as vítimas das ideologias radicais, opostas entre si, mas iguais no autoritarismo, esperando apenas a oportunidade para atuar. 

Já há algum tempo, as ideologias políticas não usam mais armas de fogo para matar, mas continuam fazendo vítimas seus opositores, seja pela destruição da reputação, o cancelamento, as fakes news, o patrulhamento/milícias digitais, o ódio ou qualquer forma mais discreta de eliminar. 

O Papa Francisco alertou: “Exorto-vos a ter cuidado com as ideologias. As ideologias destroem porque nos fazem ver de uma só maneira e fecham a visão universal. As ideologias destroem a humanidade de uma pessoa”. “Não vos deixeis arrastar por ideologias míopes que pretendem mostrar-vos o outro, o diverso, como um inimigo. O outro é uma riqueza.” – discurso aos reitores, 16/05/2022, e aos jovens, 06/07/2022, respectivamente. 

A DSI, e eu destacaria as encíclicas do Papa Francisco, são caminho de reflexão e cura para esse mal incutido em nossa sociedade. Sem o diálogo, o olhar de que todos somos irmãos, às vezes adversários políticos, mas não inimigos, e a abertura para ouvir o diferente, não conseguiremos superar o perigo. 

Tags:
IdeologiaPapa FranciscoPolítica
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

PT300x250.gif
Oração do dia
Festividade do dia





Envie suas intenções de oração à nossa rede de mosteiros


Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia